quinta-feira, 19 de dezembro de 2019

11:00

Brinquedos e brincadeiras para dias chuvosos

criança vendo a chuva

Está chovendo, e agora?!

É muito comum os pais fazerem essa pergunta quando se trata de entreter e divertir as crianças em dias de chuva. Ficar na frente da televisão não é uma opção muito saudável e é necessário ter muita criatividade para manter as crianças em atividades durante um período mais longo, dado que as mesmas tem muita energia para gastar.

Sugerimos aqui algumas maneiras de entreter as crianças com alguns brinquedos educativos, conciliando diversão e aprendizado. Então junte a criançada e vamos começar!

Jogos


Os jogos são uma excelente opção para esses dias e tem de todos os tipos e gostos, dos mais simples aos mais complexos. Além de divertir e distrair a criançada, eles também, dependendo do jogo, trabalham a cognição, raciocínio lógico, coordenação motora, sociabilização, trabalho em equipe, entre outras coisas. Podem ser eles:

Jogo de Quebra-Cabeça – Montar um quebra-cabeça pode ser muito divertido, além de estimular a concentração, percepção visual, noção espacial, atenção, desenvolvimento físico, psicológico e também psicomotor.

Para a brincadeira ficar ainda mais divertida, as crianças podem montar seu próprio quebra-cabeça, utilizando de figuras prontas, ou desenhando elas mesmas algo em uma cartolina por exemplo.


Jogos de Tabuleiro – São ótimos para trabalhar o conhecimento e criação de regras, desenvolvem raciocínio lógico, atenção e concentração. Os mais conhecidos são: Banco Imobiliário, Detetive, Jogo da Vida, mas existem vários outros para reunir a criançada e também a família.

Jogos de Cartas – Com certeza o que vem na mente são o tradicional Uno e Jogo da memória, que além de desenvolver a memória, atenção, concentração, reflexo rápido são muito divertidos e podem ser jogados de outras maneiras. Basta utilizar a imaginação.
No caso do Jogo da Memória por exemplo, ao invés das tradicionais cartas, pede-se a criança que observe um local ou cômodo da casa onde tenha muitos objetos, retire-os do local, mudar as coisas de lugar e depois pedir que ela se recorde onde estava tudo.

Jogos e Brinquedos de Encaixe – Para os menores os joguinhos de encaixe como blocos, pinos ou objetos para empilhar são muito interessantes. Trabalham a construção e desconstrução, coordenação motora, cores e formas, sem falar que as crianças nessa idade adoram derrubar peças empilhadas para reconstruir suas torres e recomeçar a brincadeira quantas vezes quiser.


Utilizando a Imaginação



Quando se trata em dia de chuva a imaginação tem que ser ativada em potência máxima. As horas parecem não passar e as atividades cansam rápido, fazendo com que as crianças se entediem com as mesmas brincadeiras. No campo do Faz-de-Conta e da imaginação existem várias maneiras de entreter as crianças e de trabalhar aprendizados não só motores e cognitivos, mas emocionais também. Vejam estas sugestões:
Contação de Histórias – Incentivar o hábito da leitura é muito importante para o desenvolvimento de uma mente saudável, e uma forma divertida de estimular esse hábito é reunir a criançada para contar histórias, que pode ser de um livro, pode ser uma história clássica como as dos contos de fada, ou fazer com que as crianças criem suas próprias histórias.

Teatro de Fantoches – A imaginação corre solta quando se trata de fantoches, atividades com bonecos e objetos em miniaturas. As crianças adoram manipular os personagens e suas ações, criando cenários próprios ou que representem o seu cotidiano.

Para ficar ainda mais divertida a brincadeira as crianças podem confeccionar os seus próprios fantoches, utilizando meias velhas, canetinhas, restos de lã e com os fantoches prontos é só se jogar na brincadeira.

Brincadeira da Mímica – Uma brincadeira muito divertida que através dos gestos estimula e desenvolve consciência corporal, trabalha a expressividade e representatividade nas crianças. Pode ser usado palavras como nome de filmes, animais, pessoas famosas.

Divida as equipes, realize um sorteio com papeizinhos, determine o tempo e comece a brincadeira. Lembre-se que a regra principal é não falar.


Brincadeiras com Recicláveis



A atenção para a consciência ambiental faz parte do mundo moderno e está muito presente nos dias de hoje. Estimular essa consciência nas crianças é muito importante e fazê-la de forma lúdica através de brinquedos e brincadeiras ajuda a desenvolver essa atenção de forma mais natural e divertida, e podem ser realizadas pelas crianças não somente em dias de chuva, mas se tornar um hábito saudável e comum em suas vidas.

Jogo de Boliche – Mira, precisão, noção espacial, coordenação, são os aprendizados desenvolvidos por essa brincadeira tão divertida. E é muito simples fazer em casa utilizando garrafas pets de 600ml com um pouco de água dentro e uma bola feita de meia. Chame a criançada para ajudar e colorir as garrafas e pronto, é só começar a brincadeira.

Bilboquê – Um brinquedo bem tradicional e divertido, ajuda no desenvolvimento da coordenação motora fina, destreza, trabalha o desafio e que também pode ser feito com material reciclável.

Basta pegar uma garrafa pet de 2 litros, cortar o gargalo na altura do rótulo, lixar ou colocar uma fita adesiva para segurança das crianças. Amarre uma ponta de um barbante no gargalo e a outra em outra tampinha e pronto!! Só chamar a criançada e lançar o desafio.

Jogo de Damas – Esse jogo está presente há muitas gerações, é ótimo para estimular o desenvolvimento cognitivo das crianças e é muito fácil de fazer com materiais recicláveis.

Para confeccionar é necessário um quadrado de caixa de papelão, tampas de garrafas pets, tinta e canetinhas. Faça a marcação no quadrado de papelão com as canetinhas, pinte as tampinhas para que fiquem todas na mesma cor (lembrando que são dois jogadores e uma cor para cada jogador) e está pronta mais uma brincadeira para um dia de chuva.

Com estas sugestões dá para entreter por horas a criançada em um dia chuvoso, e mais ainda, dá para divertir e reunir a família toda tirando toda a atenção dos eletrônicos, videogames, tvs e celulares não só das crianças, mas também dos pais. Investir no exemplo é o primeiro passo para um desenvolvimento saudável, divertido e criativo, longe das influências eletrônicas que dominam o mundo moderno.

terça-feira, 3 de dezembro de 2019

20:07

As quatro crises do crescimento dos bebês

Seu filho enfrenta problemas para dormir, se alimenta mal e anda agitado? Pode ser que ele esteja atravessando uma crise comum à fase em que se encontra.


Primeiro trimestre: período simbiótico


Como começa a crise do primeiro trimestre?

A chegada aos 3 meses é um momento tão marcante que alguns autores falam de dois nascimentos: o biológico, que é o dia do parto, e o psicológico, que acontece quando o bebê completa 3 meses. Esse primeiro trimestre de vida é o que se chama de período simbiótico. “Para a criança, mãe e filho significam uma única palavra ‘mãefilho’. É assim que ela entende: como se fossem uma única pessoa”, diz, brincando, Leonardo Posternak, pediatra de São Paulo. A partir dos 3 meses, o bebê passa a olhar no olho da mãe, começa a se divertir, imita alguns gestos. Ele começa a sentir que a mãe não é só um bico de peito e, assim, começa a construir a imagem do outro. “É nesse período que a criança percebe que não está enroscado no tronco da árvore – que é a mãe. Ele está perto da árvore. Entende que precisa chamá-la para ter o que necessita – leite, colo ou fraldas limpas. Nessa hora, bate a ansiedade. É como se ela pensasse: ‘E agora? E se eu chamar e ninguém escutar? E se esse outro vai embora, o que eu faço?’ É aí que começa a crise”, explica o especialista.
Como saber se o filho está passando por uma crise?
A melhor maneira é ouvir o pediatra. “Algumas mães chegam ao consultório reclamando que há três dias o filho estava ótimo e, de repente, não quer mais mamar e tenta se afastar quando elas dão o peito. Outras reclamam que o bebê estava dormindo bem, mas, depois dos 3 meses, isso mudou. Ele acorda várias vezes chorando”, diz o pediatra. “Há ainda as mães que reclamam que o bebê fica agitado sem motivo. Não quer ficar no colo, no berço, no bebê-conforto. Parece não estar confortável com nada que é oferecido”, continua. As queixas normalmente são parecidas e o seu pediatra saberá dizer se o bebê está com algum problema de saúde ou atravessando uma crise.
Quanto tempo dura a “crise do fim do período simbiótico”?
Essa crise dura em torno de 15 dias.
Nesse período, os bebês precisam ser medicados?
Não. Quando a criança atravessa uma crise, é muito importante que ela não seja medicada. “As mães sempre chegam ao consultório achando que a razão do desconforto tem algum aspecto orgânico: cólica, falta de leite, dente nascendo. Então explico que se trata de uma crise, um momento excelente para o crescimento”, ensina Posternak.
O que os pais devem fazer durante a crise?
Eles devem ficar calmos e entender que esse período vai passar. “Conhecendo os sintomas, os pais precisam dominar a ansiedade para que a criança não tenha que atravessar esse momento complicado num ambiente angustiante. Lembre-se de que o seu bebê precisa passar por essa crise para poder crescer”, explica o pediatra.

Entre 5 e 6 meses: formação do triângulo familiar

Como começa a crise da formação do triângulo familiar?
Por mais que o pai tenha sido presente e ativo desde o nascimento do bebê, ele não teve uma relação tão simbiótica com o filho. Isso se dá por inúmeros motivos. Até mesmo porque ele não dispõe dos meses de licença-maternidade para ajudar nessa proximidade. Então, por volta do sexto mês de vida, o bebê, que já conhece a mãe, começa a reconhecer a figura do pai, dando início à formação do triângulo – e da crise.
Que sintomas a criança apresenta nessa crise?
“A criança tem um pouquinho de transtorno do sono e o apetite diminui um pouco”, diz o pediatra Leonardo Posternak. Mas essa crise costuma afetar mais as mães do que os bebês. “Nessa fase, a mãe se dá conta de que, para o filho ser saudável e feliz, ele precisa ter uma relação triangular e não uma relação de cordão umbilical com ela. Afinal, ninguém quer que o filho seja dependente a vida toda. É necessário que alguém corte essa simbiose. E esse é o papel do pai”, explica.
Com 6 meses, nascem os primeiros dentinhos. Essa etapa se confunde com a crise?
“Sim. Às vezes, isso acontece. As duas fases se confundem porque a dentição incomoda, dói e torna a criança aparentemente mais agressiva”, afirma o pediatra.

Oito meses: separação ou angústia

Essa crise acontece sempre no oitavo mês?
Não exatamente. Essa é a crise do terceiro trimestre. “Embora seja incomum, algumas crianças começam a dar sinais da crise com 6 ou 7 meses. Outras mostram sintomas de angústia com 9 meses. Mas na maioria dos casos isso acontece mesmo no oitavo mês”, explica o pediatra Leonardo Posternak.
Por que os pediatras dizem que essa é a crise mais significativa de todas?
“Porque essa é a que dura mais tempo e o transtorno do sono é muito acentuado: a criança pode chegar a acordar 15 vezes durante a noite, desperta muito assustada, com um choro intenso. Alguns pais ficam tão assustados que pensam que a criança caiu do berço porque é um choro diferente, desesperado”, esclarece o pediatra.
Quanto tempo dura a crise da angústia?
Demora um pouco mais que as outras: três ou quatro semanas.
Os pais devem levar a criança para dormir na cama deles?
O ideal é que o bebê durma no seu berço ou carrinho desde os primeiros dias de vida. “Dormir na mesma cama se dá mais por ansiedade dos pais do que por necessidade dos bebês. E os pais não dormem tranquilamente, pois ficam com medo de sufocar o filho. Sem contar que isso pode ocasionar um afastamento na vida conjugal”, explica Ana Paula Cargnelutti Venturini, mestre em psicologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Além disso, segundo Ana Paula, a prática pode levar a criança a ficar muito dependente dos pais, buscando uma atenção cada vez maior.
Nessa fase, quando a criança chora de madrugada, é a mãe quem deve atender?
De preferência, sim. O pediatra Leonardo Posternak explica a razão: “Na fantasia do bebê, ele acha que, quando a mãe apaga a luz e fecha a porta, não volta nunca mais. Então, se ele chora durante a noite e é atendido pelo pai ou pela babá, acredita que a mãe não voltará mesmo”. A criança precisa passar por isso para ir entendendo que a presença da mãe pode ser seguida de ausências. “Nessa fase, é oportuno que não ocorram trocas dos cuidadores. Além de acordar assustado, o bebê pode reagir à presença de estranhos, chorando ou estranhando o colo”, reforça Ana Paula Cargnelutti Venturini. “A mãe deve tentar acalmá-lo no próprio berço para não alterar substancialmente sua rotina”, ela sugere.
Quais os sintomas da crise da angústia?
Basicamente os mesmos das outras crises: alteração do sono, perda de apetite e agitação. “O sono é o que mais perturba. Além disso, a criança come muito mal, pior do que nas outras fases. E às vezes faz até pequenas greves de fome”, comenta Posternak.
Qual a importância do objeto de transição nessa fase?
Nesse período de angústia, a criança começa a se apegar a algum objeto: pode ser um paninho, uma chupeta específica, um brinquedo. “Esse objeto representa a mãe e é bom que ela brinque com o ursinho, por exemplo, que dê beijo, que deixe nele o seu cheiro. Isso vai ajudá-la a entender que à noite as coisas não desaparecem. A mãe pode sumir, mas o objeto continua ali e vai estar com ele quando acordar. Isso ajuda o pequeno a entender que esse afastamento não é uma perda”, ensina o pediatra.
Como ajudar a criança a escolher o objeto de transição?
Os pais não precisam se preocupar em estimular a escolha, que é feita naturalmente pelo bebê. “É importante que o objeto resista às agressões da criança e que ela mesma o reconstrua. A mãe não deve lavá-lo nem tentar consertá-lo”, explica a mestre em psicologia.

1 ano: ambivalência dependência/independência

Como é a crise do primeiro ano?
Esse período coincide com o andar: a criança quer caminhar, quer ser independente, mas ainda precisa de colo. “Ela já se sente capaz de explorar o ambiente, já abre gavetas, tira todas as roupas de dentro, mas ainda não vai muito longe da mãe. A crise se dá por essa vontade de ser independente e a necessidade de ser, ainda, dependente”.
Quais são os sintomas dessa crise?
“As mães chegam ao consultório reclamando que a criança começou a acordar à noite, a não comer e a ficar muito agitada durante o dia”, diagnostica o pediatra Leonardo Posternak.
Os pais devem estimular a criança a caminhar?
Estimular, sim, mas jamais forçar. “O cérebro e as pernas ainda não estão combinados. Ela quer, porém não consegue, e isso gera angústia. A criança deve caminhar quando ela achar que pode”, alerta.
Como as mães devem lidar com as crises?
“Não existe uma receita ideal. Como todo relacionamento, é preciso adaptação, tranquilidade e equilíbrio, além de um ambiente saudável e acolhedor. Essas fases podem ser difíceis, mas são extraordinárias e marcantes”, finaliza Betina Lahterman, pediatra da Universidade Federal de São Paulo.

quarta-feira, 27 de novembro de 2019

17:17

Violência doméstica e abuso: coisas que você precisa saber

Violência doméstica e abuso

Muitas pessoas ainda acham que violência doméstica, é só a violência física, não se atentam para as violências psicológicas e de liberdade, as vezes, a violência está implícita e textos como esse ajuda na conscientização. 
O objetivo desse texto é lembrar que todo homem e toda mulher merece ser feliz, livre, merece ter um tempo só para si, merece colocar uma roupa bonita, uns brincos grandes e sair para curtir a vida. Infelizmente ainda existe gente que não usufrui desses privilégios e isso, as vezes se dá, em decorrência de relacionamentos abusivos.
10:31

A importância do monitoramento da gravidez

grávida


O acompanhamento da gravidez varia de mulher para mulher, uma vez que cada gravidez é diferente e que cada indivíduo tem seus próprios valores. No entanto, em Quebec, a maioria das mulheres passa por etapas semelhantes durante os nove meses de gestação. Aqui estão as linhas principais.

Teste de gravidez


Sua menstruação demora a chegar, você sente seus seios inchando, você pode até ter náusea pela manhã ... você estaria grávida? Você decide fazer um teste de gravidez para ter uma ideia.

Os exames de urina vendidos em farmácias, que detectam gravidez relacionada a hormônios, são geralmente muito confiáveis, geralmente a partir do primeiro dia da última menstruação. Os avanços tecnológicos permitem que novos testes apresentem seus resultados mais claramente do que antes, reduzindo ainda mais o risco de erros.

Em geral, esteja ciente de que um resultado falso positivo é extremamente raro. Os falsos negativos, se não forem frequentes, têm maior probabilidade de se apresentarem. Na maioria dos casos, no entanto, o teste de gravidez não se encontra. 

Escolhendo um profissional de saúde e a primeira consulta pré-natal obrigatória


Não é dito que o seu médico habitual lida com acompanhamento pré-natal. É provável que você tenha que escolher o profissional de saúde que irá acompanhá-lo nos próximos meses.

Médico da clínica


A maioria das mulheres opta por ser seguida por um médico na clínica e, portanto, para ir ao hospital apenas uma ou duas vezes durante a gravidez.

Médico no hospital


Aqueles com problemas de saúde ou gravidez em risco, muitas vezes, terão que recorrer ao acompanhamento pré-natal em hospitais.

Parteira

Outras mulheres optam por ter suas parteiras monitorar sua gravidez, garantindo uma abordagem abrangente e personalizada.

Independentemente do tipo de acompanhamento que atenda às suas necessidades, é essencial que você tome providências rápidas para marcar uma consulta com um profissional de saúde.

Primeiro compromisso


Esta primeira consulta é, sem dúvida, a mais longa. Ela deve ser feita entre a 9 ª e 11 ª semana de gravidez. O profissional de saúde fará várias perguntas sobre sua história familiar e pessoal de saúde.

Esta entrevista é para determinar se a sua gravidez apresenta riscos potenciais. É importante responder a perguntas honestamente, embora algumas possam parecer muito pessoais para você.

Em geral, você fará um exame fisiológico completo, incluindo um exame ginecológico. O seu peso será tomado, assim como a sua pressão arterial e um teste de rastreio do cancro do colo do útero (teste PAP) será realizado.

Você também receberá uma receita para análise laboratorial. Estes exames de sangue e testes de urina permitem verificar, entre outras coisas:


  • se você tem anemia,
  • se você tem uma doença infecciosa que pode passar para o seu bebê,
  • seu tipo sanguíneo, especificamente o sistema Rh , para se certificar de que é compatível com o do seu bebê,
  • se você tem anticorpos contra a rubéola,
  • se o seu nível de glicose no sangue é o nível desejado.


Você receberá os resultados desses testes na próxima consulta médica, normalmente no início do segundo trimestre.

Durante esta primeira reunião, o seu médico provavelmente irá aconselhá-lo a marcar uma consulta para o ultra-som para encontros e o pré - parto . Ele também poderá falar sobre possíveis novos exames, como o teste de DNA fetal.

Este último não é coberto pela Régie de l'assurance maladie du Québec (RAMQ). É importante saber que o rastreio de doenças cromossómicas não é obrigatório. A decisão de passar nos testes ou não retorna para você.

Primeiro ultra-som e pré-teste


Entre o 10 º e 13 º semana, recomenda-se que as mulheres grávidas tomem um ultra-som namoro e realizar Prenatest. Este ultra-som não é necessário, no entanto. Uma de suas utilidades é permitir a detecção precoce de anormalidades cromossômicas, como a síndrome de Down (Trissomia 21).

É pela medida da translucência nucal, acoplada a um exame de sangue (teste sérico), que os riscos de anomalias são detectados.

O ultra-som namoro também permite que, como o próprio nome sugere, para determinar a idade exata do embrião. No caso de gêmeos , que é quando podemos saber se há monozigóticos (gêmeos idênticos) ou dizigóticos (gêmeos fraternos);

Essa informação é muito importante para determinar se a gravidez envolverá altos riscos. Naquele dia, talvez você também terá a oportunidade de ouvir pela primeira vez o coração de seu futuro filho.

Amniocentese (se necessário)


A amniocentese é um exame intrusivo; Por conseguinte, envolve um certo risco de aborto espontâneo. O aborto pode ocorrer até duas semanas após o teste. Não é absolutamente praticado de maneira sistemática, mas é recomendado em alguns casos.

Se os seus resultados pré-natais indicarem que existe risco de anomalia, se tiver mais de 36 anos de idade ou se uma criança da sua família tiver tido uma anomalia cromossómica, o seu médico pode ser recomendo. Você é livre para aceitá-lo ou recusá-lo. É normalmente praticar entre a 15 ªe 22 ª semana.

Durante a amniocentese, que é realizado sob controlo de ultra-som, a inserção de uma agulha muito fina que vai passar através da parede uterina e irá recolher algumas gotas de fluido amniótico com uma seringa.

Depois de ter retirado a agulha, verifica-se por uma ecografia que o feto não sofreu a manobra. O líquido amniótico coletado será analisado e os resultados serão conhecidos algumas semanas depois.

Confiabilidade e riscos


A amniocentese tem a vantagem de ser muito confiável quando se trata de detectar anormalidades cromossômicas.

Entretanto, além dos riscos envolvidos, a amniocentese tem a desvantagem de ser realizada tarde demais para que você recorra a um aborto normal, caso decida interromper a gravidez. Seria então necessário provocar contrações para o parto, o que pode ser altamente traumático para a mulher que interrompe a gravidez.

Consulta com o seu profissional de saúde


Em torno do 17 ª semana, você geralmente tem outro compromisso com seu profissional de saúde. Ele compartilhará com você os resultados dos testes realizados no primeiro trimestre e fará um exame de rotina.

Normalmente, as consultas serão repetidas a cada quatro semanas, para garantir que a gravidez continue normalmente e que você não desenvolva problemas de saúde relacionados a ela (anemia, diabetes, etc.).

Ultrassonografia morfológica


É ultra-som da gravidez obrigatória, realizada em torno de 20 ° semana de gestação. Nesse estágio, o feto é grande o suficiente para que a maioria das anormalidades possa ser detectada. Fique tranqüilo: na maioria dos casos, esse ultrassom apenas confirma que o feto está se desenvolvendo normalmente.

Durante o exame, a frequência cardíaca fetal será verificada, a estrutura óssea será medida e os órgãos vitais estarão em boas condições.

O sistema de ultra-som também medirá o líquido amniótico, verificará se a placenta está bem posicionada e se o cordão umbilical está inserido normalmente. Durante este exame, você poderá aprender o sexo do feto, se desejar. Esteja ciente de que não há garantia de que o sexo seja visível no momento do ultrassom.

Teste de hiperglicemia provocado para detectar diabetes gestacional


Pela 28 ª semana, você irá realizar um teste para verificar se você tem ou não de diabetes gestacional . Você precisará beber um líquido com uma alta dose de glicose. Se os resultados excederem os limites, será solicitada uma segunda avaliação. Desta vez, você terá que estar em jejum quando beber a bebida doce. Três exames de sangue serão feitos: um com o estômago vazio, o segundo uma hora depois de beber a bebida e um último, duas horas depois. No caso de um diagnóstico positivo, um acompanhamento mais próximo será feito com o seu médico.

Visitas médicas cada vez mais freqüentes


À medida que a data de entrega se aproxima, suas reuniões com o profissional de saúde serão mais frequentes. Pela 31 ª semana, você verá a cada duas semanas, a partir da 37 ª semana, todas as semanas. Durante essas consultas, o coração do bebê é ouvido, sua pressão sanguínea é tomada e sua freqüência cardíaca é monitorada. Pela 37 ª semana, o seu médico irá verificar a cada semana, se o colo do útero começa a sua expansão.

Ultrassonografia (posição do feto)


Na 32 ª semana, é possível que você sugerir um outro ultra-som. Este serve, em particular, para verificar a posição do bebé, bem como o seu peso e o seu tamanho.

O ultra-som da 32 ª semana também permite que a equipe médica para verificar se a sua placenta está aberta. No entanto, não entre em pânico se o bebê não estiver em pé ou se a sua placenta cobrir parte do colo do útero.

Nesta fase da gravidez, há muito tempo para a recuperação e, na maioria das vezes, é natural. Se não for esse o caso, será necessário tomar medidas para corrigir a situação ou evitar que ocorram complicações.

Teste do estreptococo do grupo B


Durante uma reunião de rotina com seu médico, entre a 35 ª e 37 ª semana de gravidez, a cobrança será feita em sua vagina e no reto. Será testado para a presença de Streptococcus do Grupo B. De acordo com a Sociedade de Obstetras e Ginecologistas do Canadá , 15% a 40% das mulheres grávidas carregam as bactérias.

A maioria das mulheres não apresenta sintomas e as bactérias não têm impacto sobre elas. No entanto, se o seu teste for positivo, a estreptococo deve ser tratada durante o parto para que não atinja o seu bebé. Os antibióticos serão então administrados por via intravenosa.

No caminho para dar à luz ...


O momento tão esperado está se aproximando cada vez mais. Em alguns dias, você finalmente segurará seu filho em seus braços. Os últimos momentos da gravidez são frequentemente os mais difíceis; você provavelmente está cansado, às vezes um pouco ansioso.

O parto pode ser considerado como o estágio final do acompanhamento normal da gravidez. E como não há duas gestações idênticas, não há duas entregas iguais. Mas, o que é ainda mais verdadeiro, é que o bebê que você vai apertar contra você em breve será, ele, verdadeiramente único.

segunda-feira, 25 de novembro de 2019

11:03

Internet família: qual o melhor plano para uma família grande

cabo lan, internet


Em um quarto da casa, um adolescente joga videogame online. Em outro, a irmã dele aproveita para conversar com amigas no Whatsapp e postar nas redes sociais. Enquanto isso, os pais deles assistem uma série no Netflix na Smart Tv. Esta é uma realidade em vários lares brasileiros, graças as ofertas de pacotes de internet família e os combos que incluem plano de celular, banda larga e TV por assinatura.

Para a escolha do plano de celular e internet para a família é preciso saber quantas pessoas estarão inclusas em uma mesma conta e o quanto cada uma delas gasta com internet e em ligações. Levantamento feito pela startup Melhor Plano aponta que optar pelos planos família a economia pode chegar a 68%.

Cada operadora oferece diferentes opções de planos e combos para serem divididos entre a família. Veja qual a melhor opção se encaixa no seu orçamento mensal.

Qual o melhor plano família?


Para escolher o melhor plano para toda família, vale observar como a internet é usada em casa. Se a pessoa fica mais tempo navegando em redes sociais, aplicativos de mensagens online ou conteúdo em vídeo, muitos planos compartilhados oferecem vantagens para essas atividades.

Calcule qual seria o gasto mensal total com os planos separados e com o plano Família. Então, é só comparar os preços e as vantagens dos planos compartilhados.

A operadora que oferecer uma internet móvel com uma velocidade média de 9,2 megabytes por segundo já é uma boa dica para quando for fechar um plano família.

Um plano mensal que possui uma franquia de internet suficiente para navegar nas redes sociais, além de envio de mensagens grátis pelo WhatsApp é uma boa opção. Ter 300 minutos locais para outras operadoras também são o suficiente para quem faz poucas ligações. Com isso, o controle dos gastos fica mais fácil e não é necessário fazer recarga várias vezes no mês.

Pacotes família 50 GB e 30 GB são ideais. Eles podem vir acompanhados de bônus de internet para usar de madrugada, ligações ilimitadas para qualquer operadora, inclusão de até cindo dependentes e WhatsApp gratuito. O plano de 50 GB custa em torno de R$ 409,99 + R$ 29,99 por dependente por mês. O plano de 30 GB custa R$ 309,99 + R$ 29,99 por dependente.

Um plano com 15 GB de internet também merece destaque. Além desse volume de internet, ele também oferece 15 GB de bônus para usar de madrugada, ligações ilimitadas para qualquer operadora, inclusão de até quatro dependentes e WhatsApp de graça. Ele é ideal para quem não precisa de tanta internet. O custo mensal gira em torno de R$ 209,99 + R$ 29,99 por dependente.

Combo para toda família?


Um combo é um tipo de plano que combina diferentes serviços, como telefonia fixa, banda larga e TV a cabo. Nele, você pode selecionar quais serviços e operadoras, a velocidade de internet fixa desejada e os canais que não podem estar fora da sua programação.

Algumas operadoras permitem que você faça o seu próprio combo. Outras já possuem pacotes fixos com serviços pré-estabelecidos, geralmente variando entre um consumo baixo, médio e alto.

O combo é ideal para quem já utiliza mais de um serviço ou deseja adquirir outro. Para comparar os preços entre os combos é simples. Entre no site da operadora preferida e siga essas dicas: insira sua cidade e CEP e compare todas as opções e escolha o melhor combo para você.

Muitos combos acabam sendo são mais econômicos do que os serviços avulsos. O cliente recebe alguns benefícios como descontos e bônus.

Vale a pena observar alguns pontos para adquirir um combo:



  • - Famílias ou grupos de mais pessoas que compartilham os serviços;
  • - Para quem usa os serviços diariamente;
  • - Quem deseja economizar sem abrir mão de nenhum produto;
  • - Importante ter noção da quantidade necessária de cada serviço;
  • - Esteja atento a todas as tarifas do plano e se ele possui um preço promocional;
  • - Procure saber a qualidade do serviço e da tecnologia utilizada.


 O que diz a Resolução 632 da Anatel?


Seção II

Da contratação da oferta conjunta de serviços de telecomunicações

Art. 53. Na contratação de oferta conjunta de serviços de telecomunicações devem ser entregues ao consumidor, além dos documentos descritos no art. 51, todos os planos de serviço associados ao contrato.

Art. 54. Na oferta conjunta de serviços de telecomunicações, além das condições previstas no art. 50, a prestadora deve informar o preço de cada serviço no conjunto e de forma avulsa.

Parágrafo único. O preço relativo à oferta de um dos serviços de forma avulsa não pode exceder aquele relativo à oferta conjunta de serviços de telecomunicações de menor preço em condições semelhantes de fruição.

Art. 55. Os planos de serviços, quando incluídos na oferta conjunta de serviços de telecomunicações, devem ser reajustados na mesma data.

Art. 56. O consumidor pode rescindir o contrato de prestação do serviço celebrado na oferta conjunta de serviços de telecomunicações a qualquer tempo e sem ônus, ressalvada a multa decorrente da inobservância do contrato de permanência.

Parágrafo único. Se o pedido de rescisão do consumidor, antes do término do prazo previsto no contrato de permanência, decorrer de descumprimento de obrigação legal ou contratual da prestadora com relação a qualquer um dos serviços da oferta conjunta de serviços de telecomunicações, deve ser garantida ao consumidor a rescisão de todo o contrato de prestação do serviço sem multa, cabendo à prestadora o ônus da prova da não procedência do alegado.

É possível otimizar o uso do seu dinheiro ainda mais ao escolher um plano família e o combo.

Verificando não só a diferença de preços, mas também de benefícios e outras características, com isso você consegue escolher o melhor plano e fazer uma boa economia.

quarta-feira, 13 de novembro de 2019

00:09

Primeiros meses do seu filho na creche

Faz três meses desde que meu pequeno começou a creche e eu sinto que finalmente estamos estabelecendo uma rotina (você deve se lembrar do meu post de fevereiro, onde eu estava arruinada depois do meu primeiro mês ).

Essa constatação veio no início desta semana, quando chegamos ao centro e o rapaz teve uma fralda enorme soprada. Para piorar, o fato de ele ter apenas um par de pijamas "pequenos demais para ele" em sua bolsa de roupas extras.

 Dois meses atrás, esse incidente teria arruinado minha manhã inteira e acrescentado mais alguns cabelos grisalhos.

Seu professor infantil veio em socorro - mais uma vez - vasculhando a sacola de roupas extras e encontrando algo para ele usar. Eu nem sabia sobre esse esconderijo secreto!

Devo admitir que essa é apenas uma das muitas coisas que tive que descobrir sobre ter um bebê na creche. Olivia começou a Bright Horizons quando tinha 2 anos.

Os professores do meu pequeno têm sido ótimos em me ajudar logicamente a acelerar, mas emocionalmente eu desejava que alguém estivesse lá para me guiar.



Por isso, pensei em pagar antecipadamente por aqueles que se encontram nessa situação.

Aqui estão meus segredos para sobreviver aos primeiros dias e meses do bebê na creche:

Calcule a quantidade de tempo que você precisa para se preparar e trabalhar dentro do prazo ... e adicione 30 minutos extras .

Permitir tempo para lidar com coisas como explosões de fraldas e outros eventos inesperados contribui para uma manhã menos frenética. Você sempre pode usar o tempo extra por alguns minutos com o bebê.

Prepare o máximo que puder na noite anterior - mamadeiras, fraldas, roupas extras etc. - e coloque-as no carro (quando apropriado). Eu até lavo o cabelo à noite e uso touca de banho (quem se importa se eu pareço uma mulher de 80 anos?!?) Para me dar 15 minutos extras de sono.

Passe algum tempo conhecendo os professores do seu bebê . Este é o melhor conselho que posso lhe dar. Aproveito ao máximo a política de entrega da Bright Horizons no meu trabalho nos dias de casa.

Passar um tempo com os professores enquanto eles interagem com os bebês facilita minha mente naqueles dias em que estou no escritório. E o inevitável bate-papo me permitiu realmente conhecer os professores e me deixa mais confortável pedindo conselhos ou compartilhando minhas próprias instruções de cuidados com eles.

Estabeleça uma rotina, mas seja flexível quando for destruída . Honestamente, ainda estou trabalhando nisso porque meu pequeno continua acordando em um horário diferente todas as manhãs.

Mas nós temos uma ordem natural de atividades (o que é fundamental para minha filha de 5 anos, que sempre precisou de um pouco mais de estrutura em sua vida) para nos levar até a porta às 7:30.

Se você tem uma hora de viagem como eu ou uma viagem de 10 minutos para o trabalho, aproveite o tempo sozinho . Cante no carro ou ouça seu podcast favorito - faça algo para se desintoxicar do estresse da manhã ou prepare-se para a loucura da noite.

Sorria mesmo quando não lhe apetecer . Inevitavelmente, alguém sorrirá de volta para você (como a moça simpática que serve meu café pela manhã) e você será exaltado (por pelo menos um milissegundo, mas esperamos mais).

Ainda estou navegando no escuro na maioria dos dias, mas estou começando a ver um brilho de luz no fim do túnel. Tenho certeza de que vou aproveitar o sol até o próximo túnel chegar - fazendo a transição para o programa para bebês! Que conselho você deve compartilhar comigo e com outros pais sobre o início da creche?

Fonte: https://blogs.brighthorizons.com/familyroom/babys-first-day-in-daycare/

sexta-feira, 1 de novembro de 2019

20:41

APRENDA A CUIDAR DA SUA BARBA E CABELO EM CASA

Os homens modernos estão cada dia mais vaidosos, cuidam mais do corte de cabelo e da aparência de sua barba.

Por este motivo, a indústria dos cosméticos masculinos é uma das áreas que mais crescem, oferecendo produtos que trazem resultados satisfatórios para este público.

Essa onda de cuidados com barba e cabelo pode ser realizada tanto em barbearias, quanto com produtos para usar em casa.

CUIDAR DA SUA BARBA E CABELO


Sendo assim, se você quer aprender a cuidar da sua barba e cabelo no conforto de sua casa, acompanhe todas as dicas que separamos aqui no blog.

Acerte o corte de cabelo e desenho da barba


Com uma variada lista de opções de corte de cabelo, acertar o seu tipo de corte pode ser uma tarefa um pouco difícil.

Para isso, conte com um barbeiro de confiança que possa te auxiliar no estilo de corte que mais combina com você.

No entanto, em alguns casos, o tipo de corte que você escolher pode precisar de algumas alterações.

Os implantes capilares, por exemplo, são uma solução para quem possui poucos fios e deseja um corte que exija maior preenchimento.

As vantagens do método FUE trazem um procedimento menos invasivo, com resultados perfeitos para os homens que querem preencher determinadas regiões capilares.

Para uma aparência harmoniosa do rosto, a barba deve estar em combinação com o corte de cabelo.

Neste sentido, uma barba bem preenchida ajuda a pensar no desenho com maior tranquilidade.

Porém, em alguns casos, os pelos são mais “ralos”, necessitando de um desenho menos elaborado para se alinhar com o cabelo.

Invista em produtos de qualidade para os seus fios


Como já citamos anteriormente, existem linhas de produtos específicos para barba e cabelo, garantindo uma atenção direcionada para os homens.

Sendo assim, você vai encontrar opções em gel, cera e pomadas que dão brilho, cuidam e modelam os fios e a barba.

Os produtos para barba costumam ser bem cheirosos, além disso, em alguns casos ajudam no crescimento dos pelos.

Todavia, se você possui problemas relacionado ao crescimento da barba, então conheça o implante de barba, um método que ajuda a preencher a região de forma natural e segura.

Crie uma rotina de cuidados para seus cabelos e barba


Além de investir em produtos de qualidade que ajudam a melhorar a aparência de sua barba e cabelo, são necessários alguns cuidados diários.

Por conta disso, são ações simples, que envolvem um pouco de tempo do seu dia para se dedicar.

Desse modo, no próprio banho lave a barba com a mesma frequência que é lavado o cabelo, porém, faça isso com os produtos específicos.

A secagem dos fios é essencial para mantê-los saudáveis, sendo assim, não esfregue os cabelos e nem a barba, podendo torná-los quebradiços e frágeis.

Outra dica é nunca dormir com o cabelo e barba molhados, bem como, não usar acessórios como bonés e toucas antes de estarem secos, pois, os fungos e bactérias gostam de locais úmidos para se procriarem, além de afetar o couro cabeludo e a barba com caspa.

O investimento com espuma de barbear, tonificantes e loções pós barba trazem uma aparência saudável e um cheirinho de dar inveja.

Um homem que cuida de sua aparência desperta interesse em muitas mulheres, por isso aprender a cuidar da barba e cabelo se tornou essencial.

quinta-feira, 31 de outubro de 2019

22:33

Do casamento ao divórcio, ônibus da Justiça atende nos bairros de Campo Grande

Como um fórum sobre rodas, a Justiça Itinerante leva os serviços do poder judiciário aos bairros de Campo Grande de segunda a quinta-feira. Os casamentos são o ‘carro-chefe’ da Itinerante, mas a lista de serviços disponíveis é extensa e inclui até divórcio.

A Justiça Itinerante é chefiada pelo juiz Cezar Luiz Miozzo, da 8ª Vara do Juizado Especial da Capital, e existe desde 2001. Cerca de 20 mil atendimentos foram realizados entre fevereiro e julho deste ano.

A população pode realizar diversos serviços de competência dos Juizados Especiais, desde que seja possível a realização de uma conciliação entre as partes, é o que explica o juiz da Itinerante. Segundo Cezar Miozzo, o atendimento da Itinerante encurta os caminhos da justiça, já que as partes resolvem seus problemas de modo consensual.

“Para se ter uma ideia, temos casos em que resolvemos reconhecimentos de paternidade em 20 dias. Neste período é feito o exame de DNA e, com o resultado, já foi feito acordo sobre guarda, visitas e pensão alimentícia”, diz o magistrado.

Por sinal, quando existe um caso de reconhecimento de paternidade os próprios servidores da Justiça Itinerante encaminham o pedido de exame de DNA para o laboratório conveniado que cobra tarifa social. Caso a pessoa não consiga arcar com este valor, pode solicitar que seja feito de forma gratuita.

“A pessoa é considerada de baixa renda quando não pode arcar com o serviço de um advogado. Geralmente é considerado até cinco salários-mínimos. Contudo, a Justiça Itinerante, como qualquer outro órgão da Justiça brasileira, pode receber demandas de todas as pessoas. Não é raro atendermos, por exemplo, um casal que está se divorciando dirigir-se à Itinerante com seu advogado, pois tem renda maior, com um acordo pronto e pedir a homologação”, explica.

Confira alguns serviços disponíveis:


  1. orientações sobre ações de alimentos;
  2. cobrança;
  3. conversão de separação em divórcio;
  4. conversão de união estável em casamento;
  5. cumprimento de obrigação de fazer;
  6. declaratória de inexistência de débito;
  7. despejo e devolução de quantia paga;
  8. dissolução de união estável;
  9. divórcio direto;
  10. execução de alimentos;
  11. execução de título extrajudicial, de título judicial e de quantia certa;
  12. exoneração de alimentos, guarda, regulamentação de visitas e investigação de paternidade;
  13. modificação de guarda e oferecimento de alimentos;
  14. reconhecimento de paternidade ou de maternidade;
  15. reconhecimento de união estável;
  16. restabelecimento de sociedade conjugal, entre outros serviços de competência dos Juizados Especiais.
15:01

Como encolher o sapato ideal para uma criança? 6 dicas!



 sapato infantil

E aí mamães, titias, vovós ou você que quer presentear um sapato para uma criança, este post é para te ajudar no momento da escolha do sapato ideal para o seu bebê, além disso, daremos dicas bônus para quem ler até o fim.

Como encolher o sapato ideal para uma criança? Essa é uma dúvida muito comum no momento da escolha de um sapato infantil, principalmente as mamães, elas querem o melhor para o seu bebê e isso não é diferente no momento da escolha de um calçado.

1. Observe o formato do pé da criança


A primeira dica pode parecer bastante óbvia, mas é extremamente importante encontrar um sapato que corresponde, se adeque ao formato do pé da criança.

2. Não compre calçados um pouco maior


A segunda dica, também é muito óbvia, mas apesar de ser óbvia, muitos pais pecam neste aspecto, esta é uma situação corriqueira. Os adultos, com a intenção de economizar, acabam comprando os calçados um pouco maior para usar por mais tempo.

Como os pés das crianças crescem rápido, ao comprar um calçado com o tamanho exato, o tempo de uso dele acaba ficando muito curto e devido a isso, os adultos acabam comprando os sapatos um pouco maior, com a intenção de economizar.

Porém, apesar desse hábito corriqueiro, isso não é recomendado, o ponto flexível natural dos sapatos maiores não se alinha com os pés e pode causar dor e desconforto.

Além disso, pode se tornar um risco de tropeço, pois a criança não tem firmeza ao caminhar, se você tiver alguma dúvida ou preocupação, procure alguém que tenha experiência no assunto entende os benefícios a longo prazo de calçados adequados.

4. Maneiras de economizar


Se você pretende economizar, existem diversas formas, e comprar um sapato maior é uma das piores formas. Existem maneiras alternativas de economizar, por exemplo, você pode comprar pela internet, na internet você consegue comparar os preços com maior tranquilidade, pode inclusive usar comparadores de preço como o Zoom, Buscapé e Google Shopping.

Além disso, você pode procurar lojas especializadas em produtos infantis, as lojas especializadas, além de vender produtos de qualidade, conseguem vender por um preço legal.

Outra alternativa é comprar em sites de atacado, este site de sapatos e roupas no atacado por exemplo, tem um preço legal, existem coisas sendo vendidas pelo preço de revenda.

Nem só isso, além das dicas acima, você pode verificar se encontra um cupom de desconto, existem alguns sites que oferecem cupons de descontos, por exemplo, cupom 99, nesse site tem cupom para tudo que você imaginar.

5. Organizar pelo menor preço


Além das dicas acima, tenho uma dica que muitas vezes passa despercebida, uma vez que encontramos a loja com o menor preço, é possível que encontremos produtos mais baratos ainda nessa loja, os produtos mais baratos da loja.
Por padrão, a maioria das lojas mostram os produtos que elas entendem mais relevantes primeiros, mas, esses produtos são relevantes na opinião da loja, as vezes, para determinado consumidor o mais relevante para ele não é o mesmo que o mais relevante na opinião da loja.
O mais relevante para quem quer economizar, por exemplo, provavelmente é o mais barato da loja.

E como encontrar o produto mais barato de determinada loja?


Simples! É só organizar a lista de produtos para que os produtos com menor preço apareçam primeiro, abaixo, coloquei um print do mercado livre, onde organizo uma lista de celulares - Smartphone pelo menor preço, para facilitar, coloquei uma seta amarela onde o filtro se localiza.

Organizar pelo menor preço mercado livre


6. Dica bônus


E por fim, conforme prometido, a dica bônus, não compre sapatos muito rígidos e com salto alto, isso também não é legal, sapatos muito rígidos retiram a capacidade natural do pé de ser capaz de fazer os movimentos de forma adequada.

Viu só, comprar um sapato apesar de ser uma tarefa simples, pode ser feita de forma mais eficiente

Se você ficou com alguma dúvida, deixe nos comentários abaixo e se gostou do texto, não deixe de compartilhar em suas redes sociais.

terça-feira, 24 de setembro de 2019

22:22

Vereador é preso por falta de pagamento de pensão alimentícia em Monte Santo de Minas, MG



O vereador Renato Vitor Marçal (PSDB), de 43 anos, foi preso na noite desta segunda-feira (23) por falta de pagamento de pensão alimentícia. Após o cumprimento de mandado judicial, ele foi conduzido ao Presídio de São Sebastião do Paraíso.

Segundo a Polícia Militar o valor devido é de mais de R$ 4 mil. Os policiais foram chamados para acompanhar um oficial de justiça no cumprimento do mandado judicial.

A Secretaria de Administração Prisional (Seap) informou que o vereador continua no presídio. O G1 tenta contato com a defesa do vereador, mas não conseguiu retorno até esta publicação.

A prisão por não pagamento de pensão está prevista no artigo 528 da Lei 13105/2015, Código de Processo Civil, e varia de um a três meses, além da prisão, é possível recorrer a outras medidas, por exemplo: bloqueio ou penhora de bens, inclusive o salário, bloqueio da CNH, protesto e etc.

Fonte: https://globoplay.globo.com/v/7947086/

sábado, 7 de setembro de 2019

08:22

Ação de Exoneração de Alimentos: Como Parar de Pagar Pensão?


Pensão Alimentícia
  
Você já ouviu falar em Ação de Exoneração de Alimentos? Essa é a ação judicial que pode te livrar do pagamento da pensão!
É verdade! Se você paga pensão alimentícia a algum familiar, mas acha que essa pessoa não precisa mais receber a pensão, você tem que conhecer esse tipo de ação judicial!
Além disso, a Ação de Exoneração de Alimentos também pode ser a medida ideal, caso você não tenha mais condições de arcar com o pagamento da pensão.
Então... se você se enquadra em alguma dessas situações, você não deixe de ler este artigo!
Aqui vamos te falar tudo sobre a Ação de Exoneração de Alimentos! O processo judicial que pode te livrar do pagamento da pensão alimentícia.
Se você quer saber se você tem esse direito, não deixe de ler este post!
Aqui vamos te mostrar como fazer para parar de pagar pensão alimentícia e quem tem esse direito.
É isso mesmo! Vamos te mostrar quais as hipóteses e os requisitos que possibilitam ingressar em juízo com uma Ação de Exoneração de Alimentos.

O que é Ação de Exoneração de Alimentos?

A ação de exoneração de alimentos é o processo judicial cabível para solicitar ao juiz que cesse a sua obrigação de pagar pensão alimentícia.
Ou seja, se você quer parar de pagar pensão, é este processo que o seu advogado deve ajuizar, demonstrando que você tem razão em fazer esse pedido.
Como assim?
É simples: ao entrar com uma ação de exoneração de alimentos, o seu advogado deve demonstrar ao juiz que você não tem mais a obrigação em pagar essa pensão.
O juiz ouvirá as partes envolvidas, colherá provas, poderá ouvir testemunhas, e, ao final, se considerar que você tem razão, dará uma sentença declarando que você não precisa mais pagar a pensão alimentícia.
Mas para isso tudo dar certo, você terá que provar que, no seu caso, realmente não há mais necessidade de pagar a pensão.

Mas… Quando não terei mais necessidade de pagar pensão? É isso que vamos te mostrar neste artigo!

Mas, antes de falar sobre quando não há mais a necessidade de pagar pensão, vamos primeiro falar um pouco sobre o que é a pensão alimentícia.

Pensão Alimentícia: Os Casos Mais Comuns

O que conhecemos popularmente por “pensão alimentícia” nada mais é do que o dever de pagar alimentos previsto em nosso Código Civil.

Pensão Alimentícia aos Filhos Menores

Em decorrência do poder familiar, esse é um dever dos pais, para com seus filhos menores de idade.
A pensão alimentícia deve ser paga até que o filho atinja a sua maioridade civil. Também é devida aos filhos incapazes (por alguma enfermidade, por exemplo) enquanto persistir essa incapacidade.

Pensão Alimentícia aos Filhos Maiores, até os 24 anos

O mesmo se aplica aos filhos maiores de idade, até completarem 24 anos, caso estejam cursando curso de graduação, desde que necessitem deste auxílio financeiro.
Desta forma também pode ser devida pensão aos filhos, até que atinjam 24 anos, se estiverem cursando faculdade e necessitem de tal auxílio.
Porém, destaca-se que nessa hipótese a pensão não é paga devido ao poder familiar, tendo em vista que essa relação entre pais e filhos se extinguiu com a maioridade do filho.
Mesmo assim, o direito à pensão pode persistir, mas por outro motivo: a relação de parentesco, como ocorre em outras hipóteses conforme veremos agora.

Pensão Alimentícia Decorrente de Relação de Parentesco

A pensão alimentícia também é devida a parentes, caso o juiz entenda que eles necessitem de ajuda financeira para a sua subsistência.
Assim, muitas vezes filhos podem ser condenados a pagar pensão alimentícia a pais idosos que não tenham fontes de renda, netos podem ser obrigados a pagar pensão a avós, e assim por diante…

Pensão Devida ao Ex-Cônjuge

Outro caso de imposição do dever de pagar pensão é em relação ao ex-cônjuge.
Esses são casos muito comuns, ocorre quando a esposa é dona de casa, cuida da criação dos filhos e dos afazeres do lar e, por esse motivo, acaba por não trabalhar fora (não exerce nenhuma atividade remunerada).
Nesses casos, havendo separação, é muito comum o juiz arbitrar um valor mensal a ser pago ex-marido a título de pensão alimentícia à ex-cônjuge, visando sua custear a sua subsistência.

Ação de Exoneração de Alimentos: Quando é Cabível?

Acabamos de ver os casos mais comuns de pensão alimentícia. Vimos as hipóteses em que é devido o pagamento da pensão.
A ação de exoneração de alimentos somente poderá ter ganho de causa na hipótese de não haver mais a necessidade de pagar a pensão.
Não havendo mais essa necessidade, é necessário ingressar com a ação de exoneração de alimento e provar isso ao juiz, mas a questão é:
Quando não há mais necessidade de pagar a pensão?
Para responder a esta pergunta, primeiro devemos verificar o que o juiz leva em consideração para impor o pagamento de um apensão alimentícia.
É o que veremos agora!
Para impor uma obrigação de pagar alimentos (pensão alimentícia), o juiz analisará a real necessidade em cada um daqueles casos que citamos acima.
Além da necessidade da pensão, o juiz também analisa a possibilidade financeira daquele que deva pagar a pensão.
Para tanto, o juiz sempre observará o trinômio: necessidade – possibilidade – proporcionalidade.
  1. Necessidade: A real necessidade do parente e receber essa ajuda financeira para a sua subsistência.
  2. Possibilidade: O juiz levará em conta se a pessoa que deva pagar a pensão, tem essa possibilidade em arcar com esses custos.
  3. Proporcionalidade: Também será considerada a proporção, o quanto que o devedor da pensão deverá pagar ao beneficiário.
Esse valor deve ser proporcional a suas condições financeiras e também às necessidades da pessoa que necessita da pensão.


Mas Afinal, Quando Que Eu Posso Ingressar Com a Ação de Exoneração de Alimentos?

Bom, já vimos quando é devida a pensão alimentícia e como o juiz faz para calcular a necessidade e o valor a ser pago.
Agora, fica mais fácil descobrir quando é que podemos entrar com uma ação de exoneração de alimentos para não mais pagar a pensão alimentícia, veja só!
Sempre poderemos entrar com essa ação, quando não precisarmos mais pagar a pensão, vamos ver como isso ocorre em cada um dos casos:

Ação de Exoneração de Alimentos - Pensão ao filho menor de idade ou incapaz

Quando podemos parar de pagar pensão ao filho menor de idade?
Podemos parar de pagar quando o filho completar 18 anos, ou mesmo antes, caso ele se emancipe e se torne uma pessoa capaz, mesmo ainda sendo menor de idade.
  1. Veja quais são as hipóteses que o filho menor de 18 anos pode se tornar capaz:

  • Casamento (somente a partir dos 16 anos);
  • Exercício de emprego público efetivo;
  • Estabelecimento civil ou comercial, ou pelo vínculo empregatício, desde que, em razão deles o menor de idade acima de 16 anos tenha suas economias próprias;
  • Colação de grau em curso superior;
  • Emancipação concedida pelos pais, mediante instrumento público (a partir dos 16 anos);
Nestas cinco situações ocorre a emancipação do menor de idade, que passa a ser considerado uma pessoa capaz, fazendo com que não haja mais o poder familiar,
Assim, diante da maioridade civil adquirida pelo filho, como não há mais o chamado poder familiar (vínculo jurídico entre pais e filho menor de idade) pode ser solicitado ao juiz que seja exonerado o pagamento da pensão.
Ou seja, nesses casos, pode se ajuizada a Ação de Exoneração de Alimentos para que não haja mais a obrigação de pagamento da pensão alimentícia.
Então, para que não haja a possibilidade de se ingressar na Justiça com esse processo, visando parar de pagar a pensão alimentícia a filho menor de idade, há duas possibilidades:
  • Quando o filho completa 18 anos, atingindo a maioridade civil;
  • Quando o filho é emancipado (por uma daquelas cinco razões);
Havendo uma dessas hipóteses, pode-se ingressar com a Ação de Exoneração de Alimentos.
Mas atenção! Para que você possa parar de pagar a pensão é necessário ingressar na Justiça com essa Ação de Exoneração de Alimentos!
Se o seu filho completar 18 anos, ou se tornar emancipado por algum motivo, (como casamento por exemplo) você não pode simplesmente deixar de pagar pensão alimentícia!
Isso mesmo, para deixar de pagar esse encargo você deve entrar com essa ação judicial, caso contrário você corre risco de ser acionado judicialmente para fazer esses pagamentos, cuidado!

Ação de Exoneração de Alimentos - Pensão ao filho maior de idade (que estiver cursando faculdade) ou Pensão ao ex-cônjuge ou Pensão a parentes necessitados

Quando podemos ingressar com a Ação de Exoneração de Alimentos para não precisar mais pagar esses tipos de pensão alimentícia?
Já vimos que esse tipo de pensão (obrigação de pagar alimentos devido ao vínculo de parentesco) é devida quando um familiar reconhecidamente tem a necessidade de auxílio financeiro para sua subsistência.
Além disso, o juiz também avalia a possibilidade financeira da pessoa que deva pagar essa pensão.
Sempre que a situação que ensejou o pagamento da pensão se alterar, desaparecendo a necessidade da pessoa que recebe a pensão, ou a não havendo mais a possibilidade da outra parte em pagar a pensão, poderá ser requerida o encerramento desta obrigação, mediante uma Ação de Exoneração de Alimentos.

Exoneração de Alimentos – Quando Não Há Mais Necessidade

Pode acontecer que essa necessidade da pessoa que precisa receber a pensão desapareça depois de um tempo.
É o caso, por exemplo, de um filho de 22 anos, que curse faculdade e receba pensão de seu pai.
Se este filho conseguir um emprego e começar a receber uma boa renda, não haverá mais a necessidade de recebimento de pensão alimentícia.
Outro exemplo, vamos pensar em um casal que se separa, o juiz condena o ex-marido a pagar pensão a ex-esposa, tendo em vista que ela não possuía renda própria.
Pode ser que, após algum tempo, essa mulher passe a trabalhar e obtenha a sua própria renda para subsistência. Nesse caso, também não haverá mais a necessidade de recebimento de pensão.
Nesses dois casos, como não há mais necessidade, a pessoa que paga a pensão pode solicitar ao juiz para que não precise mais pagar a pensão alimentícia.
Sempre que não houver mais a necessidade desse pagamento, a pessoa que paga pensão pode pleitear ao juiz que a pensão seja cancelada.
E como fazer isso? Mediante a Ação de Exoneração de Alimentos!

Exoneração de Alimentos – Quando Não Há Mais Possibilidade

O mesmo ocorre quando a pessoa que paga a pensão alimentícia, por algum motivo, não tem mais a possibilidade de pagar.
Por exemplo, vejamos um caso em que dois irmãos devem pagar pensão alimentícia à mãe idosa, que não tem renda.
Se de repente um deles perder o emprego e não conseguir uma fonte de renda, poderá ingressar em juízo como uma ação de exoneração de alimentos, demonstrando que não tem mais nenhuma possibilidade financeira de arcar com a pensão.

Ação de Exoneração de Alimentos: Afinal, O Que é Preciso Para Dar Certo?

A Ação de Exoneração de Alimentos é o processo judicial correto para solicitar ao juiz que cesse a nossa obrigação de pagar pensão alimentícia.
Mas, conforme vimos neste post, não basta apenas entrar com essa ação na Justiça. É necessário comprovar, através dessa ação, que houve mudança em relação aos fatos que ensejaram o pagamento desta pensão.
É isso mesmo, para obtermos sucesso nessa ação, o melhor caminho é conseguir comprovar que houve mudança naquela relação possibilidade-necessidade.
Ou seja, nossas chances de ganho de causa aumentam muito se comprovarmos um destes dois fatos: ou comprovamos que não há mais a possibilidade de arcarmos com o pagamento da pensão; ou comprovamos que não há mais necessidade da pensão, por parte do beneficiário.
Como conseguir provar isso?
Não se preocupe! O seu advogado saberá qual a melhor forma de provar isso em juízo.
Então, se o seu caso se enquadra nessas hipóteses que nos referimos neste artigo, não deixe de consultar um advogado para verificar a possibilidade de ajuizamento da Ação Judicial de Exoneração de Alimentos.
Mas se você ainda ficou com alguma dúvida, e quer saber mais sobre esse assunto, deixe um comentário que respondemos para você!
E se você gostou deste artigo, não deixe de compartilhá-lo em suas redes sociais!
Autor: Yuri Mohandas Larocca Franco

Recomendo a Leitura do texto: Divórcio Extrajudicial – Guia Simplificado Passo a Passo o texto esclarece os procedimentos para realizar o divórcio em cartório.
Cupom de desconto workana de R$ 100,00

Sobre o Babyou Blog

babyouBlog destinado a divulgar, com linguagem simples, notícias e artigos relacionadas a crianças e mamães e gestantes, eventualmente publicaremos outros tipos de assuntos também.
Leia mais →



Assinar Newsletter

Insira o seu e-mail abaixo para receber conteúdo VIP atualizado, diretamente no seu e-mail.