Cupom de desconto workana de R$ 100,00

Cupom de desconto workana de R$ 100,00
amamentação no primeiro ano de vida

A recomendação da Sociedade Brasileira de Pediatria e dos maiores órgãos de saúde do mundo é clara: até os 6 meses de vida do bebê a amamentação deve ser exclusiva. Ou seja, sem água, sem chá e sem papinhas antes dessa idade.

É claro que por diferentes motivos algumas mães vão precisar complementar com fórmula ou, até mesmo, oferecer apenas leite artificial. Se esse é o seu caso, saiba que seu filho também vai crescer saudável, não se culpe.

Contudo, o leite materno tem uma grande importância para o desenvolvimento saudável da criança. E não estamos falando apenas das necessidades nutricionais, que o leite garante com eficácia. Seu papel também está ligado ao desenvolvimento emocional e psicológico.

Único alimento até os 6 meses


Mesmo que nossas mães e avós tenham feito diferente, é preciso questionar. Se você recebeu conselhos dizendo para dar chá ou papinha antes dos 6 meses eu sugiro que você converse primeiro com o pediatra do seu bebê antes de tomar qualquer decisão.

Isso porque as recomendações mais atualizadas são de iniciar a introdução alimentar com 6 meses, pelos seguintes motivos:

  • O leite é suficiente, acredite. Quanto mais você amamenta, mais leite produz. E aqui entram questões como evitar mamadeira e chupeta, que podem contribuir para uma diminuição do tempo que o bebê fica sugando o peito e, por isso, a produção pode mesmo diminuir;
  • O estômago do bebê é muito pequeno. Nos primeiros dias de vida ele tem mais ou menos o tamanho de uma cereja (sim, uma cereja!). É por isso que os bebês recém-nascidos mamam quase o tempo todo. Água e chá podem ocupar um espaço precioso que seria do leite e, consequentemente, o ganho de peso pode ser comprometido.
  • O peito acalma! Com tanta coisa diferente fora da barriga da mãe, o bebê acaba enfrentando um monte de coisas assustadoras: barulho, frio, calor, sensação de que vai cair, além, é claro, da fome que ele não estava acostumado a sentir enquanto era continuamente alimentado pelo cordão umbilical.
  • Exterogestação, já ouviu essa palavra? É uma teoria já bem difundida na medicina que diz que os 3 primeiros meses dos bebês seriam como uma gestação fora da barriga. Eles ainda não sabem que nasceram e, por isso, solicitam o colinho e o peito da mãe o tempo todo. Essa é a forma que eles encontram de sentir novamente a sensação que tinham dentro da barriga.
  • Antes dos 6 meses o organismo ainda não está preparado para outros alimentos. O sistema digestivo ainda não vai estar amadurecido o suficiente antes desse período, e o leite materno é de fácil digestão, por isso a recomendação. Não precisa ficar ansiosa, logo logo o bebê vai estar comendo as primeiras comidinhas.

Principal alimento até 1 ano


Com a chegada dos 6 meses e dos sinais de prontidão iniciam-se as comidinhas. Porém, não crie expectativas de que o bebê irá comer grandes quantidades de comida. No começo é bem normal que eles apenas experimentem os alimentos.

Métodos como o BLW, cada vez mais popular, vem demonstrado bons resultados já que dão mais autonomia à criança. Em vez de receber colheradas na boca, o bebê vai tocar o alimento, explorar, lamber e experimentar. A experiência é muito mais rica e também mais divertida.

Contudo, o leite continua sendo o principal alimento até 1 ano de idade. Ter isso em mente possibilita uma introdução alimentar tranquila, sem pressa e com os nutrientes garantidos pelo leite.

A livre demanda deve ser mantida e os lanches e refeições vistos como alimentação complementar (inclusive esse é o termo utilizado por muitas nutricionistas materno-infantis). Com o tempo o bebê vai diminuindo as mamadas e aumentando a quantidade de comida ingerida nas refeições.

O leite materno possui anticorpos



Certamente você já deve ter ouvido falar que o leite materno funciona como uma vacina. E isso é verdade. Uma vacina poderosa, já que está sempre se adaptando às necessidades do bebê.

mamãe amamentandoHá estudos que indicam que quando o bebê está doente o leite da mãe muda e fornece nutrientes e anticorpos necessários para o bebê durante aquela enfermidade. Até a cor do leite fica diferente.

Por isso, manter a amamentação em livre demanda por pelo menos 2 anos, como recomenda a SBP, ajuda a proteger seu filho de diversas doenças e reforça seu sistema imunológico.

Então, convencida de amamentar seu bebê até, pelo menos, 1 ano? Os benefícios são inúmeros e o tempo na maternidade voa. Quando você menos esperar seu bebê estará desmamando e esse ciclo terá se encerrado.
Postagem Anterior Próxima Postagem