quarta-feira, 28 de outubro de 2020

18:50

Os melhores tipos de pisos para crianças brincarem

Decorar um quarto infantil certamente é um dos momentos mais divertidos quando vamos construir ou reformar um imóvel. Mas, além de pensar em móveis, cores de parede e objetos decorativos, é essencial escolher um piso adequado. Isso porque, ele será o responsável por promover conforto térmico, aconchego, saúde e segurança para o pequeno. Independente da idade de sua idade, seja recém-nascido, planejado ou já esteja um pouco maior, o piso possui benefícios para todas as épocas.

pisos-crianças-brincarem

Atualmente, o Brasil possui um alto índice de doenças como dermatite, asma e rinite, que são causadas devido ao acúmulo de pó e ácaros. Portanto, encontrar revestimentos adequados não é apenas comprar o mais bonito, mas sim levar em consideração os fatores citados anteriormente.

Caso deseje reformar seu imóvel alugado, é importante verificar essa possibilidade com a imobiliária. Agora, se estiver à procura, é importante deixar claro que você deseja encontrar uma casa ou apartamento com o piso adequado, ou que seja possível realizar esse tipo de modificação. Com tanta experiência no mercado, a imobiliária irá encontrar o local ideal para você criar seu pequeno com toda a segurança possível.

Portanto, no post de hoje, vamos falar um pouco sobre cada tipo de piso recomendado para quartos infantis para que você possa escolher o mais adequado para você e seu pequeno.

Planejamento


Bom, antes de escolher o tipo de piso que seu pequeno vai dar os primeiros passos e se desenvolver, é preciso criar um planejamento. Isso porque, quando você não coloca limites é muito provável que seu orçamento estoure e se torne uma bola de neve. Portanto pesquise valores, benefícios e características de cada um (com a ajuda do post de hoje) para compreender o que melhor irá atender suas necessidades, gostos e orçamento. Lembre-se de colocar na ponta do lápis todos os seus gastos e lembrar que em reformas sempre surgem novos itens, sendo assim, é importante estar preparado.

Vantagens e desvantagens de cada tipo de revestimento


Agora vamos falar sobre os prós e contras de cada tipo de revestimento para que você possa escolher a melhor opção avaliando a composição visual, custo-benefício e segurança do pequeno.

Revestimento vinílico


Esse tipo de piso é constituído de camadas de PVC, sendo de fácil manutenção, aplicação, e fazendo menos sujeira quando comparado com os demais. A limpeza também é mais fácil, exigindo apenas vassouras com cerdas macias e rodos com panos úmidos. Com um tratamento bactericida, esse piso é uma das opções mais indicadas por profissionais da área, quando falamos de quarto infantil. Possui diversas cores e padronagens disponíveis, sendo muito versátil e contribuindo muito para a decoração do ambiente. Além disso, ele é antiderrapante causando menos tombos e choradeira nos pequenos.

Laminado de alta pressão ou resistência


A principal diferença entre esses dois modelos é a maneira como são instalados. O primeiro é colado diretamente no contrapiso por meio de um adesivo de contato. Já o segundo é fixado com encaixes, sem precisar ter contato direto com a base. Os dois são resistentes aos riscos e manchas (o que é uma ótima característica, visto que as crianças podem ser bem criativas quando querem). Além disso, eles são fáceis de limpar e antialérgicos, possuindo um ótimo custo-benefício.

Madeira


A madeira maciça, que se transforma em assoalhos de tacos ou tábuas são mais simples de limpar, além de promoverem conforto térmico e deixar o ambiente mais confortável. Contudo, é importante ficar atento, visto que esse tipo de piso pode riscar facilmente, sendo indicado optar pelos pisos laminados.

Cerâmica e porcelanato


Ainda que sejam diferentes entre si, eles possuem uma característica em comum: são pisos frios para casas ou apartamentos com crianças. Por mais que sejam resistentes e de fácil manutenção, eles não contribuem para a saúde dos pequenos, visto que eles costumam ficar bastante tempo no chão. Além disso, não são indicados para aqueles que residem em cidades com inverno mais rigoroso.

Carpete


Não instale o carpete em quartos infantis, visto que esse tipo acumula muita poeira, ácaros e mofo, além de ser menos resistente à umidade.

EVA


Tatames feitos com esse tipo de material (parecido com a borracha) são ideais para espaços voltados para brincadeiras. Assim, mesmo se o piso for considerado frio, os pequenos podem brincar livremente e de forma segura. Contudo, ele não é recomendado para aplicar no quarto todo, visto que possui baixa durabilidade.

Piso de poliuretano


Conhecido como piso de resina, mas na verdade é composto por poliuretano, que nada mais é do que uma resina autonivelante aplicada por cima de outros pisos, como concreto e madeira. Ele torna o piso resistente e higiênico, visto que não possui juntas e ainda conta com proteção térmica e acústica.

Bom, agora que você já sabe sobre cada um dos revestimentos, consegue escolher o mais adequado para o quarto de seu pequeno, levando em conta sua saúde e segurança.

sexta-feira, 23 de outubro de 2020

18:42

Black Friday: 4 sugestões de presentes perfeitos para mães e gestantes

Aproveite o grande dia das ofertas para investir em presentes úteis e criativos. 

A Black Friday está chegando. Originário dos Estados Unidos, mas com grande recepção em nosso país, o dia D das promoções é o momento certo para quem quer economizar na compra de presentes de fim de ano. Aparelhos eletrônicos e eletrodomésticos são os que costumam receber mais descontos na época, mas os itens relacionados à cultura e ao lazer não ficam para trás. 

Criança com um ursinho

Quem quer presentear mães e gestantes no Natal pode aproveitar a data para se organizar e comprar os itens com antecedência. Em 2020, a Black Friday acontece no dia 27 de novembro, mas muitas lojas e marcas prolongam as promoções por toda a semana e, às vezes, durante o mês inteiro. Então, fique atenta e confira cinco dicas de presentes perfeitos. 

Tablet


Inicialmente, os tablets foram desenvolvidos para serem leitores de texto mais portáteis que um computador, mas com uma tela maior que a do celular. Por isso, muitos deles têm a função de redução de brilho, que simula uma folha de papel impressa.

Contudo, nos últimos anos, eles evoluíram bastante, sendo um presente bastante útil para qualquer adulto. No caso das mães e das gestantes, isso não é diferente. Aquelas que têm um bebê recém-nascido, por exemplo, podem utilizar o aparelho como uma babá eletrônica.

Para isso, basta instalar algum aplicativo com esta função, tanto no tablet, quanto no smartphone, lembrando que ambos devem ter acesso à internet. Além disso, aquelas que trabalham em casa e precisam conciliar a vida doméstica com a profissional vão encontrar no tablet um dispositivo aliado às diversas funções e necessidades do dia a dia.

Smartphone


Tal como o tablet, os celulares sempre serão um bom presente para qualquer adulto, pois são aparelhos com diversas funções de uso, em especial, os lançamentos mais recentes.

No caso das mães, além de serem um item essencial para aquelas que desejam utilizar o aparelho como babá eletrônica, eles complementam diversas outras situações. Vale lembrar que o tablet não substitui o celular e vice-versa. De todo modo, eles podem trabalhar em conjunto.

Na hora de presentear e surpreender aquela amiga que é mãe ou gestante, faça uma pesquisa: pergunte às pessoas próximas a ela qual dos aparelhos será mais útil no momento. Assim, você fará a escolha certa.

Em ambos os casos, diversos aplicativos relacionados à saúde da mulher e do bebê poderão ser baixados, o que torna qualquer um dos dois aparelhos extremamente úteis, mesmo isoladamente. 

Livros


Além dos eletrônicos, os livros são itens que costumam receber grandes descontos durante a Black Friday. Bem mais baratos que aparelhos digitais, eles podem ser uma ótima opção para quem está com o orçamento mais apertado.

Tais como os aplicativos dos tablets e dos celulares, livros podem trazer boas informações sobre a saúde do bebê e da mulher. Aqui, a dica é adequar o item às preferências da presenteada. Se sua amiga for vegetariana, por exemplo, um exemplar de receitas baseadas em vegetais, para bebês e crianças, tem mais chances de agradar. 

Viagens


Apesar de não ser comum presentear alguém com uma viagem, esta pode ser a chance de fazer a diferença e surpreender. Na Black Friday, é comum que passagens e pacotes turísticos cheguem a 50% de desconto, sendo uma oportunidade única para economizar nas compras dessa categoria.

A tarefa de ser mãe não é nada fácil, especialmente, para aquelas que têm dupla jornada de trabalho. Assim, quem quiser oferecer um momento de descanso a essas guerreiras pode apresentá-las com uma viagem incrível.

quarta-feira, 21 de outubro de 2020

11:07

Odontopediatria e a sua importância na saúde da criança

Desde os primeiros meses de gestação, é muito comum que as mães já se preocupem com diversos pontos. A escolha do nome, o colégio ideal, qual será o tipo de alimentação aceitam, entre outros fatores. 

Odontopediatria

Contudo, muitos responsáveis não se preocupam com um dos pontos cruciais para a criança: a saúde bucal.

Infelizmente, a primeira consulta com um dentista na maior parte das vezes acontece apenas na adolescência, ou então, quando há algum tipo de trauma como um dente quebrado ou um caso avançado de cárie.

Porém, a odontopediatria serve para que haja uma prevenção de doenças e complicações na vida adulta.

Neste artigo vamos te falar um pouco mais sobre a importância dessa especialidade. Continue a leitura! 

Conhecendo a odontopediatria e sua importância


A odontopediatria é a área responsável pelos cuidados da saúde bucal das crianças. Estes especialistas são essenciais para o desenvolvimento e crescimento dos pequenos.

Dessa forma, doenças bucais poderão ser evitadas caso diagnosticadas na infância. Eles são os responsáveis por cuidar dos dentes primários e também dos permanentes.

Vale ressaltar que a ida ao dentista desde os primeiros meses de vida evita que futuramente essa criança tenha algum tipo de odontofobia.

Afinal, grande parte da população entra em pânico só de imaginar o som do aparelho utilizado para a aplicação de uma lente de contato dental.

O ideal é que a primeira consulta aconteça logo quando os primeiros dentes começarem a surgir. Quanto mais cedo você levar o seu bebê para o dentista, mais bem preparado você estará para cuidar da saúde do seu filho.

Qual a importância de se consultar com um dentista logo nos primeiros meses de vida?


A saúde bucal requer cuidados logo nos primeiros meses de vida. Afinal, a região bucal pode ser porta de entrada para diversas doenças e, infelizmente, nem as crianças estão à salvo.

Mesmo que os dentes permanentes ainda não tenham nascido, é essencial ter alguns cuidados como a higienização correta dos dentes de leite e gengiva para que não haja acúmulo de alimentos.

Dessa forma, você estará evitando que a sua criança desenvolva a tão temida cárie. E o pior, caso a criança já tenha trocado a sua dentição, estas doenças podem ser irreparáveis e, futuramente, precisarão realizar procedimentos como implantes dentários.

Outro problema recorrente na infância pode ser o bruxismo, um hábito de cerrar os dentes de forma involuntária.

A maior parte das causas é devido a instabilidades emocionais e pode ser diagnosticada por profissionais, inclusive por um odontopediatra.

É exatamente por isso que você deve levar a criança ao dentista regularmente desde muito jovem.

Dessa forma, em casos como este, você estará prevenindo que o seu bebê desenvolva doenças e não seja necessário esperar os dentes permanentes crescerem para inserirem lente nos dentes desgastados.

Descubra quais são os cuidados essenciais a serem tomados


Existem alguns cuidados a serem tomados a fim de potencializar o trabalho de um odontopediatra. Por isso, separamos uma lista com as principais atitudes a serem tomadas: 

Cuide da alimentação da criança


Os alimentos ingeridos por uma criança podem afetar diretamente sua saúde bucal.

Sabemos que na introdução alimentar muitas famílias acabam cedendo e oferecem guloseimas e lanches industrializados.

Contudo, além do risco de desenvolver doenças como a obesidade, o excesso de carboidratos e açúcares pode fazer com que doenças como a cárie e gengivite sejam desenvolvidas.

Preze por alimentos naturais e ricos em nutrientes como frutas, legumes e verduras. 

Incentive uma boa higienização


Outro cuidado essencial a se ter desde muito cedo é a higienização bucal. Essa é uma tarefa que está na rotina de todos os adultos, contudo, precisa ser reforçada diariamente.

Caso o bebê ainda não possua dentes, utilize uma gaze umedecida com água e passe na gengiva do bebê para que não fique nenhum resquício de alimento.

Conforme os dentinhos forem crescendo, compre uma escova macia e um creme dental.

Ensine de forma lúdica e divertida a como escovar os dentes de maneira correta, qual a posição da escova e quanto tempo correto da escovação. 

Fique de olho


Quando os primeiros dentes permanentes começarem a nascer, é preciso fazer uma avaliação com um profissional e se certificar que todos os dentes crescem fortes e saudáveis.

É também nessa etapa que muitas crianças começam a cuidar da mordida cruzada ou de outros problemas como diastemas.

Neste caso, a melhor opção é a utilização de aparelho dental transparente, uma vez que nesta idade muitas crianças se incomodam com a sua aparência e têm resistência a muitos procedimentos.

Para finalizar, lembre-se sempre que o odontopediatra não existe por acaso. Visitar um consultório odontológico logo nos primeiros meses de vida é essencial para que futuros problemas sejam evitados.

Conteúdo produzido por Mayara Santos, redatora na empresa Vue Odonto

quinta-feira, 8 de outubro de 2020

15:08

5 dores comuns durante a gravidez e como amenizá-las

dores comuns durante a gravidez

Saiba como evitar os principais problemas de saúde durante a gravidez

É comum que mulheres grávidas sobram de diversos tipos de dor durante a gravidez, e isso acaba sendo comum.

Não é apenas a ansiedade e o nervosismo, mas também as dores físicas, que acabam incomodando muitas mães, especialmente as de primeira viagem.

Por isso, hoje falaremos das 5 dores mais comuns durante a gravidez e como amenizá-las.

1. Dores de Cabeça


Essa é, talvez, a dor mais comum que as mulheres grávidas sentem. A maioria das mães já sentiu essa dor durante a gravidez.

Para evitar esse problema, podem ser feitas três medidas principais:

  • Colocar panos quentes sobre a face: fazer isso que tende a causar relaxamento e diminuir as dores;
  • Descansar em um lugar confortável: apesar de ser difícil de arranjar tempo para isso, é fundamental ter um tempo para o descanso;
  • Receber massagens: peça para seu parceiro te dar uma massagem relaxante, que vai te acalmar e diminuir dores

2. Cólica


Sentir cólica é perfeitamente comum, já que esse é um sinal de que a criança está crescendo e, por causa disso, o útero precisa se adaptar ao tamanho do bebê.


Algumas medidas que você pode tomar para aliviar as dores:

  • Acariciar o bebê na barriga, buscando acalmá-lo e se conectando com a criança;
  • Tentar descansar em um lugar confortável e evitar trabalhos muito desgastantes;

Vale notar que, caso esse sintoma seja muito forte e ocorra durante muito tempo, vale a pena procurar um médico de confiança.

3. Dor nas Costas


Com o aumento do peso do bebê que está crescendo, é comum que a futura mãe sinta dor nas costas, que podem acabar sendo muito severas.

Algumas medidas a serem tomadas:

  • Buscar melhorar a postura;
  • Dormir em um colchão adequado, que não seja tão mole;
  • Se alongar com certa frequência (evitando excessos por conta do bebê).


Repare que as medidas a serem tomadas são universais, válidas também para pessoas que não estão grávidas. 

4. Dor nas Pernas e Braços


As dores nas pernas e braços são comuns por causa do esforço que a coluna faz para sustentar o peso do bebê.

De forma geral, é possível tomar algumas atitudes para melhorar esses problemas:

  • Evitar ficar muito tempo sentada ou em pé (variar);
  • Não usar salto alto;
  • Colocar um travesseiro entre as pernas e dormir na posição lateral.

Dessa forma, você pode evitar essas dores comuns.

5. Dor nos Seios


É comum que existam dores nos seios por conta do crescimento das mamas durante a gravidez.

Para cuidar disso, é possível tomar algumas medidas:

  • Usar sutiãs de maternidade, feitos especialmente para esses momentos;
  • Tirar as medidas frequentemente e comprar novos sutiãs desse tipo quando for preciso. 

5 Dores comuns durante a Gravides – Resumo


  1. Para evitar dores de cabeça, é possível tentar descansar e colocar panos quentes sobre a cabeça;
  2. É possível evitar cólicas descansando em um lugar confortável para tentar controlar a dor;
  3. Para melhorar das dores nas costas, busque se alongar com moderação e evitar má postura;
  4. Melhore as dores nas pernas e braços evitando ficar muito parada e evitando usar salto alto;
  5. Você pode melhorar a dor nos seios usando sutiãs de maternidade.

sexta-feira, 25 de setembro de 2020

18:44

Como o aleitamento materno ajuda na saúde bucal de seu bebê?

A amamentação é considerada um momento especial entre mãe e filho, principalmente porque a atenção da mãe está totalmente voltada para o bebê. Mas, além de fortalecer a relação, esse ato também é essencial para a saúde da criança. 


aleitamento materno


Segundo o Ministério da Saúde, o aleitamento materno reduz em 13% a mortalidade infantil entre crianças de até cinco anos de idade, além de diminuir os riscos de desenvolver problemas, como diarreia, infecções respiratórias, alergias, diabetes, colesterol alto e hipertensão.

Esses benefícios já são amplamente conhecidos pelo público, entretanto, muitas mães não sabem que o leite e o ato de amamentar são fatores poderosos também para a saúde bucal das crianças.

Continue lendo para saber os benefícios que fazem da amamentação uma importante aliada para o desenvolvimento oral infantil!

Os benefícios da amamentação para a saúde bucal infantil


Fortalecimento da musculatura bucal


A amamentação feita no seio da mãe funciona como ginástica facial, pois trabalha a musculatura da língua, bochecha e lábios. Além disso, o exercício de sugar e engolir o leite estimula os ossos e os dentes a crescerem corretamente, de forma harmoniosa.

Tudo isso torna a amamentação um fator crucial para o desenvolvimento do rosto das crianças. Seus benefícios, inclusive, podem ser vistos em idades mais avançadas, pois a formação correta da arcada dentária diminui os riscos de problemas ortodônticos. 

Auxílio no desenvolvimento fonético


O ato de nos comunicarmos e, principalmente, a pronúncia das palavras é algo que desenvolvemos aos poucos ao longo da nossa infância.

No entanto, o posicionamento da língua influencia diretamente na nossa dicção. O aleitamento ajuda nesse sentido, pois o bebê precisa aprender a posicionar a língua enquanto mama a fim de sugar o leite.

Além disso, a posição do nosso queixo também influencia diretamente na reprodução de sons. O que acontece é que essa parte do nosso rosto nasce um pouco para trás em relação a sua posição ideal.

O ato de mamar ajuda a projetar o queixo para frente e, assim, a deixá-lo na posição correta para a fala.

Previne a respiração bucal


Uma das coisas que mais prejudicam a nossa saúde bucal é quando respiramos pela boca ao invés do nariz. Isso porque, a respiração bucal deixa a boca seca, o que estimula o surgimento de cáries e inflamações gengivais.

Podemos evitar, ainda na infância, que isso aconteça com o aleitamento materno. Como dito anteriormente, é nesse momento que o bebê aprende a posicionar corretamente a língua, permitindo com que ele respire simultaneamente pelo nariz enquanto mama.

Esse fator, atrelado ao bom desenvolvimento da estrutura óssea do maxilar, impede que o caminho pelo qual o ar passa se feche, facilitando a respiração nasal.

Fortalece os dentes


O leite, ainda que industrializado, é rico em cálcio e Vitamina D. Esses e outros minerais presentes no leite são importantíssimos para o fortalecimento e conservação dos dentes.

Outro benefício do leite materno é que ele cria uma película protetora em volta dos dentes da criança, evitando a formação de placas bacterianas.

Cuidados com os dentes infantis


Evite o uso da mamadeira


Muitas vezes, a amamentação no seio não é possível, entretanto, o uso da mamadeira prejudica a fala, a formação da dentição e estimula a respiração bucal.

Nesses casos, dê preferência a outros métodos, como o uso de um copinho pequeno. Com o uso dele, o bebê continuará a movimentar a língua para chegar ao leite, assim como ele faria para sugar o leite do seio.

Se atente a higiene bucal do seu filho


O aleitamento deve vir acompanhado de cuidados com a higiene bucal da criança.

Esse hábito deve começar antes do nascimento do primeiros dentes de leite. É recomendado que após a amamentação a boca do bebê seja higienizada com o auxílio de uma gaze ou fralda.

O responsável irá massagear a gengiva, o lábio e língua para evitar que o leite se acumule. A higienização também pode ser feita com o auxílio de uma dedeira de silicone.

Após o surgimento dos primeiros dentes esse processo é intensificado. Ao completar o primeiro ano a higienização já pode começar a ser feita com a escova infantil, mas sem o uso de pastas ou com o auxílio de pastas sem flúor.

Visitas ao dentista


Muitas vezes, os responsáveis pela criança a levam para o pediatra regularmente, mas deixam a vista ao dentista de lado. Muitas dessas crianças, inclusive, nem contam com o apoio de convênios odontológicos.

Bom, as dicas acima de nada adiantarão sem o devido acompanhamento de um profissional. Por isso, é importante que você faça um convênio dentário para o seu filho.

Assim, você não só previne problemas futuros como, também, o estimula a gostar do ambiente da clínica. Isso evita o desenvolvimento da famosa odontofobia (medo de dentistas).

Caso você ainda não tenha um convênio odontológico verifique com a empresa em que você trabalha se eles contam com um plano dental empresarial.

Atualmente, o plano odonto empresa é um benefício oferecido por muitas organizações, mas que, infelizmente, não é aderido tanto quanto deveria entre os colaboradores.

Apoio à amamentação


A amamentação é uma prática fundamental para a saúde bucal da nossa sociedade, pois os seus benefícios ecoam também no futuro das crianças.

Essa importância tem ganhado cada vez mais visibilidade e vem sendo amplamente divulgada. Isso pode ser visto em Agosto, mês dedicado a ações que estimulam a prática da amamentação.

A campanha conhecida como “Agosto Dourado” tem esse nome porque atribui ao leite materno o termo “leite de ouro”, fazendo alusão às suas propriedades benéficas.

Por meio dessa campanha e tantas outras iniciativas, como o conteúdo que você acabou de ler, fica claro que o aleitamento é uma demonstração de amor e cuidado com o seu filho.

Texto produzido por Estela Lima, redatora da empresa Ideal Odonto.

sexta-feira, 18 de setembro de 2020

21:52

A importância de brinquedos educativos para o desenvolvimento da criança

Hoje em dia as mais diversas correntes pedagógicas, em sua maioria, entraram em concordância sobre a ideia de que é possível transformar os momentos de lazer e diversão das crianças, em momentos de aprendizado. 


Criança brincando


Dito isso, nós sabemos que as experiências que as crianças vivenciam desde a primeira idade são bem marcantes e definidoras, por isso é preciso desde cedo trabalhar as competências dos pequenos, tais como cognição, motricidade, sociabilidade, linguagem, entre outras.

Com isso em mente, as fábricas direcionadas para brinquedos infantis resolveram desenvolver uma nova linha, a dos brinquedos educativos, itens que estimulam as mais diversas habilidades desde cedo, sendo eles imprescindíveis para o bom desenvolvimento da criança.

O que são brinquedos educativos?


Entendemos por brinquedos educativos todos aqueles itens que estimulam ou incentivam de alguma maneira no desenvolvimento infantil, seja massinha de modelar para trabalhar a motricidade ou um quebra-cabeça para trabalhar a cognição.

Veja bem, um bebê vai aprendendo a partir dos sentidos, ou seja, ele vai ter contato com tudo aqui que o cerca e a partir dessa interação com o ambiente externo, ele vai desenvolvendo sua personalidade e percepção do mundo.

As crianças costumam reproduzir nas suas brincadeiras de faz de conta, situações que vivenciam no dia a dia, ou imitações de personagens que elas admiram ou criam mundos e suas próprias histórias, esse é o exemplo de que é por meio da brincadeira que há o desenvolvimento infantil.

Qual é a importância dos brinquedos educativos na infância?


Como já foi dito acima, a infância é uma fase de construção, é nela que todo mundo constrói as bases da personalidade, inteligência, físico, social, e os brinquedos educativos servem para estimular esse processo.

Por intermédio desses itens os pequenos irão enfrentar desafios saudáveis com o intuito de se conhecerem melhor e apreenderem o mundo ao seu redor, e exercitar a imaginação, a criatividade, o raciocínio lógico, habilidades necessárias para a construção do sujeito.

Entretanto, um lembrete para os pais de primeira viagem: O desenvolvimento é dividido em etapas, ou seja, para cada fase há uma espécie de brinquedo para estimular da forma certa a criança.

Exemplificando: Um quebra-cabeça não terá a mínima utilidade para um bebê de dois meses, nessa idade ele precisa de brinquedos que sejam próprios para estimular o desenvolvimento sensorial.

Confira a seguir as habilidades que são estimuladas com os brinquedos educativos infantis e quais as suas características.

Competência Cognitiva


A cognição significa literalmente, aquisição de conhecimento, ou capacidade de discernir, de perceber, ou seja, é exercitando essa competência que a criança irá compreender o funcionamento do mundo, das relações sociais e se conhecer.

Competência Sensorial


Como o próprio nome já diz, essa área diz respeito aos sentidos humanos, embora os brinquedos que estimulem o sentidos sejam mais direcionados para crianças de colo, ainda são muito úteis para os pequenos com mais idade.

É imprescindível que a pessoa, desde a infância, aprenda a discernir sons, tenha noções de temperatura, tais como o que é quente e o que é frio, saiba diferenciar as cores, entre outras noções sensoriais.

Coordenação Motora


Embora muito conhecida, as pessoas costumam focar mais no desenvolvimento cognitivo e deixar a motricidade um pouco de lado, o que é um grande erro. É essencial que haja o estímulo a essa habilidade com brinquedos como blocos de montar, massinha de modelar, entre outros.

Como conciliar o uso de brinquedos físicos e eletrônicos?


Por estarmos vivendo em uma era digital, as crianças desde cedo são imersas nos mais diversos aparelhos eletrônicos, tais como smartphones, tablets, notebooks, o que não é ruim, desde que haja um equilíbrio e controle e fiscalização da parte dos pais.

A fiscalização se faz necessária porque com esses aparelhos, as crianças terão acesso direto à internet, e na rede há todo tipo de conteúdo possível, muitos que não são adequados para crianças, por isso é necessário evitar expôr elas a tais conteúdos.

Outro aspecto essencial é que com a imersão intensiva no mundo tecnológico, muitas vezes os pequenos esquecem outras atividades, especialmente as físicas, sendo isso prejudicial à saúde.

Então o desafio é conciliar esses dois mundos, pois caso haja incentivo apenas para o tecnológico, é possível que haja deficiência no desenvolvimento infantil, por falta de estímulos necessários para a construção saudável do sujeito.

Os brinquedos educativos, por mais que sejam considerados tradicionais e ultrapassados, são ferramentas essenciais e indispensáveis nas fases da infância.

Construindo a relação pai e filho


A interação entre os pais e os filhos é importantíssima e precisa ser incentivada, este é outro benefício dos brinquedos educativos, que normalmente são utilizados em conjunto ou com um adulto coordenando a brincadeira.

Aparelhos eletrônicos são a antítese da interação em grupo, pois são apetrechos de uso individual, ou seja, se a criança brincar apenas com o seu aparelho eletrônico, ela não vai interagir com os pais ou mesmo com os amigos ao seu redor.

Já com os brinquedos educativos, os pais irão proporcionar aos filhos momentos divertidos e educativos, servindo como guias para as crianças no processo de desenvolvimento.





quinta-feira, 10 de setembro de 2020

15:16

Moda consciente na maternidade

Quando a notícia de que a Beyoncé teve gêmeos atingiu o circuito de notícias, deixou os amantes da moda e seus fãs em um frenesi. Provavelmente nem é preciso dizer que Beyoncé teve algumas bolsas de grife em rotação para cuidar de seus novos pacotes de alegria, o que nos fez pensar nas bolsas de grife que podem tornar a vida de uma mãe um pouco mais fácil! Essas bolsas são espaçosas, elegantes e - o mais importante - duráveis ​​para ajudar a mãe a lidar com qualquer coisa que surgir em seu caminho.

moda grávida



No mercado second hand de luxo, você encontra as mais belas bolsas Prada para seu bebê. Se você procura um presente para a futura mamãe, lembre-se que sempre há uma ocasião para que ela saiba que você se importa, oferecendo a ela um presente bonito e prático! Muitos homens e mulheres procuram os brechós de luxo em busca de uma ótima bolsa Prada para dar como um presente de chá de bebê, um presente de lua de mel ou simplesmente "porque sim". Essa foi nossa inspiração para você conhecer a principal bolsa Prada para bebês que é perfeita para a moda consciente na maternidade!

Bolsa Prada Nylon Diaper


Se você está procurando uma bolsa de fraldas de marca que esteja com você em qualquer situação, esta bolsa Prada é para você. Digna de muitos elogios devido ao seu tecido de nylon resistente, que é à prova d'água, essa bolsa Prada de extrema qualidade combina com qualquer ambiente.

Essa bolsa de fraldas Prada oferece três elementos principais: função, estilo e durabilidade. Os muitos bolsos encontrados no interior e exterior da bolsa tornam a solução perfeita para uma mãe em movimento que quer ter certeza de que está preparada para o dia que se inicia! Leve esta bolsa Prada para compras com a mesma facilidade com que você pode levá-la para passeios à tarde com o bebê - tudo sem se preocupar com os elementos ou se isso prejudicará seu estilo!

Por que essa é a bolsa ideal?


Se gosta de estar sempre na moda, pode querer perguntar se essa bolsa Prada combina com o seu estilo. Vai combinar com o que você veste? Essa é uma bolsa preta clássica e combina com tudo o que você vestir. Além disso, pense em quem estará carregando a bolsa. Se o papai vai levar seu bebê ao parque, então um rosa brilhante pode envergonhá-lo (a menos que ele seja do tipo extravagante).

Nessa bolsa Prada, cabe tudo o que você precisa usar em seu dia a dia. Você vai precisar de algo grande o suficiente para guardar fraldas, lenços umedecidos, pomada, possivelmente uma mamadeira, uma muda de roupa e qualquer outro item. Mas espere, você não quer algo que seja muito grande também, por isso a bolsa Prada Diaper é uma ótima opção, compacta e estilosa.

Existem algumas bolsas lindas por aí, mas algumas delas são tão pesadas quando estão vazias, já percebeu isso? Imagine quando elas estão cheias? Por isso, o ideal é obter algo que seja leve, como essa belíssima bolsa Prada. Você não quer machucar seus ombros, seu corpo estará se recuperando do nascimento, então a última coisa de que você precisa é um esforço desnecessário.

Além disso, o orçamento é importante. Não adianta comprar uma bolsa Prada cara que vale o cheque do seu mês se seu orçamento não permitir. Você terá muitos outros itens para bebês para comprar ao mesmo tempo, então saiba quais são suas prioridades. É muito mais importante ter primeiro todos os itens essenciais, como um berço, lençóis, roupas, etc., antes de comprar uma bolsa que está fora de sua faixa de preço.

Uma das vantagens da bolsa Prada Diaper é a sua praticidade. Se você está planejando usá-la também como bolsa pessoal, saiba que ela terá bolsos suficientes para todos os seus cartões, celular, maquiagem e etc.

A bolsa é fácil de limpar? Sua bolsa estará circulando, indo para todos os tipos de lugares públicos cheios de todos os tipos de germes e doenças. Também existe a possibilidade de que o leite possa derramar na sua bolsa ou possa ser vomitado, feito cocô, urinado, bem, você começa a entender. A maternidade é imprevisível. O material pode ser limpo ou, caso contrário, pode ser jogado na máquina de lavar? Note que as cores escuras são melhores do que as claras (não mostram marcas e manchas) e os tecidos grossos são mais duráveis.

Se você está planejando usar muito a sua bolsa Prada, considere comprar algo de boa qualidade. Você não quer acabar comprando várias bolsas no caminho porque estão todas gastas ou quebradas.

Com que tipo de acessórios vem? Ela vem com uma alça de ombro? Isso pode ser útil se você for andar muito. Ela vem com um trocador ou você precisa comprá-lo? Tenha cuidado ao comprar muitos acessórios, porque provavelmente você não vai acabar usando todos eles.

Você espera usar esta bolsa para várias crianças ou ficará feliz em jogá-la fora e comprar uma nova bolsa para o próximo bebê? Você pode querer uma bolsa para usar por muitos anos, quando seu bebê for adulto e não usar mais fraldas. Escolha uma bolsa que não pareça uma bolsa de bebê, para usar mais tarde. Também possui uma opção de bolsa chanel pode ser usada como uma bolsa de viagem para viagens curtas ou levada para aulas de natação desde a infância, por exemplo.

Boa sorte e boas compras!

quarta-feira, 2 de setembro de 2020

20:18

Qual o brinquedo ideal para o seu filho?

Saber qual o brinquedo ideal para cada idade do seu filho é imprescindível, isso porque eles irão ter uma papel essencial no desenvolvimento da criança, afinal, todos nós tivemos algum brinquedo que nos marcou na infância, não é mesmo?

Brinquedo educativo

Os brinquedos ajudam as crianças a trabalhar as mais diversas competências: Motor, cognitiva, social, linguística, e por possuir esse papel tão marcante para os pequenos, é preciso saber escolher os que sejam próprios para a faixa etária do seu filho.

Qual a importância dos brinquedos na infância?


Como dito acima, eles são ferramentas excelentes para que as crianças desenvolvam suas personalidades, habilidades sociais e mesmo a coordenação motora, além disso eles ajudam os pequenos a desenvolver uma compreensão mais aprofundada do mundo e de si mesmo, através do lúdico.

É com a ajuda desses artefatos que nós descobrimos competências que nos eram desconhecidas, despertamos algumas noções do funcionamento da sociedade e como funcionam as interações sociais.

Entretanto, mesmo que os brinquedos ofereçam todos esses benefícios, não haverá contribuição efetiva se a criança for presenteada com um brinquedo da faixa etária da qual ela não se enquadra.

Os brinquedos e as faixas etárias adequadas 


Como dito acima, é de vital importância que você, ao escolher um brinquedo para o seu filho, verifique a faixa etária na embalagem, pois assim ele será uma ferramenta efetiva para a construção do sujeito da criança.

Confira quais brinquedos são adequados para cada faixa etária abaixo:

0 a 12 meses


Desde o nascimento até o primeiro ano de vida, o desenvolvimento do bebê se dará através de estímulos sensoriais, por luzes, sons, tato, olfato, então os brinquedos dessa faixa precisam estimular esses sentidos.

A preferências são animais de pelúcia, macios, que emitam sons calmos e que venham perfumados, assim o bebê poderá, a partir do contato, ir trabalhando sua percepção através dos sentidos.

Outra opção além itens de pelúcia, são os mordedores, ideais para massagear a gengiva e diminuir gradativamente o desconforto do nascimento dos primeiros dentes.

1 a 2 anos


É comum que as crianças desta idade já comecem a caminhar, outras vão dando os primeiros passos no decorrer desse período de tempo entre 1 aos 2 anos, por isso brinquedos de empurrar e puxar são vitais para esse período.

Embora ainda seja necessário comprar itens que trabalhem os sentidos, você já pode buscar itens que sejam bons para desenvolver a percepção de cores e formas.

Invista em brinquedos de montar e desmontar, carrinhos para empurrar, porém lembre-se de comprar itens atóxicos e com peças grandes, para evitar acidentes com o seu bebê.

2 a 4 anos


A partir dos 2 anos já é necessário que os brinquedos estimulem o desenvolvimento da coordenação motora, os blocos de montar ainda são bons para isso, porém é melhor comprar produtos que tenham formas mais complexas para que a criança se desafie.

Esse período de idade a criança já não é mais um bebê, ela está começando a despertar suas habilidades sociais e linguísticas, por isso brinquedos musicais são bons para ajudar nesse ponto.

Triciclos e bolas são ótimos para estimular as habilidades físicas dos pequenos, e para que ele vá construindo uma boa estrutura muscular.

5 a 7 anos


Nesta fase as crianças já estão no processo de alfabetização, com habilidades linguísticas mais adiantadas em relação à fase anterior, por isso jogos educativos são as melhores escolhas.

Dê preferência para os que estimulem a capacidade leitora do pequeno, eles serão fortes aliados da construção de conhecimento escolar, assim como o ato de ler estimula a imaginação infantil.

Como as crianças já estão na escola, elas já possuem uma vida social ativa, por isso jogos que sirvam para grandes grupos são muito bons para trabalhar a sociabilidade deles.

8 a 11-anos


É bem comum que os jovens nessa faixa etária comecem a utilizar smartphones e deixem de lado os exercícios físicos, por isso é importante presenteá-los com itens que estimulem o trabalho muscular.

Bicicletas, skates, patins, bolas de futebol, basquete, vôlei, itens que vão encorajá-los a se movimentar.

Opte pelos brinquedos que exercitem o raciocínio lógico e a inteligência estratégica, como jogos de tabuleiro como as damas e até o dominó são boas opções para exercitar essas habilidades.

12 anos ou mais


Nos dias atuais já não é mais tão comum crianças de 12 anos utilizarem brinquedos para a diversão e momentos de lazer, entretanto ainda há alguns que gostam.

A recomendação dessa faixa etária não é tão diferente da anterior, aqui o principal objetivos é que os jovens estimulem sua capacidade intelectual com jogos complexos, que exijam reflexão da parte delas.

O quebra-cabeças para maiores de 12 anos costumam ser bem complicados, exige que haja muita concentração e foco por parte de quem o utiliza.

O Xadrez é um jogo de tabuleiro que pode ser utilizado por faixas etárias menores, mas é mais indicado para as crianças de 12 anos ou mais, por ser um jogo complicado e que exige muita estratégia da parte de quem joga.

Porém, continue investindo em itens que incentivem o exercício físico ao ar livre, preferencialmente. Uma criança que usa brinquedos como bicicletas, por exemplo, tendem a continuar praticando mesmo na vida adulta.


Dicas extra


Lembre-se de sempre consultar a faixa etária na embalagem do brinquedo antes de comprá-lo, evitando assim prejuízos para o seu bolso no caso do produto não ser indicado para a idade do seu filhos.

Preferencialmente opte por marcas já consagradas no mercado, que trabalham com produtos de qualidade e que não irão oferecer riscos às crianças, faça uma pesquisa on-line antes de consumir.





quarta-feira, 19 de agosto de 2020

16:38

Móveis Planejados para quarto de criança: 5 dicas

Veja cinco dicas de moveis planejados para quarto de bebê que são essenciais para uma boa ambientação do recém-nascido. 

móveis planejados infantil

A utilização de móveis planejados para o quarto de bebê vem crescendo bastante nos últimos tempos, porém muitos pais ainda ficam um pouco perdido na hora de decorar o ambiente.

Vale lembrar que a chegada de um novo filho faz com que toda a dinâmica de uma casa seja modificada. Essa mudança não se restringe apenas a questões relacionadas às relações familiares, mas também aos cômodos.

Inevitavelmente os espaços ganharão uma nova forma, fazendo com que diversas adaptações precisem ser feitas, tanto para o acolhimento quanto para a segurança do novo membro da família.

Sabendo que a indecisão pode se fazer presente na hora da decoração, nada mais justo do que apresentar cinco dicas decorativas com a utilização de móveis planejados. Confira agora e aproveite para utilizar essas dicas imperdíveis.

O que são móveis planejados?


Antes de apresentar as dicas, é bastante útil que a definição de móveis planejados seja especificada.

Os móveis planejados são fabricados especialmente para o cliente, ou seja, atenderá a real necessidade, sendo projetado exclusivamente para o espaço desejado.

Agora que a dúvida foi esclarecida, conheça as cinco dicas que servirão de gatilho criativo para a decoração do quarto de bebê:

Defina o tema do quarto


A primeira etapa da decoração é a definição do tema, pois isso será o ponto guia para o restante do processo.

O tempo passou e os pais atuais já não seguem o mesmo padrão de antigamente, em que a maioria dos quartos apresentavam as cores azul ou rosa.

Hoje em dia, os mais diversos temas são explorados, onde as fontes de inspiração podem ser filmes, séries e desenhos.

Revestimentos


A dica principal quando se fala em revestimento é optar por pisos vinílicos, que são altamente recomendados para quartos infantis.

Esse tipo de revestimento apresenta uma boa absorção acústica e também proporciona o conforto térmico ideal para o bebê.

Escolha uma loja de móveis planejados com boa reputação

Decidido o tema e também os revestimentos, chegou a hora da escolha dos móveis planejados. A primeira dica é a definição da loja, que deve ser, minuciosamente, escolhida.

Avalia a reputação através de feedbacks disponíveis nos canais de comunicação, confira as avaliações no Google Meu Negócio e não deixe de ler as críticas no Reclame Aqui.

Ah, e antes de assinar qualquer contrato, peça o portfólio e para ver outros projetos que mostrem móveis planejados para quarto de bebê.

Leve em consideração a opinião do projetista


É claro que a escolha dos móveis residenciais pode ser feita pelos próprios pais, porém, ter uma ajuda profissional é sempre útil.

O projetista pegará todas as medidas do ambiente e ainda poderá criar o projeto no formato 3D. Assim ficará mais fácil de visualizar o que vem pela frente.

É possível realizar qualquer adaptação, mas lembre-se que os profissionais ajudarão a combinar design, funcionalidade e conforto.

Crie um ambiente funcional


Só quem é mãe ou pai sabe das dificuldades que um recém-nascido pode trazer.

Escolha móveis que sejam totalmente adaptáveis ao ambiente e que trabalhem na otimização das tarefas, priorizando o bem-estar tanto na hora do conforto em família, quanto nos momentos de limpeza e trabalho. Mais um ponto onde o profissional será um ótimo aliado.

Móveis planejados e a felicidade da família


Pôde-se perceber que a escolha dos componentes do quarto do bebê vai muito além de opções superficiais, cada decisão poderá transformar as relações e também a ambientação do pequenino.

Faça todas as escolhas com calma e não hesite em buscar ajuda profissional para que o seu projeto saia conforme o planejado.

sexta-feira, 14 de agosto de 2020

17:04

10 maneiras eficazes de melhorar o foco nos filhos

Tudo o que você precisa saber para aprimorar a atenção em cada fase 


Você já reparou como as crianças mudam de atividade o tempo todo?! Isso acontece porque a falta de atenção é muito comum nos pequenos e dificilmente eles conseguem se concentrar em algo por muito tempo. Porém, a boa notícia é que a atenção pode ser estimulada e desenvolvida em todas as idades.

A verdade é que o foco é uma habilidade muito importante para o desenvolvimento infantil e também para a vida das crianças. Por isso é muito importante se dedicar para desenvolver o foco nos filhos.

melhorar o foco nos filhos

Foi pensando nisso que este artigo foi criado, para te ajudar a desenvolver nos seus filhos essa habilidade fundamental para aprendizagem. Se você percebeu que seu filho tem dificuldade em manter a concentração, então não deixe de ler até o final, pois nesse artigo vamos falar sobre as 10 maneiras comprovadamente eficazes de desenvolver o foco nos nossos filhos, considerando todas as etapas do desenvolvimento infantil.

Antes de tudo, você precisa saber que as crianças passam por algumas fases ao longo do seu desenvolvimento e cada uma dessas etapas necessita de um estímulo diferente de forma a desenvolver melhor o foco e a concentração.

Existem muitas formas de entender essas fases, mas vamos considerar as divisões de um educador muito famoso, o Jean Piaget.

Para quem não conhece o Jean Piaget foi um educador, filósofo, biólogo e psicólogo que se dedicou em compreender como as crianças aprendem. Por isso ele tem muito a contribuir com a educação voltada para melhorar o foco dos pequenos. Veja as 10 maneiras pensadas em acordo com a proposta deste pesquisador:

PARA A PRIMEIRA FASE  (0 A 2 ANOS)


1. LER HISTÓRIAS PARA SEUS FILHOS:




Na primeira fase (0 a 2 anos) a criança está em uma etapa muito rica para o desenvolvimento da linguagem e da concentração. Os bebês são grandes observadores de tudo, tentam imitar o mundo ao seu redor e assim se comunicam e aprendem principalmente por desenhos, histórias e brincadeiras educativas.

Ler para os bebês é uma excelente estratégia para já começar a desenvolver o foco dos pequenos, pois com uma leitura criativa e interativa eles trabalham a atenção aliada às cores e às formas. Tudo isso chama muito a atenção deles nessa etapa!

É muito importante que você leia com alegria, usando o tom de voz adequado, mostrando sons e imagens. Busque ideias criativas de como contar uma história de maneira bem atrativa e interativa.

2. ATIVIDADES E ESTÍMULOS SENSORIAIS:




A primeira fase é também um momento muito importante para que os pequenos conheçam a maior variedade possível de estímulos sensoriais! Mas, o que são atividades e estímulos sensoriais? São todas ações que envolvem cheiros, texturas, cores, sons e sabores, de forma a desenvolver os cinco sentidos.

Estimular os cinco sentidos do seu filho nos primeiros anos de vida dele, certamente vai fazer com que ele cresça mais atento e com maior capacidade de foco em vista das conexões cerebrais que essas atividades proporcionam.

O importante aqui é apresentar o maior número possível de:

  • sabores: amargo, doce, salgado, azedo, agridoce, etc;
  • cores: quentes, frias, mistas, etc;
  • texturas: ásperas, lisas, rugosas, moles, duras, etc;
  • sons: graves, agudos, altos, baixos, etc;
  • cheiros: os mais diversos existentes.

Existem muitos brinquedos para bebês e brincadeiras educativas específicos para essas funções sensoriais, como os quiet books ou livros sensoriais que são livrinho específicos para os bebês, feitos geralmente com algumas partes de pano ou feltro, que auxiliam a estimular os sentidos.

PARA A SEGUNDA FASE  (2 A 7 ANOS)


3. JOGOS DE MEMÓRIA


Na segunda fase (2 a 7 anos) a criança entra em um período de muita curiosidade. No início desse período a criança já sabe se comunicar com maior efetividade, já interage com mais eficiência e, portanto começa a aprimorar a linguagem e seu conhecimento de mundo. Assim, os clássicos jogos de memória  se tornam grandes aliados aqui.

4. APRENDER UM NOVO IDIOMA


Esta fase também é a hora ideal para começar a aprender um novo idioma, como o inglês, por exemplo. Você sabia que aprender um novo idioma é uma das formas mais efetivas de estimular a capacidade de concentração?! Sim, além de ser um conhecimento muito importante para o resto da vida, aprender inglês também pode ser um ótimo recurso de desenvolvimento na infância.



5. JOGOS DE LABIRINTOS


Os jogos de labirinto são desafios que podem ser simples ou complexos, além de possuírem regras específicas e limites claros que possibilitam a criança desenvolver muito bem a concentração e o foco.
Esses jogos são uma ótima opção, uma vez que desenvolvem diversas habilidades ao mesmo tempo. Além de aumentar a capacidade de se concentrar, eles melhoram também o raciocínio lógico, a coordenação motora e a capacidade de lidar com as emoções, visto que as crianças precisam lidar com elas no enfrentamento dos desafios.

6. BRINQUEDOS DE MADEIRA




Os Brinquedos de Madeira trazem diferentes formas de brincar com associações visuais e motoras, além de serem brinquedos resistentes que passam por gerações marcando famílias.

Esses brinquedos construídos com materiais de madeira estimulam muito a concentração e o foco devido à grande versatilidade que possuem. Você sabia que com as mesmas peças de madeira, os pequenos podem inventar e construir muitas brincadeiras diferentes?! Isso chama muito a atenção das crianças, além de estimular a criatividade, o raciocínio e autonomia no brincar.

Essa liberdade e autonomia na manipulação das peças contribui muito para a construção da personalidade da criança, de forma que ela se torne um adulto mais seguro de si mesmo, com maior capacidade de iniciativa.

Os brinquedos de madeira são uma ótima estratégia para desenvolver o foco nas crianças por que também estimulam muitas outras habilidades relacionadas à coordenação motora e o raciocínio. Além disso, a Sociedade Brasileira de Pediatria aponta que eles são um dos brinquedos mais seguros que existem. Isso porque não possuem nenhum tipo de componente tóxico e não oferecem riscos para pessoas alérgicas.

Como se não bastasse tantas características positivas na utilização dos brinquedos de madeira para o desenvolvimento da atenção nos filhos, eles também são uma opção sustentável e ecologicamente correta. Portanto, brinquedos feitos com materiais de madeira podem ser uma excelente oportunidade de passar noções ambientais para os pequenos.

PARA A TERCEIRA FASE (8 A 12 ANOS)


7. INICIAÇÃO A LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO


Pode parecer bem estranho que seja interessante que nossos filhos aprendam a linguagem de programação não é mesmo?! Na maioria das vezes, nós adultos não fazemos ideia do que é isso significa. Mas, a verdade é que cada vez mais conhecimentos tecnológicos são importantes e chamam muita a atenção das crianças nesta fase.

É muito comum encontrarmos crianças com idade entre 8 e 12 anos dominando ferramentas tecnológicas de celular, computadores, etc, muitas vezes até mesmo ensinando novas ferramentas para os adultos.

Um dos motivos pelo qual isso acontece é que na terceira fase, também conhecida como operacional concreto, a criança começa a usar e desenvolver com maior propriedade a lógica para relacionar as coisas concretas. Assim, assuntos tecnológicos se tornam mais interessantes nesse período.
A linguagem de programação é algo que você não arrependerá de proporcionar ao seu filho. Além, de enriquecer sua capacidade de raciocínio e atenção, também pode contribuir muito para o seu futuro.

Já existem muitos programas específicos para ensinar programação às crianças, como schatch, Blocky e Alice. Você pai ou mãe pode até mesmo aprender junto com a criança.

8. JOGOS DE TABULEIRO




Outra característica desse estágio é o entendimento mais apurado de regras sociais, portanto este é o estágio para incentivo das brincadeiras educativas em grupo, pois nesse momento a criança aprende com mais facilidade sobre valores sociais como reciprocidade e justiça, por exemplo.

As brincadeiras educativas de tabuleiro em grupo, além de serem muito divertidas, estimulam muito a concentração. O fato de prestar mais ou menos atenção influenciará sobre ganhar ou perder as brincadeiras, e nesse período de grande competitividade e sociabilidade essa característica conquista o interesse das crianças.

Os jogos de tabuleiro são ideais para esse ciclo, pois além da necessidade da atenção, necessita de respeito às regras para se funcionar. Conheça alguns jogos de tabuleiros muito divertidos nessa página.

PARA A QUARTA FASE (A PARTIR DOS 12 ANOS)


9. PARTICIPAR DE TEATRO


Nesse momento se chega naquela idade do pré-adolescente. A quarta fase, a partir dos 12 anos, também chamada de Operacional Formal constitui um período no qual os pré-adolescentes já fazem planos para o futuro, já lidam com questões mais complexas e abstratas, todavia sem deixar de ter lucidez e necessidade de brincar.

Uma ideia muito indicada nessa etapa é a de matricular seu filho em aulas de teatro, para não só aprender a falar em público a ter auto confiança, como também a lidar com as próprias emoções e questões da vida. Assim, durante a interpretação ele vive as emoções dos personagens das peças e começa a aprender mais sobre si mesmo e sobre a vida.

10. PRÁTICA DE ESPORTES





Claro que não ficaria fora dessa lista a prática de esportes, recomendada em todas as idades, ela trabalha a disciplina necessária para o desenvolver do foco, além de fazer a manutenção da saúde física.

Porém, nessa idade ela tem um função especial, pois ajuda na auto estima e na autoconfiança que são elementos muito importantes para superar os desafios da adolescência.

Muito bem! Se você chegou até aqui então você é um pai preocupado com o desenvolvimento e com a educação dos filhos! Parabéns! Não deixe de colocar em práticas nossas sugestões e continue aprendendo mais sobre outras atividades são indicadas para aprimorar a concentração na infância.

Se este conteúdo te ajudou, então não deixe de compartilhar com outras pessoas e nos ajude e levar conteúdo de valor para cada vez mais papais e mamães.

quarta-feira, 12 de agosto de 2020

13:56

Alimentação infantil e hábitos saudáveis

Quando se trata de educação, aprender com os modelos de comportamento é crucial. O que você diz também é importante, mas acima de tudo, seus filhos o medem por suas ações. Você aprende principalmente com a observação. Isso é muito mais memorável do que advertências, comandos ou proibições. Pois, são com esses comportamentos que fazem modular a alimentação e os hábitos saudáveis.

A observação começa na infância e continua até a adolescência. No entanto, como sua influência no comportamento alimentar de crianças pequenas é particularmente grande, você deve acostumar seu filho a uma dieta saudável o mais cedo possível.

Os hábitos da infância geralmente duram a vida inteira. Se o seu filho só bebe guaraná e come batatas fritas, é muito provável que continue a comer de forma pouco saudável mais tarde na vida - com as conhecidas consequências negativas para a sua saúde.

Nossa saúde é sempre um produto do nosso estilo de vida. Aqueles que têm uma dieta balanceada e não são viciados em televisão geralmente são saudáveis. Isso é exatamente o que devemos ensinar aos nossos filhos o mais cedo possível, ou seja, uma alimentação saudável, exercícios adequados e outros hábitos e comportamentos positivos. Mas qual é a melhor maneira de fazer isso?


bebê sem apetite


Como você ensina hábitos saudáveis?


Hábitos saudáveis ​​são ensinados na vida cotidiana. Porque as crianças sempre se orientam para os pais e outros cuidadores adultos. Devem, portanto, dar um bom exemplo. Existem algumas coisas simples que podem ser facilmente integradas à vida cotidiana em casa.

Por exemplo, você pode criar um plano de alimentação para a semana com as crianças. Todos podem fazer um desejo, de algo para acompanhar. Importante: Mesmo que haja pizza ou hambúrgueres no menu, os alimentos devem ser preparados na hora e idealmente juntos.

Portanto, o ideal é que você leve as crianças com você para fazer compras e pode usar o tempo no supermercado ou no mercado semanal para conversar com elas sobre a origem de todos os mantimentos - não sempre, é claro, mas quando há um pouco mais de tempo , então a curiosidade das crianças pode ser despertada rapidamente com algumas perguntas.

Comer de forma saudável significa comer conscientemente.


A forma de fazer compras também pode ser utilizada para ensinar hábitos saudáveis ​​às crianças. Por exemplo, se só precisa de algumas pequenas coisas, deixe o carro para trás e saia a pé ou de bicicleta. Porque uma vida saudável não inclui apenas alimentação saudável e exercícios, mas também a consciência do meio ambiente, da natureza e de como protegê-la e preservá-la.

Comer de forma saudável também significa comer conscientemente. Em muitas famílias, o jantar costuma ser a única refeição compartilhada. É por isso que deve ser feito por todos. Todos ajudam, preparam, cortam e cozinham, e comam juntos à mesa. Sem distrações como TV ou telefone celular.

Moldar o comportamento alimentar em bebês


Entre outras coisas, até mesmo o sabor dos alimentos é transportado pelo líquido amniótico, de modo que até os bebês em gestação podem conhecer uma grande variedade de nuances gustativas no útero. Posteriormente, durante a amamentação, o bebê entra em contato com tudo o que a mãe ingere; o sabor do leite materno varia de tempos em tempos.

As crianças que foram criadas exclusivamente com leite engarrafado muitas vezes têm dificuldade em se envolver com uma variedade de alimentos porque ainda não estão familiarizadas com tantos sabores diferentes.

Portanto, as mães têm uma grande influência nas preferências de gosto dos filhos desde o início. A amamentação e os alimentos complementares coloridos, portanto, dão uma grande contribuição para acostumar a criança a alimentos diferentes e, portanto, variados.

É assim que você pode influenciar o comportamento alimentar do seu filho.

Não fale sobre alimentação saudável


Os benefícios de longo prazo de uma dieta saudável são difíceis de transmitir aos adultos, e dificilmente às crianças. Portanto, não dê palestras para seu filho sobre alimentação saudável. Porque até as palavras "saudável" e "nutrição" podem desencadear resistência nas crianças. As crianças quase sempre têm o melhor sabor do que é considerado "não saudável".

Portanto, associam automaticamente “saudável” com “não gosto!” E, no pior dos casos, com paternalismo e coerção. Para eles, “saudável” significa: “Eu tenho que comer isso, embora não queira”. Evite avaliar os alimentos e não diga: “Coma os vegetais, eles são saudáveis”, mas sim: “Não tem nada no seu prato um pouco mais verde e vermelho, isso é chato. ”

Não use comida como recompensa ou punição! Com essa estratégia, você está enviando exatamente os sinais errados: a comida está sendo desacoplada dos estímulos naturais de fome e saciedade.

Comer juntos à mesa é importante para aprender o comportamento alimentar correto


Comer junto à mesa é essencial. Isso mostra às crianças que a comida e a comunidade familiar são importantes. É sobre comunicação, sobre vínculos. Quando mais a família inteira se senta junta? Mas evite conflitos e não discuta enquanto come, pois isso afetaria negativamente o ato de comer juntos. Crie um bom ambiente à mesa. Comer com alegria é a base de uma educação alimentar de sucesso.

Regras e rituais à mesa dão segurança às crianças e evitam o estresse. No entanto, as regras devem ser aplicadas igualmente a crianças e adultos.

Ofereça novas experiências gustativas que estimulem o comportamento alimentar do seu filho

Faça com que seus filhos estejam abertos a novas experiências de sabor. As crianças devem entrar em contato regularmente com novos sabores e, da próxima vez, o obstáculo será significativamente menor. Mas seja paciente, algumas crianças podem sentir o gosto depois de cinco a dez tentativas. É aconselhável combinar sempre pratos desconhecidos com pessoas conhecidas e queridas. Por isso, é sempre recomendado ter um manual das papinhas por perto.

Se seu filho não gosta de alimentos saudáveis, como vegetais, experimente diferentes variações. Por exemplo, ofereça os vegetais uma vez cozidos e outra vez crus como petiscos (com um molho). No entanto, as crianças não precisam de alimentos infantis especiais. Eles devem participar da dieta familiar normal.

Não force seu filho a comer nada específico ou uma quantidade definida. Desde cedo, ele deve aprender a ter confiança nesse aspecto e dizer por si mesmo quando estiver cheio. Você pode confiar que seu filho tem uma sensação saudável de plenitude. Então, em vez de ser forçado a comer, é hora de se divertir!

As crianças também comem com todos os seus sentidos. Um prato de comidas coloridas, verdes, vermelhas e amarelas automaticamente o seduz para saborear sua refeição. As crianças também gostam de comer com os dedos e preferem os vegetais crus aos cozidos. Use essas preferências para aumentar o apetite de seu filho por alimentos saudáveis.

Envolva seu filho


Inclua seus filhos no planejamento das refeições e nas compras. Isso lhe dará um maior apreço por tudo o que tem a ver com comida. Crie uma erva ou uma horta juntos. Isso desperta a curiosidade das crianças e permite que descubram alimentos saudáveis ​​com diversão.

Envolva seus filhos na culinária também. As crianças aprendem a valorizar mais os alimentos e como as refeições caseiras e frescas podem ser muito melhores. Com o tempo, eles rejeitam completamente a "uniformidade" que costuma ser apresentada a você.

E por último, mas não menos importante: apoie seus filhos no desenvolvimento de hábitos alimentares saudáveis ​​e confiantes - mesmo que seja uma jornada longa e às vezes estressante.

Aprender comportamentos alimentares corretos: crianças e doces - com o que você deve estar atento?


Acima de tudo, as crianças preferem doces. Isso é inato e você deve levar isso em consideração. No entanto, os doces não contribuem para o fornecimento de nutrientes. Pelo contrário, o consumo de muito doce é prejudicial. Seu filho deve, portanto, aprender urgentemente a estar ciente dos doces. Mesmo que os doces estejam presentes em cada esquina hoje, seu consumo definitivamente deve permanecer algo especial e não rotineiro.

Ao fazer um acordo irrevogável sobre quantos doces seu filho pode comer e em que ocasiões se aplica uma exceção, você pode encontrar um meio-termo entre saúde e gosto por doces. Proibições absolutas não são um bom caminho a seguir porque apenas tornam os doces mais atraentes.

quinta-feira, 23 de julho de 2020

13:07

Ar-condicionado: 5 dicas para manter o seu bebê confortável

Ar-condicionado rosa


A pergunta mais comum que todo novos pais têm em mente é: “O ar-condicionado é seguro para meu bebê?”

A resposta é SIM. Temperatura quente e úmida definitivamente não é boa para um bebé recém-nascido. Um bebê precisa de um quarto bem ventilado e arejado para um sono confortável e um crescimento saudável.

Assim, os pediatras recomendam manter os bebês em um ambiente com ar-condicionado desde que sejam observados alguns critérios.

Embora seja mais seguro usar o ar condicionado para manter o ambiente com o recém-nascido fresco, é importante que vocês pais tomem algumas precauções.

Pensando nisso, separamos algumas dicas para manter o seu bebê confortável.

Confira essas 5 dicas para manter seu recém-nascido confortável em um quarto com ar-condicionado


1. Temperatura ambiente ideal


Os bebês são muito sensíveis a uma pequena variação de temperatura. Temperaturas extremas podem torná-los inquietos e deixá-los desconfortáveis. Para evitar tais situações, continue monitorando a temperatura ambiente em intervalos regulares. Certifique-se de que a temperatura esteja entre 23 graus e 27 graus Celsius, dependendo do clima exterior.

2. Vista seu bebê direito


É sempre melhor evitar a exposição direta de ar frio em seu bebê, vestindo-o adequadamente. Seu bebê é pequeno demais para suportar o sopro direto do ar-condicionado e pode até ficar doente devido a isso. Para proteger seu bebê do ar frio, cubra-o adequadamente com roupas. Você também pode usar cobertores leves para cobri-los.

3. Fique atento a umidade do ar


O ar-condicionado geralmente tende a desumidificar o ambiente e pode reduzir a umidade da pele do bebê. Portanto, é essencial manter a umidade da pele do bebê. Aplique hidratante para bebês em intervalos regulares para manter a pele macia e suave. Você também pode manter uma tigela de água na sala em algum lugar perto do ar-condicionado. Isso ajudará a equilibrar a umidade no ar.

4. Mantenha a manutenção e limpeza do seu ar-condicionado em dia


Quando você tem um recém-nascido em casa, deve ter cuidado extra, com tudo. A manutenção regular do seu ar-condicionado é muito essencial. Como a poeira e outros itens tóxicos coletados no filtro do ar-condicionado são prejudiciais ao seu bebê, é melhor fazer a manutenção e a limpeza do aparelho em intervalos regulares, limpar o aparelho, além de preservar a saúde, pode ajudar economizar energia

5. Não mude bruscamente de ambiente com temperaturas diferentes


Tirar seu bebe de um ambiente com ar-condicionado e levá-lo para um ambiente quente repentinamente pode afetar muito a saúde do bebe. É sempre melhor desligar o aparelho e aguardar algum tempo para que ele se acostume com a temperatura externa antes de sair.

terça-feira, 14 de julho de 2020

16:19

Crônica dos gêmeos no útero: você acredita em vida após o parto?


a crônica dos gêmeos no útero
A crônica dos gêmeos no útero


Saiba como a crônica dos gêmeos no útero pode nos ajudar a entender a vida após a morte

Você conhece a crônica dos gêmeos no útero? Ela pode nos fazer perceber sobre a limitação que temos sobre a vida após a morte.

Nela, dois gêmeos conversam no útero de sua mãe, quando perguntam-se a respeito da existência ou não de uma vida após a estadia no útero.

A Vida após a Morte


Essa história é uma analogia perfeita com a vida após a morte, algo tão incompreendido por nós, especialmente nos tempos de hoje.

Após ler essa pequena história, podemos entender como nossa visão sobre aquilo que não é terreno é limitado.

Aqueles dois bebês, que viam apenas aquele espaço limitado do útero, se perguntavam se existiria algo fora daquela realidade.

Esses somos nós: nos perguntando algo que já está muito claro para aqueles que possuem uma vida espiritual mais desenvolvida.

Nossa caminhada aqui na terra é um espaço muito pequeno perto da trajetória de nossas almas, que poderão viver eternamente no céu.

A Caverna de Platão


Existe uma história muito famosa na filosofia. Ela nos faz perceber como as vezes somos iludidos pela realidade ao nosso redor.

Essa história é chamada de “a alegoria da caverna”, de Platão. Ela pode ser encontrada em seu livro mais famoso, ‘A República’.

Nessa história, alguns homens vivem em uma caverna, onde a luz do Sol bate apenas indiretamente, fazendo com que eles vejam apenas sombras.

Quando um dos habitantes da caverna decide se aventurar no mundo de fora, ele vê um mundo muito mais completo: cheio de cores, vida e liberdade.

No entanto, quando ele volta para falar das maravilhas do mundo exterior aos seus amigos, eles ficam incrédulos, achando que ele está louco.

Esses somos nós: quando ouvimos alguém falar sobre o céu e com a vida após a morte, agimos igual os bebês que se perguntavam se havia vida após o parto.

É preciso saber que há algo fora de nossa existência terrena, que muitas vezes é incompreendido por nós.

“Existe muito mais entre o céu e a terra do que nossas vãs filosofias” – William Shakespeare

O que a Bíblia nos Fala?


A Bíblia é a forma na qual Deus conseguiu nos transmitir os Seus ensinamentos. São diversos livros compostos com mensagens de todas as formas.

Entre essas mensagens importantes, vemos algumas a respeito da vida no céu: ela nos deixa claro que existe algo após a nossa vivência na terra.

Depois de mortos, seremos julgados de acordo com nossas ações, e Deus verificará se somos merecedores do descanso eterno ao Seu lado.

Uma vez nesse repouso, haverá apenas alegria e perfeição, como Ele preparou desde o início dos tempos.

Estaremos de volta à casa do Pai, onde ele sempre nos esperou.

Como chegar à Vida após a Morte?


As Sagradas Escrituras também nos dão instruções muito claras a respeito do que devemos fazer para chegarmos ao céu.

Nos Evangelhos, onde se fala da vida de Jesus Cristo, vemos que Ele nos dá diversos ensinamentos para que cheguemos à vida eterna.

Talvez o ensinamento mais importante de Cristo seja esse:

Ame o Senhor, o seu Deus de todo o seu coração, de toda a sua alma e de todo o seu entendimento'. Este é o primeiro e maior mandamento. E o segundo é semelhante a ele:  Ame o seu próximo como a si mesmo. Mt 22:37-39

Ou seja: devemos amar a Deus, e isso significa viver Seus ensinamentos e fazer aquilo que Ele julga correto. Só assim viveremos no caminho da retidão.

Além disso, não devemos guardar essa fé para nós mesmos: devemos, através de nossas ações, mostrar para todos que fazemos o bem por nossa fé em Jesus.

Jesus também nos diz que devemos pregar o Evangelho aos quatro cantos do mundo: “Ide e pregai o Evangelho a toda criatura”. Mt 16:15

Portanto, não podemos ficar calados diante da Verdade. Precisamos espalhar o Evangelho pelos quatro cantos desse mundo. 

Como é a Vida após a Morte?


A Bíblia nem sempre nos fala das coisas diretamente, então não sabemos exatamente os detalhes da glória que nos espera no paraíso.

No entanto, alguns trechos são bem claros, falando que estaremos com toda a legião dos eleitos de Deus, aqueles que fizeram o bem na terra.

No paraíso, teremos apenas a glória de Deus tomando conta do lugar. Seremos verdadeiramente livres, libertos de nossas paixões mundanas.

O pecado não fará mais parte de nossa realidade, pois viveremos gloriosamente ao lado do Pai, do Filho e do Espírito Santo.

Isso pode ser difícil de conceber, mas é assim o descrito na Bíblia. Podemos ter a esperança de uma vida melhor no céu se vivermos adequadamente na terra.

Como viver bem a Vida na Terra?


Podemos citar diversos exemplos de grandes pessoas que fizeram a vontade de Deus:

  • Abraão, que teve uma fé inabalável, obedecendo em tudo aos ensinamentos do Pai, tendo se tornado o pai de todas as nações;
  • Moisés, que, mesmo com suas limitações, aceitou a missão de guiar o povo hebreu rumo à terra prometida;
  • Davi, um jovem menino que foi coroado através da graça abundante de Deus, e, mesmo cometendo erros, foi um governante justo e bondoso;
  • Paulo apóstolo, que espalhou a palavra de Cristo aos quatro cantos do mundo após sua conversão, mesmo tendo perseguido os cristãos anteriormente.

Esses são exemplos que nos ajudam a nos guiar nesse mundo tão tomado pelo mal e pelo egoísmo. Eles são como luzes em direção à Verdade.

Você Acredita em Vida após o Parto? (Resumo)


  • A história ‘crônica dos gêmeos no útero’ fala de dois gêmeos que acham que a vida no útero é a única que existe;

  • Ela nos mostra como temos uma concepção limitada da vida eterna, achando apenas que a realidade material é que existe;

  • Existe uma história similar chamada ‘alegoria da caverna’, onde um habitante que vivia numa caverna vai para o mundo exterior e descobre suas maravilhas;

  • A Bíblia descreve para nós que há uma vida eterna, e que ela nos permite viver ao lado de Deus para sempre;

  • Participaremos dessa vida eterna se seguirmos os ensinamentos que Cristo nos deixou nos evangelhos, como o de amar a Deus sobre todas as coisas e fazer o bem ao próximo;

  • Nas Escrituras, vemos vários exemplos de pessoas que viveram uma vida íntegra ao lado de Deus, e que podem nos servir de exemplo e inspiração.
15:49

6 dicas para decorar o quarto do bebê



Decorar o quarto de um bebê pode ser muito divertido, mas também pode ser uma fonte de estresse se você não tiver ideias claras do que deseja fazer, pois há diversas opções no mercado, desde as cores, papéis de parede, móveis, abajur, etc.

Há vários detalhes a se considerar antes de começar a decoração, como exemplo, a idade do bebê ou criança, se o quarto deve ser compartilhado com outros irmãos e as atividades que você deseja que sejam realizadas nessa área.

Depois de esclarecer as perguntas acima, você deve escolher qual espaço do será ocupado pelo bebê.

Recomenda-se que você faça uma lista com os móveis e os elementos essenciais, entre eles você pode incluir: berço, trocador, guardar roupas, espaço de armazenamento ou uma cadeira confortável para passar o tempo perto do bebê, elementos decorativos como fotografias de personagem ou do seu ensaio gestante, etc.

Claro, tudo isso vai depender das suas preferências, do espaço que você tem e do seu orçamento.


Dicas para decorar o Quarto do Bebê



1. Quando começar?


Você não deve esperar muito para começar a decorar o quarto do bebê. À medida que a gravidez avança, será mais difícil e desconfortável trabalhar nisso. Portanto, é recomendável que você inicie esta tarefa por volta do quarto ou quinto mês de gestação.

Você pode querer saber o sexo do bebê antes de escolher as cores da sala. No entanto, uma sala unissex com cores harmônicas e suaves, é sempre uma boa opção, como exemplo, bege, amarelo claro, etc.

Para começar, você pode usar outros quartos de bebê como referência ao pesquisar na internet, lembrando que não é necessário copiá-los, eles podem servir apenas de inspiração.


2. Os móveis que seu bebê precisa


Você pode escolher móveis conversíveis para acompanhar o crescimento da criança.

Normalmente, os móveis básicos encontrados no quarto do bebê são o berço ou a cama, um trocador e um guarda-roupa.

Ter espaço de armazenamento é muito importante e é preferível se houver vários compartimentos no cômodo. Uma cômoda com gavetas e algumas prateleiras, ou, um armário embutido será suficiente.

O trocador pode ficar em uma cômoda, dessa forma você aumentará o espaço no quarto. As medidas ideais para esta peça de mobiliário têm 90 centímetros de altura e 55 centímetros de profundidade.

À medida que o bebê cresce, caixas ou baús podem ser adicionados ao cômodo, onde brinquedos ou outros objetos podem ser armazenados.

Aconselho você a não encher o quarto com móveis. Coloque apenas o essencial e adicione itens conforme necessário.

Uma cadeira confortável também é essencial para que a mãe possa alimentar o bebê, ou simplesmente para passar um tempo perto dele.

Ao comprar o berço, você tem várias opções. Você pode escolher um berço tradicional ou comprar uma cama conversível, ou seja, com barreiras e que mude sua estrutura, para que o bebê possa usá-lo por mais tempo.

Lembre-se de que o berço deve ter uma distância correta entre as barras, que varia entre 4,5 e 6,5 centímetros. Além disso, ele deve ser feito de materiais não tóxicos; se tiverem rodas, eles deverão ter travas para evitar que saia do lugar, ter um colchão adequado e uma largura mínima de 60 centímetros e pelo menos 20 centímetros mais longos que o bebê.


3. Escolha a cor do quarto


Recomenda-se cores suaves para o quarto de bebês, pois as mesmas proporcionam tranquilidade e ajudam o bebê a dormir melhor. Alguns, como bege ou cinza claro, estão entre os mais utilizados e são adequados para meninos e meninas.

As paredes também podem ser decoradas com papel de parede e fotos, o que dará um toque único e original ao quarto.

Não é necessário usar muitas cores, basta escolher uma cor e usar elementos decorativos para torná-la mais alegre.


4. Não se esqueça da iluminação


A iluminação nos quartos é muito importante. No quarto do bebê, você pode colocar uma luminária de teto e uma luminária de chão ou sobre uma mesa, para ter uma luz mais fraca e indireta.

Também é necessário colocar cortinas para evitar que muita luz entre na janela, pois isso pode perturbar o bebê durante o dia em que ele está dormindo.


5. Coloque tapetes, edredons, almofadas …


Os tapetes, edredons, almofadas ou cortinas, enfim, o enxoval completo, são os elementos encarregados de dar um toque de cor ao quarto, mas é preciso incluí-los na decoração de acordo com a idade do pequeno, caso o bebê seja recém-nascido, ou, ainda não tenha atingido a idade de 9 meses, os travesseiros não são necessários, para evitar o risco de sufocamento.

Dos 9 meses a 1 ano, você pode colocar travesseiros fininhos. Lembrando que nesses períodos, os cobertores também devem ser de acordo com o tamanho do bebê, e não podem ser muito pesados.

Texturas diferentes podem ser usadas nos tecidos e materiais que você escolher para os tapetes ou almofadas. Dessa forma, a criança também descobrirá novos elementos que despertaram seu interesse pelo ambiente.

É recomendável escolher tapetes laváveis, pois quando o bebê começar a engatinhar, período em que ele entrará em contato com o chão.


6. Crie um espaço seguro para seu bebê


Ao preparar o quarto do bebê, lembre-se de que deve ser um espaço seguro onde o bebê, à medida que cresce, pode explorar seu ambiente com segurança.

Para isso, use tintas não tóxicas, proteja as tomadas, tente manter os cantos dos móveis nivelados, mantenha o espaço sempre limpo e use barreiras quando necessário.

Confira mais algumas dicas de decoração no texto Como Decorar um Quarto de Bebê o texto mostra como deixar o quarto do seu filho impecável.

E você? Já decorou o quarto do seu filho? Se sim, compartilha as fotos aqui com a gente. 

sexta-feira, 10 de julho de 2020

16:13

5 maneiras de ajudar seu filho a lidar com seu divórcio

maneiras de ajudar seu filho a lidar com seu divórcio

Um divórcio afetará todas as crianças envolvidas, gostemos ou não. Dependendo do processo e da circunstância da separação, a situação afetará a criança de maneira diferente. É seu trabalho como pai explicar, orientar e oferecer apoio ao seu filho durante esta situação difícil. Não há uma maneira fácil de dar a notícia a ninguém, mas com a abordagem correta, sua família pode passar pelo divórcio sem nenhuma dificuldade.

Aqui estão 5 maneiras de ajudar seu filho a lidar com seu divórcio:

RECONHEÇA SEUS SENTIMENTOS


Depois de contar as novidades, aceite a reação do seu filho. Incentive a honestidade e informe-o de que seus sentimentos e opiniões são importantes, válidos e serão levados a sério.

Faça questão de ouvir o que ele tem a dizer. Permita que ele expresse seus sentimentos antes de oferecer maneiras de melhorar as coisas. Com crianças mais novas, é importante ajudá-las a expressar seus sentimentos em palavras.

OFERECER ORIENTAÇÃO E SUPORTE


Depois que eles expressarem seus sentimentos, é importante mostrar seu apoio. Pergunte a eles se há algo que você possa fazer para melhorar as coisas - dê um passeio juntos, tome um sorvete ou fique sozinho por um tempo. Seja paciente ao responder perguntas e explicar os próximos passos que planeja tomar.

MANTENHA DISCUSSÕES SÉRIAS LONGE DAS CRIANÇAS


Quando estiver na frente de seu filho, tente manter as interações com seu ex o mais civilizadas possível. Evite discussões acaloradas ao alcance da voz e recorra a e-mails ou a uma reunião fora de casa, se for necessário, outra coisa importante é jamais praticar alienação parental.

MANTENHA-SE SAUDÁVEL


O divórcio pode ser especialmente difícil para os pais que se separam, pois é uma situação altamente estressante. Há a questão da guarda, condições de vida, questões financeiras, como pensão alimentícia e muito mais. Certifique-se de cuidar de si mesmo no processo. Manter-se mental e fisicamente saudável é importante para toda a família e garante que você ainda possa cuidar do seu filho.

CONSIDERE OBTER AJUDA


Você não precisa passar por isso sozinho. Como seu filho, você também precisa do apoio de pessoas em quem confia e ama. Cerque sua família com amigos e parentes que podem ajudar a aliviar a situação. Isso também permite que seu filho se sinta seguro em seu ambiente, apesar da separação.

Lembre-se de que a maneira como você responde à situação afeta a maneira como seu filho receberá as notícias. Siga estas 5 maneiras de ajudar seu filho a lidar com seu divórcio. Dê suporte em tudo que seu filho precisar, nessa hora todos precisam de apoio e proteção, desde a vovó da casa até o gato precisa de proteção, então, proteja todos.

segunda-feira, 6 de julho de 2020

20:14

Os 7 principais cuidados com o bebê recém nascido em casa

 cuidados com o bebê recém nascido
Cuidados com o bebê recém nascido  

Um bebê em nossas vidas é um acontecimento muito especial, principalmente para a mamãe que quer saber todos os cuidados que deve ter com o pequeno recém-nascido.

São tantos os mitos e as verdades em torno dos cuidados que acabam confundindo ou até mesmo deixando a mãe receosa sobre suas atitudes e ações, principalmente as de primeira viagem.

Pensando nisso, o texto a seguir foi preparado para auxiliar você com a chegada do bebê, esclarecendo as principais dúvidas acerca dos 7 principais cuidados com o recém nascido em casa, não deixe de ler!

1) Protegendo o recém-nascido da síndrome da morte súbita


A síndrome da morte súbita do lactente é a morte súbita e inexplicável de um bebê com menos de 1 ano de idade. A maioria dessas mortes está associada ao sono, e é por isso que às vezes ainda é chamada de "morte do berço".

A falta de respostas faz parte do que a torna tão assustadora. A Síndrome da morte súbita é a principal causa de morte entre bebês de 1 mês a 1 ano de idade e permanece imprevisível, apesar de anos de pesquisa.

Mesmo assim, esse risco pode ser bastante reduzido. Mais importante: bebês com menos de 1 ano de idade devem ser colocados de barriga para cima para dormir - nunca com o rosto para baixo, de barriga para baixo ou de lado. Dormir de barriga para baixo ou de lado aumenta o risco.

Para evitar sufocamento ou asfixia, sempre coloque seu bebê para dormir em um colchão firme ou superfície em um berço. Tudo o que o berço do seu bebê precisa é o lençol adequado - não coloque cobertores, colchas, travesseiros, brinquedos de pelúcia ou amortecedores no berço do bebê.

Se puder tenha um berço portátil que pode ser colocado ao lado da cama dos pais no primeiro mês de vida. Não faça cama compartilhada com um bebê recém-nascido.

2) Protegendo o recém-nascido das assaduras


A melhor forma de evitar a dermatite de contato ou a popularmente conhecida assaduras, é realizando as trocas de fraldas com frequência. Isso mesmo, não é hora de economizar e o bebê recém nascido deve estar sempre sequinho e com a fralda limpa.

Isso fará com que o bebê não permaneça sujo por muito tempo, pois a pele em contato com o xixi e o cocô favorece o aparecimento de irritações na pele, ainda mais por se tratar de uma área muito sensível.

Faça sempre a cada troca de fraldas a higienização da região do “bumbum” e das partes íntimas do RN sempre com algodão e água morna e, quando ele fizer cocô, lave com água e sabão próprios.

Se possível, evite o uso frequente de lenços umedecidos, pois podem fazer com que o bebê fique com a pele irritada ou desenvolva uma alergia.

E sempre que você finalizar a limpeza da região, aplique um pouco de pomada contra assaduras, sempre com indicação do pediatra.

3) Saiba a frequência que deverá levar o bebê ao pediatra

Outro item quem pode gerar dúvidas na recém mamãe é a frequência em que ela deverá levar o recém-nascido ao pediatra.

A primeira ida ao pediatra deverá ocorrer após a primeira semana de vida da criança e logo após essa primeira ida, as demais deverão ocorrer mensalmente, até ele completar 6 meses.

Já a partidos dos 6 aos 12 meses, essa ida passa a ser bimestral e a partir dos 2 anos, as consultas passam a ser por semestre e, a partir dos 5 anos, uma vez ao ano.

Mas lembre-se de que esta é uma regra generalizada, não se aplicando a todas as situações.

Pois sabemos que cada criança demanda um tipo de cuidado e esta regra vale somente para aquelas que não apresentam algum problema de saúde.

E somente o pediatra é quem saberá o cronograma de consultas do seu bebê corretamente.

4) Pele


O próximo cuidado com o recém-nascido é em relação a higienização da sua pele, uma vez que sabemos que ela é muito frágil e sensível principalmente nos primeiros meses.

Evite o uso de produtos de higiene que não sejam próprios para a idade da criança e dê preferência a produtos não tóxicos, e neutros.

A higienização das partes intimas como já vimos, deverá ser realizada somente com água e algodão.

Evite o uso de produtos industrializados e utilize um sabonete suave, com enxágue abundante em seguida poderá ser feito quando for necessária troca de fraldas.

5) Umbigo do recém-nascido


A higienização do umbigo do recém-nascido é algo que gera medo na mamãe e nos familiares ao seu redor, afinal crescemos ouvindo vários mitos e superstições a respeito.

Por se tratar de uma parte muito sensível nos bebês, o coto umbilical pode acumular secreções caso você não mantenha a região limpa.

Os pediatras recomendam que se faça uma higienização do local pelo menos três vezes ao dia ou sempre que fizer a troca de fraldas.

Então, faça a limpeza do coto umbilical com álcool 70% e cotonetes flexíveis de algodão, sempre com movimentos suaves, pois é uma região muito delicada.

Geralmente com uma ou duas semanas, o umbigo cai, porém, a desinfecção da área deve ser mantida até ordem do pediatra.

6) As mãos e unhas


Outro cuidado que devemos ter com o bebê recém-nascido é em relação as mãos e unhas dos pequenos, pois são áreas que assim como o umbigo, precisam de atenção e limpeza.

Essa atenção e limpeza é necessária pois os bebês levam muito as mãos a boca e por este motivo mantenha as unhas sempre limpas e curtas.

7) A hora do banho


Ao dar um banho em um recém-nascido, é importante zelar pela segurança e o prazer, então veja algumas dicas que vão ajudar o processo e tornar este momento prazeroso:


  • Escolha sempre o mesmo horário e o melhor momento para dar o banho;
  • Use sempre produtos neutros;
  • Inicie o banho lavando o rostinho somente com água e siga pela cabeça e o resto do corpo, dando atenção especial ao coto umbilical;
  • Ao terminar o banho, seque o bebê com uma toalha macia, com calma e cuidado.


Conclusão


Enfim para finalizarmos, vamos saber quando o recém-nascido já poderá sair para passear.

O recomendável é que ele permaneça em casa nos primeiros 30 dias e recebendo poucas visitas nesse período. Após as primeiras vacinas o bebê já pode dar voltinhas por um parquinho ou pracinha próximos de casa.

E para os que nasceram a termo, com peso ideal, estão liberados após o terceiro mês de vida, especialmente se o clima estiver favorável e para os prematuros ou que nasceram com baixo peso, necessitam da autorização e do pediatra.

Gostou das dicas? Deixe seu comentário e não esqueça de compartilhar esse artigo em suas redes sociais.

Artigo escrito por: Equipe Petit Papillon Bebê & Criança
Cupom de desconto workana de R$ 100,00

Sobre o Babyou Blog

babyouBlog destinado a divulgar, com linguagem simples, notícias e artigos relacionadas a crianças e mamães e gestantes, eventualmente publicaremos outros tipos de assuntos também.
Leia mais →



Assinar Newsletter

Insira o seu e-mail abaixo para receber conteúdo VIP atualizado, diretamente no seu e-mail.