quarta-feira, 18 de novembro de 2020

18:01

Saiba como cuidar da higiene bucal dos bebês

Ter uma boa higiene bucal é crucial para manter o bom funcionamento de todo nosso organismo, principalmente quando relacionada à imunidade e ao sistema digestivo.

Higiene bucal do bebe

Desde crianças somos familiarizados a escovar os dentes e o porquê essa ação deve ser realizada.

Mas, para isso, é essencial que saibamos realmente como cuidar da higiene bucal das crianças e formas de criar esse hábito de forma correta e tranquila, afinal, é preciso que seja feito com cuidado.

Neste artigo falaremos sobre isso e daremos dicas de como realizar a tarefa da higienização em bebês.

Limpe as gengivas


Os bebês e recém-nascidos não possuem dentes ainda. Por isso, é essencial que a limpeza seja realizada de acordo com as recomendações feitas por um profissional da área da saúde.

Na prática, a orientação é que seja feita com uma fralda limpa e levemente umedecida. Para isso, os responsáveis devem passar suavemente o tecido na área das gengivas com o dedo indicador, desde a parte interna da bochecha até a língua.

Realizando essa tarefa, além de garantir que a criança não fique com acúmulo de leite na boca, é possível evitar possíveis inflamações gengivais que podem influenciar no crescimento dos dentes.

Mesmo que seja leite materno ou de fórmula, o leite possui açúcar ou algumas gorduras que podem contribuir para o aparecimento de cárie.

Assim como os adultos, a higienização deve ser realizada assim que a criança se alimentar, após 30 minutos, dando ainda mais atenção à higienização noturna.

Compre os produtos adequados


Se você já possui visitas frequentes ao dentista durante a gestação, uma boa alternativa é pedir orientações sobre os produtos de higiene que devem ser comprados para sua criança. 

Dessa maneira, você poderá escolher uma escova adequada, menor, e realizar uma escovação que tenha eficiência.

De um modo geral, elas devem possuir um tamanho muito menor do que o normal e cerdas extremamente macias, dessa forma não irão danificar o esmalte dentário nem a boca da criança, além de alcançarem todos os lugares da boca.

O cabo também deve ser menor e possuir uma cobertura emborrachada para que a criança tenha mais facilidade ao manuseá-lo.

Além disso, quando pequenos, a quantidade de flúor deve ser menor do que o normal, podendo ser utilizada no máximo duas vezes ao mês.

Independentemente da pasta ser com flor ou não, a quantidade ideal de creme dental é do tamanho de um caroço de pipoca, sendo o suficiente para que a escovação seja realizada de maneira eficiente - diferente do que ocorre com os adultos, seja em implante dentario ou na dentição tradicional.

Faça uso do fio dental


É muito comum que, quando adultos, algumas pessoas tenham dificuldade de introduzir o fio dental na rotina. Mas essa atividade deve ser reforçada desde a infância e é imprescindível.

Dessa maneira, quando chegar a vida adulta, o seu filho já estará acostumado a utilizar o fio dental, evitando inflamações como gengivite.

O fio dental é o único que consegue alcançar os espaços entre os dentes, local em que é muito comum ocorrer o acúmulo de tártaro, que contribui para inflamações e o amarelamento.

Já para os casos estéticos, bem como nos quais já houve o amarelamento, quando adultos é possível recorrer a outros procedimentos e tratamentos, como o clareamento dental preço - de modo a otimizar a manutenção dos dentes “brilhantes”.

Contudo, apesar de ser muito importante auxiliar a criança nesse processo de desenvolvimento da higienização, é preciso que em algum momento ela se torne responsável pela tarefa, realizando-a de forma adequada.

Para isso, é importante acrescentar alguns passos no seu cotidiano, sendo eles:

1- Dê independência para a criança


A partir dos quatro anos é importante deixar que a criança escove os dentes sozinha, para assumir essa responsabilidade/hábito.

Além disso, a ação permitirá a validação da higiene e processos, fazendo com que os pequenos tenham os dentes limpos e aprendam realmente como fazer a escovação.

Tendo uma boa escovação desde jovens, quando chegarem à adolescência e tiverem a necessidade de utilizar um aparelho ortodôntico transparente, dificilmente as cáries e inflamações atrapalham o tratamento.

2- Estimule a escovação


Canções sobre escovação, escovas de dentes de personagens, ou até pastas de dentes personalizadas podem ser grandes estímulos para que essa atividade se torne mais descontraída para o seu filho. 

Dessa forma, ele verá desse momento uma diversão e não uma obrigação, podendo aumentar significamente a frequência a qual ele escova os dentes.

Mais ainda, é importante reforçar que a escovação é importante em todas as fases da vida.

Por exemplo, as pessoas que realizam a aplicação de uma lente de contato dental demandam atenção à escovação, mesmo que a película diminua a incidência de alguns problemas.

Do mesmo modo, quem utiliza aparelho - seja móvel ou fixo - demanda mais atenção no momento da escovação, cuidando do material e garantindo uma higienização mais eficiente.

3- Visite um dentista regularmente


Quando somos mais novos as nossas inspirações são os nossos pais e vê-los frequentar o dentista cria esse costume, evitando possíveis traumas, como medo ou insegurança ao ir à uma consulta.

Sendo assim, desde criança tenha o hábito de levar o seu filho ao dentista para fazer as próprias avaliações ou para te acompanhar.

Somente dessa forma a criança entenderá que cuidar dos dentes é uma tarefa essencial para a saúde e bem-estar e, geralmente, indolor.

Seguindo essas dicas, você conseguirá realizar uma escovação muito mais efetiva, criando um hábito saudável na vida do seu filho.

Contudo, não se esqueça que a orientação e avaliação de um cirurgião dentista é imprescindível para garantir que o trabalho seja constante e realizado de forma adequada.

Conteúdo originalmente desenvolvido pela equipe da Vue Odonto, uma rede especializada em atendimento odontológico com foco no atendimento humanizado.

terça-feira, 17 de novembro de 2020

13:51

O que é o pré-natal odontológico?

Durante a gravidez, o pré-natal é um dos requisitos mais importantes para a gestante. Isso porque é por meio deste acompanhamento que a mamãe consegue ter todo o respaldo. Mas você sabia que também existe um pré-natal odontológico?

Essa é uma maneira de cuidar da saúde bucal de mulheres que estão prestes a ter um(a) filho(a). Afinal, o período gestacional pode fazer com que a cavidade bucal da mulher esteja mais suscetível à algumas doenças. 

pré-natal odontológico



Pensando nisso, criamos este artigo para te ajudar a entender um pouco do que se trata e também, dar algumas dicas de como garantir que esse período de 9 meses seja tranquilo para você e para o bebê! 

Afinal, como funciona o pré-natal odontológico?


Basicamente, o pré-natal odontológico é o acompanhamento de um dentista especializado na saúde bucal de gestantes no período de gravidez.

Esse cuidado é essencial para que não haja complicações de doenças já existentes e até mesmo, prevenir o aparecimento de outras novas.

Ter um profissional à sua disposição é importante pois é por meio dessas consultas periódicas que será possível entender qual o melhor momento para fazer alguns procedimentos cirúrgicos como a extracao de dente.

Afinal, cada gestação é única e é preciso ter todo um cuidado para atender as necessidades do feto e também, da gestante. 

Qual a importância?


Da mesma maneira que um obstetra é um profissional que precisa ser visitado com regularidade durante toda a gestação para saber como está o desenvolvimento do bebê, é preciso se consultar com um dentista.

Isso porque estudos apontam que doenças bucais podem afetar diretamente na saúde do bebê e chegando até mesmo a causar partos prematuros.

Portanto, ao invés de apenas pensar em um consultório odontológico quando precisar pesquisar procedimentos de emergência como “restauracao de dente quanto custa”, invista no pré-natal odontológico.

Desse modo, será possível ter uma gravidez tranquila e saudável. 

Qual a frequência que eu devo ir ao dentista no pré-natal odontológico?


Ao contrário de uma consulta de rotina de uma pessoa não grávida que visita o consultório a cada 6 meses ou só em casos como orçamento para saber “tratamento de canal preco”, o ideal é visitar o odontologista pelo menos 3 vezes durante todo o período de gestação.

É bom realizar uma consulta logo no início, outra no meio da gestação e a última próximo ao parto.

Dessa maneira, é possível garantir que a saúde da mãe e da criança foi monitorada a todo instante.

O que acontece em uma consulta odontológica com mulheres grávidas?


De modo geral, todas as consultas até o nascimento do bebê servem para que a gestante receba todas as principais orientações de como cuidar de sua higiene bucal.

Geralmente, na primeira avaliação, o profissional faz uma vistoria completa de toda a cavidade bucal e tira todas as dúvidas da paciente.

É neste momento que as mamães podem descobrir se estão liberadas para fazer um determinado procedimento como o clareamento dental e também, falar sobre todos os incômodos presentes.

Durante todo o acompanhamento, o dentista dá dicas de escovação, truques para que os vômitos prejudiquem menos os dentes e até mesmo, sobre como higienizar a boca do bebê nos primeiros meses de vida.

Afinal, mesmo antes do surgimento dos dentes, é preciso cuidar - e muito, da gengiva da criança para que os dentes permanentes nasçam fortes e saudáveis.

Outro ponto muito importante a ser discutido são os problemas causados por itens como chupetas e mamadeiras. 

Os problemas bucais potencializados na gravidez


Durante toda a gravidez, um dos problemas mais comuns é a gengivite.

Isso porque gestantes costumam ter a gengiva mais sensível devido a alteração hormonal e caso não seja feita uma higienização correta, os restos de alimentos podem acabar se calcificando e assim, é criada a placa bacteriana.

A partir disso, essa placa pode se agravar e causar sintomas como:

  • Inchaço gengival;
  • Sangramento durante a escovação;
  • Gengiva vermelha;
  • Abcessos na cavidade bucal.

Geralmente, neste estágio a doença deixou de ser uma gengivite e se tornou uma periodontite, uma inflamação mais grave e que pode fazer com que as bactérias cheguem a placenta por meio da corrente sanguínea.

Ao chegar na placenta e no cordão umbilical, essas bactérias podem gerar problemas respiratórios no bebê, diminuição de peso do feto e até mesmo, o parto prematuro.

Considerações finais


Agora que você já sabe qual a importância do pré-natal odontológico, comece agora mesmo a se programar para fazer um acompanhamento com um odontologista.

Caso você não tenha um plano dentário, não se preocupe. O Sistema Único de Saúde (SUS) oferece consultas gratuitas com dentistas qualificados e especializados em gestação.

Dessa maneira, você estará investindo em sua saúde e também, na de seu filho antes e após o parto.

Conteúdo produzido por Mayara Santos, redatora na empresa Clínica Ideal.

segunda-feira, 16 de novembro de 2020

18:09

Passo a passo para cuidar da saúde bucal dos bebês

A saúde bucal dos bebês é um dos fatores que mais preocupam os pais nos primeiros anos de vida da criança. Afinal, manter uma higienização correta para cada estágio de desenvolvimento é um processo que envolve muitos cuidados. 

Saúde bucal dos bebês

Desde a alimentação até a escovação correta, diversos aspectos influenciam para que problemas na dentição e complicações na cavidade bucal não sejam ocasionados.

Mas, qual a hora certa de começar a levar um bebê ao dentista? Quais os cuidados que os pais devem ter desde cedo?

Existem uma série de orientações em relação aos primeiros cuidados em relação à saúde bucal dos bebês. Continue lendo este conteúdo para saber mais! 

Primeira visita ao dentista


O aconselhado por profissionais da Odontologia é que a primeira visita ao dentista infantil seja feita a partir da aparição dos primeiros dentinhos. Normalmente, esse processo ocorre entre os 4 e 9 meses de idade, podendo variar para cada criança.

Dessa forma, os pais podem tirar todas as dúvidas relacionadas a higienização bucal dos bebês.

Em todas as idades, o indicado é realizar visitas periódicas ao dentista, assim, é possível evitar problemas bucais e, caso já existam, tratá-los o quanto antes.

Contratar um convenio odontologico pode facilitar a manter essa frequência para que a saúde bucal do bebê esteja sempre preservada e em ordem.

Além do mais, certas aparições de problemas bucais podem ser silenciosas, agravando-se com o tempo. Visto isso, o ideal é manter a regularidade das consultas ao dentista, o que pode ser garantido pelo plano.

Hoje, existe uma diversidade de coberturas de convenios odontologicos com os mais variados preços, capazes de atender às suas necessidades e a da sua família da melhor maneira possível.

Para isso, no entanto, é preciso pesquisar por aquelas que melhor atendam suas necessidades, orçamento e expectativa.

Dicas de higienização


Mesmo antes da aparição dos dentes é essencial realizar limpezas após as refeições. O aconselhado pelos profissionais da Odontologia é utilizar uma gaze levemente umedecida para limpar toda a região das gengivas, a parte interna da boca e a língua.

Essa limpeza é fundamental porque o leite possui açúcares que podem causar malefícios para a saúde bucal dos bebês.

Após a aparição dos dentinhos, a escovação já se torna necessária, bem como a realização de uma consulta com o plano odontologico ou em clínicas.

Manter a higienização correta é possível ao seguir os seguintes passos:

  1. Utilize uma escova de dentes própria para bebês;
  2. Na escova, coloque uma quantidade pequena de creme dental;
  3. Utilize o creme dental com flúor;
  4. A escovação deve ser feita com movimentos leves;
  5. Fique atento ao passar a escova em todos os lados dos dentes do bebê;
  6. Não esqueça de utilizar o fio dental;
  7. Escove bem a região da língua;
  8. Estimule a higienização bucal escovando os dentes em frente ao bebê.

Cabe ressaltar alguns detalhes referentes aos tópicos da lista, como a escova de dentes utilizada que precisa ter a cabeça pequena e cerdas macias para garantir a eficácia e o conforto durante a escovação.

Já sobre o uso do flúor, o produto deve conter a quantidade adequada para a idade do bebê, para que a saúde do dente e da criança sejam garantidos.

Por fim, o fio dental auxilia na retirada de resíduos alimentares que a escova não alcançou. Assim, é importante começar a aplicação do fio desde cedo, dessa forma, a criança irá se acostumar com o processo de limpeza, tornando-o mais fácil.

Busque produtos adequados


Como citamos brevemente, existem alguns produtos adequados para realizar a higienização bucal em bebês e crianças da maneira correta, como a escova e a pasta.

No entanto, não deixe de pedir a recomendação ao dentista do seu convenio dental para saber quais são os itens de higiene pessoal mais indicados para os pequenos!

Dessa forma, você garante a eficiência em todo o processo de escovação.
Cuidados com a alimentação

Bebês e crianças são mais suscetíveis a infecções causadas por cáries, placas bacterianas e inflamações na gengiva. Dessa forma, existem alguns cuidados extras com a alimentação que podem auxiliar na saúde bucal.

Desde cedo, é necessário introduzir uma alimentação saudável e balanceada. Alimentos como frutas em geral, vegetais, pães integrais, nozes e legumes influenciam de forma positiva na saúde bucal dos bebês.

Isso acontece pois estes alimentos exigem um maior tempo de mastigação, promovendo a melhora da lubrificação da mucosa bucal e o equilíbrio do PH da boca.

Além disso, é importante evitar alimentos industrializados. Esses contém quantidades excessivas de açúcar e corantes e podem influenciar no surgimento de cáries infantis. 

Considerações finais


Cuidar da saúde bucal desde cedo é primordial para o bem-estar e qualidade de vida de qualquer pessoa. Por mais que não pareça uma tarefa fácil, é essencial o acompanhamento dos pais em todo o processo.

Mostrar a importância da higienização constante faz com que as crianças aprendam sobre o processo e o realizem de forma correta.

Assim, é possível auxiliar na prevenção de problemas desde cedo, além de incentivar os pequenos a manterem os cuidados diários com a saúde bucal.

Conteúdo produzido por Victoria Mechenas, assessora e redatora na empresa Ideal Odonto
14:46

Saúde bucal infantil, 4 dicas de como criar hábitos saudáveis na infância

Quando somos crianças necessitamos diretamente dos nossos pais para conseguirmos uma boa prática de saúde bucal. Justamente por isso é importante que os responsáveis saibam como criar e inserir hábitos saudáveis na rotina dos seus filhos. 

Saúde bucal infantil

Até mesmo a alimentação pode influenciar no crescimento e força do corpo e dentes das crianças, trazendo resultados para toda a vida.

Por esse motivo, neste artigo daremos quatro dicas de como criar hábitos saudáveis na infância.

1- Tenha uma boa higiene bucal


Desde crianças somos ensinados e familiarizados com o ato de escovar os dentes e, mesmo quando não conseguimos realizar sozinhos, os nossos pais faziam por nós.

Com o passar dos anos, já temos mais facilidade e autonomia para realizar essa atividade sem ajuda. Mesmo assim é importante que os pais estejam sempre de olho na maneira que a escovação tem sido realizada, de modo a garantir a escovação adequada.

A orientação é que a escova e a pasta de dente passem por todos os dentes em movimento circulares.

Após a escovação também é importante passar o fio dental para retirar os resíduos de comida entre os dentes; além de utilizar o enxaguante bucal, realizando um bochecho por um minuto.

Também é importante reforçar que, para que uma boa higienização bucal seja realizada, a escova correta deve ser escolhida.

Opte sempre por escovas com cerdas mais macias e com cabeças menores, para não machucar a boca dos pequenos.

Já para tornar o momento mais descontraído e cativar as crianças, existem escovas de personagens em quadrinhos para motivá-los a escovar os dentes.

A pasta de dentes também tem que ser muito bem escolhida, e a partir dos seis anos de idade as crianças já podem utilizar pasta de dente com flúor.

É importante estar atento durante toda a escovação para que as crianças não forcem demais a ponto de ferir as gengivas, ou se esforcem de menos a ponto de escovar os dentes de maneira falha.

2- Tenha uma boa alimentação


Doces e guloseimas são os principais vilões da saúde bucal, isso porque os doces possuem grande quantidade de açúcar, o que aumenta as possibilidades de cárie.

A cárie, além de gerar o mau hálito, pode ocasionar dores nos dentes e, com o passar do tempo, o pode até fazê-lo cair.

Por isso é imprescindível tomar medidas de prevenção, cuidando adequadamente da saúde dental.

Para solucionar esse problema, após a queda do dente, o mais indicado é recorrer ao uso de um implante dental para reparar os danos causados pela bactéria.

Para isso, é essencial contar com um profissional especializado, de modo a garantir a funcionalidade do implante.

Para a prevenção, aposte em verduras e legumes, pois eles são grandes aliados da saúde bucal para fortalecer o esmalte dos dentes.

Cenoura, batata, espinafre, beterraba e pepino possuem grandes vitaminas, além de ferro e zinco e são capazes de fortalecer toda a estrutura dos dentes.

Dessa maneira, fica muito mais difícil que infecções ou doenças atinjam a boca e os dentes.

Sabemos que crianças gostam de doces e não necessariamente ele deve ser extinto da vida da criança, mas é necessário realizar um bom controle para que o consumo não seja excessivo.

Procure trocar comidas adocicadas de maneira industrial por frutas como maçã, banana ou manga, que são mais saudáveis e ajudam na saúde do organismo.

Além disso, o morango possui uma grande capacidade de clarear os dentes, auxiliando no aspecto “branquinho” tão almejado por todos.

Vale destacar que para ampliar esse resultado, além dos alimentos que clareiam naturalmente, é possível recorrer aos procedimentos estéticos como o clareamento consultorio.

3- Realize visitas frequentes ao dentista


Neste momento de pandemia, visitas aos dentistas ficaram mais difíceis de serem realizadas, mas elas não devem ser anuladas - principalmente para as crianças.

Quando crianças possuímos medo do desconhecido, são justamente esses casos que fazem com que os pequenos tenham medo de ir ao dentista, por conta da dor ou dos sons dos procedimentos.

Porém, quando temos o costume de ir ao dentista desde criança, ou vemos nossos pais irem ao dentista acabamos nos desvinculando deste medo.

Em casos mais específicos, em que os pais já repararam que a criança desencadeou algum trauma, é importante conversar com o dentista para que a consulta seja realizada de maneira descontraída.

Buscar um odontologista voltado para o atendimento infantil pode auxiliar nesse ponto. Somente dessa forma a criança se sentirá confortável em uma clínica odontológica.

Por menor que seja o procedimento que irá realizar, se você puder levar o seu filho na consulta demonstrará a importância da prática e que não há riscos em realizar as consultas, criando esse hábito para a criança.

Assim, na fase adulta, ela conseguirá fazer desde um tratamento com a colocação de lente de contato dente até uma profilaxia com o “temido motorzinho”, aprimorando o cuidado e estética dos dentes.

4- Realize a escovação após cada refeição


O hábito de escovação deve ser intensificado desde a infância, pois com o passar dos anos ela se torna uma ação mais prática.

Justamente por isso, é importante realizar a escovação após cada refeição desde a infância.

Dessa forma, cáries, tártaro, gengivite e periodontite dificilmente ocorrerão.

Mesmo com todos os cuidados, podem ocorrer imprevistos. Assim, caso alguma dessas inflamações venha a acontecer futuramente, não se preocupe, o principal é recorrer a um especialista para tratar da melhor forma a inflamação.

Por exemplo, atualmente já é possível colocar prótese sobre implante dentário de forma mais prática, o que pode ser uma grande solução para sua arcada dentária.

Seguindo todas essas dicas você conseguirá ter uma saúde bucal excelente, além de evitar grandes problemas no futuro, como dores ou incômodos ao sorrir.

Não se esqueça que o seu sorriso é o seu cartão de visitas e sorrir é extremamente importante para manter uma vida saudável e o bem-estar.

Conteúdo produzido por Dayane Goes, redatora da empresa Vue Odonto.

sexta-feira, 13 de novembro de 2020

10:35

Meu filho nasceu e agora como encontrar a melhor babá?

Como encontrar a melhor babá? Quem é mamãe ou papai de primeira viagem geralmente vai se deparar com este tipo de pergunta. Afinal de contas quase se trata dos nossos filhos, zelo nunca é demais.

Babá cuidando da menininha

Alguns até mesmo apostam em livros sobre o assunto, curso de primeiros socorros, ou até mesmo contratam algum tipo de coach. Seja como for a dúvida normalmente persiste.

Como encontrar a melhor babá?


Definitivamente existem algumas atitudes que você pode tomar para ter certeza que está investindo da maneira correta na pessoa correta. Mas é preciso entender também alguma hora você precisa ceder.

Seja como for queremos listar para você algumas dicas e instruções essenciais para você fazer a melhor escolha possível. Vamos conferir?

1 - Saiba o que você realmente precisa


Para escolher a babá correta é sempre preciso entender suas reais necessidades. Você quer alguém para em situações esporádicas ficar com seus filhos? Ou então deseja alguém para fazer companhia em período integral?

Vamos lá, se você quer alguém para ficar algumas horas enquanto você precisa ir até um evento específico, ou até mesmo ter um momento romântico com seu cônjuge, tudo fica mais fácil.

Basta pegar algumas referências, tomar os devidos cuidados e então aproveitar os serviços.

Mas se você precisa de alguém para levar e buscar as crianças da escola, dar as refeições, a prioridade é completamente diferente.

Antes de iniciar a busca entenda exatamente o tipo de serviço que você vai requerer do profissional. Depois de definido tudo fica muito mais fácil.

2 - Busque referências


Um dos melhores jeitos de conseguir resultados reais é ir atrás de quem já precisou de uma babá do jeito que você precisa. Assim você vai se arriscar menos, afinal de contas não estará indo atrás de alguém desconhecido.

Ao encontrar com a pessoa peça ainda mais referências de outro pai ou mãe que tenha utilizado os serviços da babá. Muitos terão prazer em recomendá-la, quando disserem que há algo errado realmente valerá a pena investigar.

Alguns locais mais povoados e privilegiados irão entregar a possibilidade de você contratar agências especializadas. Ou seja, uma empresa focada exatamente no ramo das cuidadoras e babás irá disponibilizar alguém para o serviço.

Você terá mais garantias, pois as seleções são feitas de maneira muito meticulosa. Além de poder reclamar para alguém caso exista um problema ou mesmo pedir a troca de profissionais caso tenha alguma desconfiança.

3 - Tente aplicativos


A informática está cada vez mais envolvida no nosso cotidiano. Muitos de nós não saberia simplesmente viver sem uma comunicação rápida e direta como o Whatsapp ou mesmo uma locomoção barata e confortável como o Uber.

Lógico que a tecnologia iria permitir algo como encontrar a melhor babá. Depende somente do tempo e de pessoas com mentes empreendedoras.

Neste caso podemos dizer que já existem alguns aplicativos focados nesta área. Você pode então contratar uma babá de acordo com as suas capacitações, recomendações e avaliações na plataforma.

O bom é que você terá uma base de pessoas que podem atestar, ou desaprovar, a pessoa que você vai escolher. Ninguém simplesmente irá avaliar mal alguém que possui um bom comportamento. Ainda que o faça terão outros para corrigir. E o mesmo vale para o contrário.

4 - Faça perguntas relevantes


Um dos pontos principais para você confirmar quem será a responsável por seus filhos é também fazer sua própria entrevista. Se o trabalho será fixo e você precisa de alguém que possa te deixar tranquilo, investigue, entreviste, faça o necessário.

Peça antes de mais nada uma ficha de antecedentes criminais. Isto muitas vezes já pode descartar a pessoa.

Faça perguntas que sejam realmente ligadas a assuntos cruciais para suas necessidades. Como por exemplo:

  • Você tem conhecimentos básicos ou fez algum curso de primeiros socorros?
  •  Por que você escolheu trabalhar com crianças?
  •  (se a pessoa tinha um outro trabalho) Por que você saiu do outro trabalho?
  •  Você está em busca de um outro emprego ultimamente?
  •  Quanto tempo você já trabalhou cuidando de crianças?
  •  Você tem algum tipo de certificação de cursos para cuidar de crianças?

Cada uma dessas perguntas então irá te trazer um quadro bastante relevante sobre a possibilidade de contratação.

Digamos por exemplo que a pessoa esteja buscando um emprego em outra área. É possível que ela abandone os serviços para agarrar uma oportunidade, e quem sairá com problemas é você.

5 - Se decida


Assim que ver que a pessoa está cumprindo seus requisitos básicos e tem destaque das outras, está na hora de começar a confiança. Ela é uma via de mão dupla.

Saber como encontrar a melhor babá é uma coisa, conseguir deixar ela sozinho com seus filhos é outra. Claro, sempre há riscos, mas é normal se sentir ameaçado mesmo quando tudo aponta para o contrário.

Decisão é algo necessário para começar.

Considerações finais


Há algumas atitudes que precisam ser tomadas mesmo quando você já se sente confortável com a pessoa. Acredite ou não, mas também podemos ser enganados.

Então sempre que possível é importante fazer o seu melhor para conversar com seus filhos e perguntar o que eles acham da profissional.

Claro, sempre faça este tipo de pergunta e conversa longe da pessoa. De preferência em um horário em que ela não esteja presente.

Algumas pessoas escolhem até mesmo a possibilidade de colocar câmeras escondidas para monitorar o dia a dia e comportamento.

Ensine para seus filhos o que pode ou não ser feito pela pessoa. Diga que você vai proteger, e que não devem ter medo de ameaças.

Se necessário peça para algum vizinho até mesmo tentar observar a situação.

Acredite você ou não, mas a maioria das pessoas também pode se sentir envolvida na situação. E claro, sempre que possível esteja presente e observe o comportamento e interação.

Com o tempo você estará confortável com o quadro geral.

No mais acho que é só, espero que você já saiba como encontrar a melhor babá. Mas se ainda ficou alguma dúvida estamos aqui para ajudar.

Basta fazer suas perguntas na sessão de comentários abaixo e responderemos assim que possível.

quarta-feira, 11 de novembro de 2020

11:34

Caminhada na praia: como aproveitar os benefícios nas férias

Se você gosta de caminhar, por que não aproveitar todos os benefícios dessa atividade física? E se você vai tirar férias em um local de praia, que tal praticar caminhada todos os dias?

Seja uma caminhada mais lenta ou mais rápida, qualquer pessoa pode fazer e mesmo que você não tenha praia perto, pode praticar em qualquer outro lugar, não importa qual hora do dia e não importa qual época do ano.

Além disso, basta 30 minutos por dia, onde praticamente todo mundo pode praticar sem nenhum risco.

Caminhada na praia

Uma outra vantagem da caminhada é que se trata de uma atividade que protege as articulações, sendo indicada para jovens, idosos, pessoas mais sedentárias, com sobrepeso...

Se você ainda está em dúvida se deve ou não dar uma caminhada na praia, pois tem receio de sobrecarregar seu joelho ou sofrer alguma lesão, separamos aqui os principais benefícios e você verá que é uma das melhores atividades físicas.

Os benefícios da caminhada na praia


Saiba que a caminhada não só beneficia a sua saúde física, mas principalmente sua saúde mental.

Isso porque ajuda a aliviar o estresse, as tensões do dia a dia, a ansiedade, enfim, purifica a mente. E já imaginou caminhar olhando para o mar, vendo aquela vista maravilhosa?

Já pelo lado da sua saúde física, é um tipo de exercício que traz muitos benefícios:

  • Tonifica todos os músculos do corpo;
  • Ativa a circulação sanguínea;
  • Ajuda na perda de peso;
  • Melhora o ritmo cardíaco;
  • Diminui os riscos de doenças cardiovasculares;
  • Reduz a pressão arterial e o colesterol;
  • Ajuda a prevenir a osteoporose;
  • Melhora a função respiratória;
  • Previne o diabetes, pois reduz a taxa de açúcar no sangue;
  • Melhora o humor.

Só que você só vai aproveitar tudo isso se mantiver uma regularidade, de preferência fazendo uma caminhada durante 30 a 40 minutos pelos menos 5 vezes por semana.

Agora, se por um acaso você more em uma região que não tenha praia, isso não significa que também não pode aproveitar.

E caso esteja planejando suas férias em um local de praia, é mais uma oportunidade para se movimentar e desfrutar de todos esses benefícios.


Como praticar a caminhada na praia para aproveitar esses benefícios?


Agora que você já viu quais os principais benefícios da caminhada para a sua saúde física e mental, é importante saber como praticar.

Em primeiro lugar, ter um bom par de tênis. E o que seria um bom par de tênis?

Seriam sapatos confortáveis, de forma que sejam adaptados à forma de seus pés. Assim, você poderá fazer longas caminhadas sem sentir nenhum desconforto.

Caso contrário, pode forçar mais seu joelho, por exemplo. E o que seria um momento de prazer, pode se tornar um sério problema.

Se por um acaso você sentir qualquer dor ou desconforto no joelho, o melhor é parar a caminhada para não piorar. Caso a dor seja persistente, a dica é investigar o que pode estar causando essa dor.

Nesse caso específico, vale a pena consultar um médico ortopedista especialista em joelho, inclusive ele pode te orientar quanto à maneira mais indicada de caminhar.

Você também deve escolher roupas leves, de preferência que possam suportar as variações do tempo. E não se esqueça da garrafinha de água e protetor solar.

Agora, e talvez o mais importante, é adotar uma boa postura, ou seja, cabeça reta, coluna reta, mantendo os ombros e braços relaxados.

O ideal é não inclinar nem para frente nem para trás, caminhe no seu ritmo, respirando regularmente e olhando sempre para frente.

Qualquer pessoa pode fazer?


Esse é o grande diferencial da caminhada: não existe idade! Desde jovens até idosos podem fazer e é um tipo de exercício físico sem perigo de riscos e lesões.

Isso porque é uma atividade de baixo impacto, muito menos agressiva para suas articulações, joelho, coluna, etc.

E diante de todos os benefícios descritos acima, a caminhada é ideal para quem quer conservar sua saúde física, mas também psicológica.

É um exercício fácil de praticar, sem causar qualquer tipo de traumatismo em seu corpo, o que melhora muito sua qualidade de vida.

Enfim, não existe qualquer contraindicação, mas sempre é uma boa ideia conversar com seu médico antes, principalmente se tem alguma doença crônica.

O mais importante aqui é se exercitar e a caminhada na praia pode ser um ótimo começo!

Gostou do artigo? Compartilhe em suas redes sociais.

terça-feira, 3 de novembro de 2020

22:17

Pensão alimentícia: como funciona

A discussão sobre o direito de receber e o dever de pagar a pensão alimentícia é recorrente para muitas famílias brasileiras e, para entender mais sobre o tema, deve-se ver como a lei regula as relações familiares. 

pensão alimentícia


Devemos iniciar falando sobre a Constituição Federal, a qual disciplina que todos têm o direito de viver com dignidade, portanto, a necessidade de fornecer alimentos surge para assegurar a inviolabilidade do direito à vida e à integridade física. Cabendo, inclusive, prisão civil para o devedor de alimentos.

Quem deve pagar pensão alimentícia?


O dever de pagar alimentos surge através do poder familiar e, havendo a separação de fato, onde o casal que tem ou não um filho passa a não residir no mesmo local, o dever de mútua assistência faz com que a pensão alimentícia seja obrigatória. Além do mais, importante ressaltar que o Código Civil define que a obrigação alimentar é recíproca entre os cônjuges, companheiros e entre parentes.

Vale mencionar que o objetivo da pensão alimentícia é o de atender às necessidades de uma pessoa que não pode prover a própria subsistência, tendo como fundamento básico o princípio da solidariedade. Então, a obrigação ocorre através dos laços de parentesco que ligam uma família, seja ela derivada de um casamento ou de uma união estável.

E o que são os alimentos? Não há no Código Civil uma especificação de o que eles seriam, mas, olhando na Constituição podemos ver que ela assegura às crianças e adolescentes o direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao lazer, à cultura, à dignidade e à profissionalização. Logo, deve-se pensar que esse é o parâmetro para a pensão alimentícia.

Quem tem direito à pensão alimentícia?


Num primeiro momento pensamos que somente os filhos menores de idade possuem direito à pensão alimentícia. No entanto, o Código Civil determina que parentes, cônjuges ou companheiros também podem pedir pensão alimentícia para a outra parte.

Portanto, os pais podem pedir alimentos para os filhos, assim como um dos companheiros ou cônjuges pode pedir pensão para seu antigo parceiro.

No entanto, importante ressaltar que o direito deve ser provado. Portanto, aquele que pede os alimentos, com exceção dos filhos menores de idade, deve provar que necessita do valor para sua sobrevivência e subsistência.

A esposa e a mulher grávida podem pedir alimentos?


Sim. Para a ex-companheira, após o divórcio, existem os chamados alimentos compensatórios resultantes do dever de mútua assistência do casamento, onde, dependendo do caso concreto, o Juiz determina um valor a ser pago pelo antigo companheiro em função do grande desnível econômico entre eles.

Caso seja necessário o pagamento de pensão alimentícia para a ex-esposa, deve-se destacar que ele será necessário apenas enquanto a mulher não conseguir se reestabelecer no mercado de trabalho e estiver com dificuldades de se estabilizar financeiramente.

Já no caso da mulher grávida, estamos falando do direito do feto, que, apesar de não nascido tem direito à vida e à saúde. Assim, a mãe tem direito ao auxílio durante a gravidez para todos os gastos relacionados ao bebê, como exames e medicamentos relacionados ao pré-natal.

Por quanto tempo a pensão alimentícia deve ser paga?


Não há um prazo final definido para o pagamento de alimentos. Deve-se analisar para quem a pensão está sendo paga e quais as particularidades do caso.

O pagamento para filhos menores de idade, por exemplo, costuma ser devido até os 18 anos ou até os 24 anos caso a pessoa faça um curso superior.

Já no pagamento para o ex-cônjuge ou ex-companheiro, deve ser analisada a sua necessidade e obrigatoriedade, sendo que, enquanto estiver sendo provado que o beneficiário da pensão necessita dela e que não possui condições de ser financeiramente independente, é obrigatório o pagamento.

Por fim, há os casos em que a pensão será devida por toda a vida, o que ocorre quando a pessoa sofre de alguma doença ou incapacidade que a impossibilite de construir sua independência financeira.

Como é feito o pedido de pensão alimentícia?


Para solicitar judicialmente a pensão alimentícia é necessária a contratação de um advogado que possua conhecimento em direito de família ou de um defensor público, caso o requerente não possua meios para arcar com um advogado.

Com a contratação realizada, o profissional requisitará todos os documentos necessários, como: certidão de nascimento dos filhos menores, seus documentos pessoais e comprovantes de despesas mensais.

Após juntar e analisar todos os documentos, o advogado entrará com uma ação judicial.

É possível, também, que a pensão seja definida consensualmente, então o advogado pode auxiliar na elaboração de um acordo, o qual será homologado pelo juiz e servirá de título executivo judicial.

Qual o valor da pensão alimentícia?


Não há uma tabela já definida por lei com valores pré-estabelecidos. Isso porque deve-se analisar o caso concreto e estabelecer o binômio necessidade/capacidade entre as partes.

Então, considerando a renda mensal daquele que deve pagar os alimentos e a necessidade dos alimentandos, o Magistrado define a parcela mensal a ser paga, a qual, normalmente, equivale à 30% da renda mensal do que tem obrigação de dar.

E caso ocorra o aumento na renda do alimentante? Isso não necessariamente indica a necessidade de majoração da pensão alimentícia, pois, se o valor anteriormente pago estiver suprindo as necessidades dos alimentados, o quesito necessidade estará atendido.

Pode ocorrer a prisão por atraso do pagamento da pensão?


Após a decisão do judicial de fixação dos alimentos, caso o alimentante pare de pagá-los, deve ser proposta uma ação de execução, onde o Juiz irá intimá-lo para pagar as parcelas devidas ou para se manifestar, devendo demonstrar um motivo válido e apresentar provas de porquê encontra-se inadimplente.

Caso isso não ocorra, o Magistrado pode determinar a prisão civil do alimentante, já que se está diante de abandono material.

Uma exceção ao explicitado acima é que, durante o momento atual que vivemos com a pandemia do COVID-19, houve a expedição da lei 1.179/20, a qual flexibiliza relações jurídicas privadas e atinge o direito de família. Assim, ficou determinado que a prisão civil por alimentos deve ser cumprida em regime domiciliar durante a situação de saúde atual.

quarta-feira, 28 de outubro de 2020

18:50

Os melhores tipos de pisos para crianças brincarem

Decorar um quarto infantil certamente é um dos momentos mais divertidos quando vamos construir ou reformar um imóvel. Mas, além de pensar em móveis, cores de parede e objetos decorativos, é essencial escolher um piso adequado. Isso porque, ele será o responsável por promover conforto térmico, aconchego, saúde e segurança para o pequeno. Independente da idade de sua idade, seja recém-nascido, planejado ou já esteja um pouco maior, o piso possui benefícios para todas as épocas.

pisos-crianças-brincarem

Atualmente, o Brasil possui um alto índice de doenças como dermatite, asma e rinite, que são causadas devido ao acúmulo de pó e ácaros. Portanto, encontrar revestimentos adequados não é apenas comprar o mais bonito, mas sim levar em consideração os fatores citados anteriormente.

Caso deseje reformar seu imóvel alugado, é importante verificar essa possibilidade com a imobiliária. Agora, se estiver à procura, é importante deixar claro que você deseja encontrar uma casa ou apartamento com o piso adequado, ou que seja possível realizar esse tipo de modificação. Com tanta experiência no mercado, a imobiliária irá encontrar o local ideal para você criar seu pequeno com toda a segurança possível.

Portanto, no post de hoje, vamos falar um pouco sobre cada tipo de piso recomendado para quartos infantis para que você possa escolher o mais adequado para você e seu pequeno.

Planejamento


Bom, antes de escolher o tipo de piso que seu pequeno vai dar os primeiros passos e se desenvolver, é preciso criar um planejamento. Isso porque, quando você não coloca limites é muito provável que seu orçamento estoure e se torne uma bola de neve. Portanto pesquise valores, benefícios e características de cada um (com a ajuda do post de hoje) para compreender o que melhor irá atender suas necessidades, gostos e orçamento. Lembre-se de colocar na ponta do lápis todos os seus gastos e lembrar que em reformas sempre surgem novos itens, sendo assim, é importante estar preparado.

Vantagens e desvantagens de cada tipo de revestimento


Agora vamos falar sobre os prós e contras de cada tipo de revestimento para que você possa escolher a melhor opção avaliando a composição visual, custo-benefício e segurança do pequeno.

Revestimento vinílico


Esse tipo de piso é constituído de camadas de PVC, sendo de fácil manutenção, aplicação, e fazendo menos sujeira quando comparado com os demais. A limpeza também é mais fácil, exigindo apenas vassouras com cerdas macias e rodos com panos úmidos. Com um tratamento bactericida, esse piso é uma das opções mais indicadas por profissionais da área, quando falamos de quarto infantil. Possui diversas cores e padronagens disponíveis, sendo muito versátil e contribuindo muito para a decoração do ambiente. Além disso, ele é antiderrapante causando menos tombos e choradeira nos pequenos.

Laminado de alta pressão ou resistência


A principal diferença entre esses dois modelos é a maneira como são instalados. O primeiro é colado diretamente no contrapiso por meio de um adesivo de contato. Já o segundo é fixado com encaixes, sem precisar ter contato direto com a base. Os dois são resistentes aos riscos e manchas (o que é uma ótima característica, visto que as crianças podem ser bem criativas quando querem). Além disso, eles são fáceis de limpar e antialérgicos, possuindo um ótimo custo-benefício.

Madeira


A madeira maciça, que se transforma em assoalhos de tacos ou tábuas são mais simples de limpar, além de promoverem conforto térmico e deixar o ambiente mais confortável. Contudo, é importante ficar atento, visto que esse tipo de piso pode riscar facilmente, sendo indicado optar pelos pisos laminados.

Cerâmica e porcelanato


Ainda que sejam diferentes entre si, eles possuem uma característica em comum: são pisos frios para casas ou apartamentos com crianças. Por mais que sejam resistentes e de fácil manutenção, eles não contribuem para a saúde dos pequenos, visto que eles costumam ficar bastante tempo no chão. Além disso, não são indicados para aqueles que residem em cidades com inverno mais rigoroso.

Carpete


Não instale o carpete em quartos infantis, visto que esse tipo acumula muita poeira, ácaros e mofo, além de ser menos resistente à umidade.

EVA


Tatames feitos com esse tipo de material (parecido com a borracha) são ideais para espaços voltados para brincadeiras. Assim, mesmo se o piso for considerado frio, os pequenos podem brincar livremente e de forma segura. Contudo, ele não é recomendado para aplicar no quarto todo, visto que possui baixa durabilidade.

Piso de poliuretano


Conhecido como piso de resina, mas na verdade é composto por poliuretano, que nada mais é do que uma resina autonivelante aplicada por cima de outros pisos, como concreto e madeira. Ele torna o piso resistente e higiênico, visto que não possui juntas e ainda conta com proteção térmica e acústica.

Bom, agora que você já sabe sobre cada um dos revestimentos, consegue escolher o mais adequado para o quarto de seu pequeno, levando em conta sua saúde e segurança.

sexta-feira, 23 de outubro de 2020

18:42

Black Friday: 4 sugestões de presentes perfeitos para mães e gestantes

Aproveite o grande dia das ofertas para investir em presentes úteis e criativos. 

A Black Friday está chegando. Originário dos Estados Unidos, mas com grande recepção em nosso país, o dia D das promoções é o momento certo para quem quer economizar na compra de presentes de fim de ano. Aparelhos eletrônicos e eletrodomésticos são os que costumam receber mais descontos na época, mas os itens relacionados à cultura e ao lazer não ficam para trás. 

Criança com um ursinho

Quem quer presentear mães e gestantes no Natal pode aproveitar a data para se organizar e comprar os itens com antecedência. Em 2020, a Black Friday acontece no dia 27 de novembro, mas muitas lojas e marcas prolongam as promoções por toda a semana e, às vezes, durante o mês inteiro. Então, fique atenta e confira cinco dicas de presentes perfeitos. 

Tablet


Inicialmente, os tablets foram desenvolvidos para serem leitores de texto mais portáteis que um computador, mas com uma tela maior que a do celular. Por isso, muitos deles têm a função de redução de brilho, que simula uma folha de papel impressa.

Contudo, nos últimos anos, eles evoluíram bastante, sendo um presente bastante útil para qualquer adulto. No caso das mães e das gestantes, isso não é diferente. Aquelas que têm um bebê recém-nascido, por exemplo, podem utilizar o aparelho como uma babá eletrônica.

Para isso, basta instalar algum aplicativo com esta função, tanto no tablet, quanto no smartphone, lembrando que ambos devem ter acesso à internet. Além disso, aquelas que trabalham em casa e precisam conciliar a vida doméstica com a profissional vão encontrar no tablet um dispositivo aliado às diversas funções e necessidades do dia a dia.

Smartphone


Tal como o tablet, os celulares sempre serão um bom presente para qualquer adulto, pois são aparelhos com diversas funções de uso, em especial, os lançamentos mais recentes.

No caso das mães, além de serem um item essencial para aquelas que desejam utilizar o aparelho como babá eletrônica, eles complementam diversas outras situações. Vale lembrar que o tablet não substitui o celular e vice-versa. De todo modo, eles podem trabalhar em conjunto.

Na hora de presentear e surpreender aquela amiga que é mãe ou gestante, faça uma pesquisa: pergunte às pessoas próximas a ela qual dos aparelhos será mais útil no momento. Assim, você fará a escolha certa.

Em ambos os casos, diversos aplicativos relacionados à saúde da mulher e do bebê poderão ser baixados, o que torna qualquer um dos dois aparelhos extremamente úteis, mesmo isoladamente. 

Livros


Além dos eletrônicos, os livros são itens que costumam receber grandes descontos durante a Black Friday. Bem mais baratos que aparelhos digitais, eles podem ser uma ótima opção para quem está com o orçamento mais apertado.

Tais como os aplicativos dos tablets e dos celulares, livros podem trazer boas informações sobre a saúde do bebê e da mulher. Aqui, a dica é adequar o item às preferências da presenteada. Se sua amiga for vegetariana, por exemplo, um exemplar de receitas baseadas em vegetais, para bebês e crianças, tem mais chances de agradar. 

Viagens


Apesar de não ser comum presentear alguém com uma viagem, esta pode ser a chance de fazer a diferença e surpreender. Na Black Friday, é comum que passagens e pacotes turísticos cheguem a 50% de desconto, sendo uma oportunidade única para economizar nas compras dessa categoria.

A tarefa de ser mãe não é nada fácil, especialmente, para aquelas que têm dupla jornada de trabalho. Assim, quem quiser oferecer um momento de descanso a essas guerreiras pode apresentá-las com uma viagem incrível.

quarta-feira, 21 de outubro de 2020

11:07

Odontopediatria e a sua importância na saúde da criança

Desde os primeiros meses de gestação, é muito comum que as mães já se preocupem com diversos pontos. A escolha do nome, o colégio ideal, qual será o tipo de alimentação aceitam, entre outros fatores. 

Odontopediatria

Contudo, muitos responsáveis não se preocupam com um dos pontos cruciais para a criança: a saúde bucal.

Infelizmente, a primeira consulta com um dentista na maior parte das vezes acontece apenas na adolescência, ou então, quando há algum tipo de trauma como um dente quebrado ou um caso avançado de cárie.

Porém, a odontopediatria serve para que haja uma prevenção de doenças e complicações na vida adulta.

Neste artigo vamos te falar um pouco mais sobre a importância dessa especialidade. Continue a leitura! 

Conhecendo a odontopediatria e sua importância


A odontopediatria é a área responsável pelos cuidados da saúde bucal das crianças. Estes especialistas são essenciais para o desenvolvimento e crescimento dos pequenos.

Dessa forma, doenças bucais poderão ser evitadas caso diagnosticadas na infância. Eles são os responsáveis por cuidar dos dentes primários e também dos permanentes.

Vale ressaltar que a ida ao dentista desde os primeiros meses de vida evita que futuramente essa criança tenha algum tipo de odontofobia.

Afinal, grande parte da população entra em pânico só de imaginar o som do aparelho utilizado para a aplicação de uma lente de contato dental.

O ideal é que a primeira consulta aconteça logo quando os primeiros dentes começarem a surgir. Quanto mais cedo você levar o seu bebê para o dentista, mais bem preparado você estará para cuidar da saúde do seu filho.

Qual a importância de se consultar com um dentista logo nos primeiros meses de vida?


A saúde bucal requer cuidados logo nos primeiros meses de vida. Afinal, a região bucal pode ser porta de entrada para diversas doenças e, infelizmente, nem as crianças estão à salvo.

Mesmo que os dentes permanentes ainda não tenham nascido, é essencial ter alguns cuidados como a higienização correta dos dentes de leite e gengiva para que não haja acúmulo de alimentos.

Dessa forma, você estará evitando que a sua criança desenvolva a tão temida cárie. E o pior, caso a criança já tenha trocado a sua dentição, estas doenças podem ser irreparáveis e, futuramente, precisarão realizar procedimentos como implantes dentários.

Outro problema recorrente na infância pode ser o bruxismo, um hábito de cerrar os dentes de forma involuntária.

A maior parte das causas é devido a instabilidades emocionais e pode ser diagnosticada por profissionais, inclusive por um odontopediatra.

É exatamente por isso que você deve levar a criança ao dentista regularmente desde muito jovem.

Dessa forma, em casos como este, você estará prevenindo que o seu bebê desenvolva doenças e não seja necessário esperar os dentes permanentes crescerem para inserirem lente nos dentes desgastados.

Descubra quais são os cuidados essenciais a serem tomados


Existem alguns cuidados a serem tomados a fim de potencializar o trabalho de um odontopediatra. Por isso, separamos uma lista com as principais atitudes a serem tomadas: 

Cuide da alimentação da criança


Os alimentos ingeridos por uma criança podem afetar diretamente sua saúde bucal.

Sabemos que na introdução alimentar muitas famílias acabam cedendo e oferecem guloseimas e lanches industrializados.

Contudo, além do risco de desenvolver doenças como a obesidade, o excesso de carboidratos e açúcares pode fazer com que doenças como a cárie e gengivite sejam desenvolvidas.

Preze por alimentos naturais e ricos em nutrientes como frutas, legumes e verduras. 

Incentive uma boa higienização


Outro cuidado essencial a se ter desde muito cedo é a higienização bucal. Essa é uma tarefa que está na rotina de todos os adultos, contudo, precisa ser reforçada diariamente.

Caso o bebê ainda não possua dentes, utilize uma gaze umedecida com água e passe na gengiva do bebê para que não fique nenhum resquício de alimento.

Conforme os dentinhos forem crescendo, compre uma escova macia e um creme dental.

Ensine de forma lúdica e divertida a como escovar os dentes de maneira correta, qual a posição da escova e quanto tempo correto da escovação. 

Fique de olho


Quando os primeiros dentes permanentes começarem a nascer, é preciso fazer uma avaliação com um profissional e se certificar que todos os dentes crescem fortes e saudáveis.

É também nessa etapa que muitas crianças começam a cuidar da mordida cruzada ou de outros problemas como diastemas.

Neste caso, a melhor opção é a utilização de aparelho dental transparente, uma vez que nesta idade muitas crianças se incomodam com a sua aparência e têm resistência a muitos procedimentos.

Para finalizar, lembre-se sempre que o odontopediatra não existe por acaso. Visitar um consultório odontológico logo nos primeiros meses de vida é essencial para que futuros problemas sejam evitados.

Conteúdo produzido por Mayara Santos, redatora na empresa Vue Odonto

quinta-feira, 8 de outubro de 2020

15:08

5 dores comuns durante a gravidez e como amenizá-las

dores comuns durante a gravidez

Saiba como evitar os principais problemas de saúde durante a gravidez

É comum que mulheres grávidas sobram de diversos tipos de dor durante a gravidez, e isso acaba sendo comum.

Não é apenas a ansiedade e o nervosismo, mas também as dores físicas, que acabam incomodando muitas mães, especialmente as de primeira viagem.

Por isso, hoje falaremos das 5 dores mais comuns durante a gravidez e como amenizá-las.

1. Dores de Cabeça


Essa é, talvez, a dor mais comum que as mulheres grávidas sentem. A maioria das mães já sentiu essa dor durante a gravidez.

Para evitar esse problema, podem ser feitas três medidas principais:

  • Colocar panos quentes sobre a face: fazer isso que tende a causar relaxamento e diminuir as dores;
  • Descansar em um lugar confortável: apesar de ser difícil de arranjar tempo para isso, é fundamental ter um tempo para o descanso;
  • Receber massagens: peça para seu parceiro te dar uma massagem relaxante, que vai te acalmar e diminuir dores

2. Cólica


Sentir cólica é perfeitamente comum, já que esse é um sinal de que a criança está crescendo e, por causa disso, o útero precisa se adaptar ao tamanho do bebê.


Algumas medidas que você pode tomar para aliviar as dores:

  • Acariciar o bebê na barriga, buscando acalmá-lo e se conectando com a criança;
  • Tentar descansar em um lugar confortável e evitar trabalhos muito desgastantes;

Vale notar que, caso esse sintoma seja muito forte e ocorra durante muito tempo, vale a pena procurar um médico de confiança.

3. Dor nas Costas


Com o aumento do peso do bebê que está crescendo, é comum que a futura mãe sinta dor nas costas, que podem acabar sendo muito severas.

Algumas medidas a serem tomadas:

  • Buscar melhorar a postura;
  • Dormir em um colchão adequado, que não seja tão mole;
  • Se alongar com certa frequência (evitando excessos por conta do bebê).


Repare que as medidas a serem tomadas são universais, válidas também para pessoas que não estão grávidas. 

4. Dor nas Pernas e Braços


As dores nas pernas e braços são comuns por causa do esforço que a coluna faz para sustentar o peso do bebê.

De forma geral, é possível tomar algumas atitudes para melhorar esses problemas:

  • Evitar ficar muito tempo sentada ou em pé (variar);
  • Não usar salto alto;
  • Colocar um travesseiro entre as pernas e dormir na posição lateral.

Dessa forma, você pode evitar essas dores comuns.

5. Dor nos Seios


É comum que existam dores nos seios por conta do crescimento das mamas durante a gravidez.

Para cuidar disso, é possível tomar algumas medidas:

  • Usar sutiãs de maternidade, feitos especialmente para esses momentos;
  • Tirar as medidas frequentemente e comprar novos sutiãs desse tipo quando for preciso. 

5 Dores comuns durante a Gravides – Resumo


  1. Para evitar dores de cabeça, é possível tentar descansar e colocar panos quentes sobre a cabeça;
  2. É possível evitar cólicas descansando em um lugar confortável para tentar controlar a dor;
  3. Para melhorar das dores nas costas, busque se alongar com moderação e evitar má postura;
  4. Melhore as dores nas pernas e braços evitando ficar muito parada e evitando usar salto alto;
  5. Você pode melhorar a dor nos seios usando sutiãs de maternidade.

sexta-feira, 25 de setembro de 2020

18:44

Como o aleitamento materno ajuda na saúde bucal de seu bebê?

A amamentação é considerada um momento especial entre mãe e filho, principalmente porque a atenção da mãe está totalmente voltada para o bebê. Mas, além de fortalecer a relação, esse ato também é essencial para a saúde da criança. 


aleitamento materno


Segundo o Ministério da Saúde, o aleitamento materno reduz em 13% a mortalidade infantil entre crianças de até cinco anos de idade, além de diminuir os riscos de desenvolver problemas, como diarreia, infecções respiratórias, alergias, diabetes, colesterol alto e hipertensão.

Esses benefícios já são amplamente conhecidos pelo público, entretanto, muitas mães não sabem que o leite e o ato de amamentar são fatores poderosos também para a saúde bucal das crianças.

Continue lendo para saber os benefícios que fazem da amamentação uma importante aliada para o desenvolvimento oral infantil!

Os benefícios da amamentação para a saúde bucal infantil


Fortalecimento da musculatura bucal


A amamentação feita no seio da mãe funciona como ginástica facial, pois trabalha a musculatura da língua, bochecha e lábios. Além disso, o exercício de sugar e engolir o leite estimula os ossos e os dentes a crescerem corretamente, de forma harmoniosa.

Tudo isso torna a amamentação um fator crucial para o desenvolvimento do rosto das crianças. Seus benefícios, inclusive, podem ser vistos em idades mais avançadas, pois a formação correta da arcada dentária diminui os riscos de problemas ortodônticos. 

Auxílio no desenvolvimento fonético


O ato de nos comunicarmos e, principalmente, a pronúncia das palavras é algo que desenvolvemos aos poucos ao longo da nossa infância.

No entanto, o posicionamento da língua influencia diretamente na nossa dicção. O aleitamento ajuda nesse sentido, pois o bebê precisa aprender a posicionar a língua enquanto mama a fim de sugar o leite.

Além disso, a posição do nosso queixo também influencia diretamente na reprodução de sons. O que acontece é que essa parte do nosso rosto nasce um pouco para trás em relação a sua posição ideal.

O ato de mamar ajuda a projetar o queixo para frente e, assim, a deixá-lo na posição correta para a fala.

Previne a respiração bucal


Uma das coisas que mais prejudicam a nossa saúde bucal é quando respiramos pela boca ao invés do nariz. Isso porque, a respiração bucal deixa a boca seca, o que estimula o surgimento de cáries e inflamações gengivais.

Podemos evitar, ainda na infância, que isso aconteça com o aleitamento materno. Como dito anteriormente, é nesse momento que o bebê aprende a posicionar corretamente a língua, permitindo com que ele respire simultaneamente pelo nariz enquanto mama.

Esse fator, atrelado ao bom desenvolvimento da estrutura óssea do maxilar, impede que o caminho pelo qual o ar passa se feche, facilitando a respiração nasal.

Fortalece os dentes


O leite, ainda que industrializado, é rico em cálcio e Vitamina D. Esses e outros minerais presentes no leite são importantíssimos para o fortalecimento e conservação dos dentes.

Outro benefício do leite materno é que ele cria uma película protetora em volta dos dentes da criança, evitando a formação de placas bacterianas.

Cuidados com os dentes infantis


Evite o uso da mamadeira


Muitas vezes, a amamentação no seio não é possível, entretanto, o uso da mamadeira prejudica a fala, a formação da dentição e estimula a respiração bucal.

Nesses casos, dê preferência a outros métodos, como o uso de um copinho pequeno. Com o uso dele, o bebê continuará a movimentar a língua para chegar ao leite, assim como ele faria para sugar o leite do seio.

Se atente a higiene bucal do seu filho


O aleitamento deve vir acompanhado de cuidados com a higiene bucal da criança.

Esse hábito deve começar antes do nascimento do primeiros dentes de leite. É recomendado que após a amamentação a boca do bebê seja higienizada com o auxílio de uma gaze ou fralda.

O responsável irá massagear a gengiva, o lábio e língua para evitar que o leite se acumule. A higienização também pode ser feita com o auxílio de uma dedeira de silicone.

Após o surgimento dos primeiros dentes esse processo é intensificado. Ao completar o primeiro ano a higienização já pode começar a ser feita com a escova infantil, mas sem o uso de pastas ou com o auxílio de pastas sem flúor.

Visitas ao dentista


Muitas vezes, os responsáveis pela criança a levam para o pediatra regularmente, mas deixam a vista ao dentista de lado. Muitas dessas crianças, inclusive, nem contam com o apoio de convênios odontológicos.

Bom, as dicas acima de nada adiantarão sem o devido acompanhamento de um profissional. Por isso, é importante que você faça um convênio dentário para o seu filho.

Assim, você não só previne problemas futuros como, também, o estimula a gostar do ambiente da clínica. Isso evita o desenvolvimento da famosa odontofobia (medo de dentistas).

Caso você ainda não tenha um convênio odontológico verifique com a empresa em que você trabalha se eles contam com um plano dental empresarial.

Atualmente, o plano odonto empresa é um benefício oferecido por muitas organizações, mas que, infelizmente, não é aderido tanto quanto deveria entre os colaboradores.

Apoio à amamentação


A amamentação é uma prática fundamental para a saúde bucal da nossa sociedade, pois os seus benefícios ecoam também no futuro das crianças.

Essa importância tem ganhado cada vez mais visibilidade e vem sendo amplamente divulgada. Isso pode ser visto em Agosto, mês dedicado a ações que estimulam a prática da amamentação.

A campanha conhecida como “Agosto Dourado” tem esse nome porque atribui ao leite materno o termo “leite de ouro”, fazendo alusão às suas propriedades benéficas.

Por meio dessa campanha e tantas outras iniciativas, como o conteúdo que você acabou de ler, fica claro que o aleitamento é uma demonstração de amor e cuidado com o seu filho.

Texto produzido por Estela Lima, redatora da empresa Ideal Odonto.

sexta-feira, 18 de setembro de 2020

21:52

A importância de brinquedos educativos para o desenvolvimento da criança

Hoje em dia as mais diversas correntes pedagógicas, em sua maioria, entraram em concordância sobre a ideia de que é possível transformar os momentos de lazer e diversão das crianças, em momentos de aprendizado. 


Criança brincando


Dito isso, nós sabemos que as experiências que as crianças vivenciam desde a primeira idade são bem marcantes e definidoras, por isso é preciso desde cedo trabalhar as competências dos pequenos, tais como cognição, motricidade, sociabilidade, linguagem, entre outras.

Com isso em mente, as fábricas direcionadas para brinquedos infantis resolveram desenvolver uma nova linha, a dos brinquedos educativos, itens que estimulam as mais diversas habilidades desde cedo, sendo eles imprescindíveis para o bom desenvolvimento da criança.

O que são brinquedos educativos?


Entendemos por brinquedos educativos todos aqueles itens que estimulam ou incentivam de alguma maneira no desenvolvimento infantil, seja massinha de modelar para trabalhar a motricidade ou um quebra-cabeça para trabalhar a cognição.

Veja bem, um bebê vai aprendendo a partir dos sentidos, ou seja, ele vai ter contato com tudo aqui que o cerca e a partir dessa interação com o ambiente externo, ele vai desenvolvendo sua personalidade e percepção do mundo.

As crianças costumam reproduzir nas suas brincadeiras de faz de conta, situações que vivenciam no dia a dia, ou imitações de personagens que elas admiram ou criam mundos e suas próprias histórias, esse é o exemplo de que é por meio da brincadeira que há o desenvolvimento infantil.

Qual é a importância dos brinquedos educativos na infância?


Como já foi dito acima, a infância é uma fase de construção, é nela que todo mundo constrói as bases da personalidade, inteligência, físico, social, e os brinquedos educativos servem para estimular esse processo.

Por intermédio desses itens os pequenos irão enfrentar desafios saudáveis com o intuito de se conhecerem melhor e apreenderem o mundo ao seu redor, e exercitar a imaginação, a criatividade, o raciocínio lógico, habilidades necessárias para a construção do sujeito.

Entretanto, um lembrete para os pais de primeira viagem: O desenvolvimento é dividido em etapas, ou seja, para cada fase há uma espécie de brinquedo para estimular da forma certa a criança.

Exemplificando: Um quebra-cabeça não terá a mínima utilidade para um bebê de dois meses, nessa idade ele precisa de brinquedos que sejam próprios para estimular o desenvolvimento sensorial.

Confira a seguir as habilidades que são estimuladas com os brinquedos educativos infantis e quais as suas características.

Competência Cognitiva


A cognição significa literalmente, aquisição de conhecimento, ou capacidade de discernir, de perceber, ou seja, é exercitando essa competência que a criança irá compreender o funcionamento do mundo, das relações sociais e se conhecer.

Competência Sensorial


Como o próprio nome já diz, essa área diz respeito aos sentidos humanos, embora os brinquedos que estimulem o sentidos sejam mais direcionados para crianças de colo, ainda são muito úteis para os pequenos com mais idade.

É imprescindível que a pessoa, desde a infância, aprenda a discernir sons, tenha noções de temperatura, tais como o que é quente e o que é frio, saiba diferenciar as cores, entre outras noções sensoriais.

Coordenação Motora


Embora muito conhecida, as pessoas costumam focar mais no desenvolvimento cognitivo e deixar a motricidade um pouco de lado, o que é um grande erro. É essencial que haja o estímulo a essa habilidade com brinquedos como blocos de montar, massinha de modelar, entre outros.

Como conciliar o uso de brinquedos físicos e eletrônicos?


Por estarmos vivendo em uma era digital, as crianças desde cedo são imersas nos mais diversos aparelhos eletrônicos, tais como smartphones, tablets, notebooks, o que não é ruim, desde que haja um equilíbrio e controle e fiscalização da parte dos pais.

A fiscalização se faz necessária porque com esses aparelhos, as crianças terão acesso direto à internet, e na rede há todo tipo de conteúdo possível, muitos que não são adequados para crianças, por isso é necessário evitar expôr elas a tais conteúdos.

Outro aspecto essencial é que com a imersão intensiva no mundo tecnológico, muitas vezes os pequenos esquecem outras atividades, especialmente as físicas, sendo isso prejudicial à saúde.

Então o desafio é conciliar esses dois mundos, pois caso haja incentivo apenas para o tecnológico, é possível que haja deficiência no desenvolvimento infantil, por falta de estímulos necessários para a construção saudável do sujeito.

Os brinquedos educativos, por mais que sejam considerados tradicionais e ultrapassados, são ferramentas essenciais e indispensáveis nas fases da infância.

Construindo a relação pai e filho


A interação entre os pais e os filhos é importantíssima e precisa ser incentivada, este é outro benefício dos brinquedos educativos, que normalmente são utilizados em conjunto ou com um adulto coordenando a brincadeira.

Aparelhos eletrônicos são a antítese da interação em grupo, pois são apetrechos de uso individual, ou seja, se a criança brincar apenas com o seu aparelho eletrônico, ela não vai interagir com os pais ou mesmo com os amigos ao seu redor.

Já com os brinquedos educativos, os pais irão proporcionar aos filhos momentos divertidos e educativos, servindo como guias para as crianças no processo de desenvolvimento.





quinta-feira, 10 de setembro de 2020

15:16

Moda consciente na maternidade

Quando a notícia de que a Beyoncé teve gêmeos atingiu o circuito de notícias, deixou os amantes da moda e seus fãs em um frenesi. Provavelmente nem é preciso dizer que Beyoncé teve algumas bolsas de grife em rotação para cuidar de seus novos pacotes de alegria, o que nos fez pensar nas bolsas de grife que podem tornar a vida de uma mãe um pouco mais fácil! Essas bolsas são espaçosas, elegantes e - o mais importante - duráveis ​​para ajudar a mãe a lidar com qualquer coisa que surgir em seu caminho.

moda grávida



No mercado second hand de luxo, você encontra as mais belas bolsas Prada para seu bebê. Se você procura um presente para a futura mamãe, lembre-se que sempre há uma ocasião para que ela saiba que você se importa, oferecendo a ela um presente bonito e prático! Muitos homens e mulheres procuram os brechós de luxo em busca de uma ótima bolsa Prada para dar como um presente de chá de bebê, um presente de lua de mel ou simplesmente "porque sim". Essa foi nossa inspiração para você conhecer a principal bolsa Prada para bebês que é perfeita para a moda consciente na maternidade!

Bolsa Prada Nylon Diaper


Se você está procurando uma bolsa de fraldas de marca que esteja com você em qualquer situação, esta bolsa Prada é para você. Digna de muitos elogios devido ao seu tecido de nylon resistente, que é à prova d'água, essa bolsa Prada de extrema qualidade combina com qualquer ambiente.

Essa bolsa de fraldas Prada oferece três elementos principais: função, estilo e durabilidade. Os muitos bolsos encontrados no interior e exterior da bolsa tornam a solução perfeita para uma mãe em movimento que quer ter certeza de que está preparada para o dia que se inicia! Leve esta bolsa Prada para compras com a mesma facilidade com que você pode levá-la para passeios à tarde com o bebê - tudo sem se preocupar com os elementos ou se isso prejudicará seu estilo!

Por que essa é a bolsa ideal?


Se gosta de estar sempre na moda, pode querer perguntar se essa bolsa Prada combina com o seu estilo. Vai combinar com o que você veste? Essa é uma bolsa preta clássica e combina com tudo o que você vestir. Além disso, pense em quem estará carregando a bolsa. Se o papai vai levar seu bebê ao parque, então um rosa brilhante pode envergonhá-lo (a menos que ele seja do tipo extravagante).

Nessa bolsa Prada, cabe tudo o que você precisa usar em seu dia a dia. Você vai precisar de algo grande o suficiente para guardar fraldas, lenços umedecidos, pomada, possivelmente uma mamadeira, uma muda de roupa e qualquer outro item. Mas espere, você não quer algo que seja muito grande também, por isso a bolsa Prada Diaper é uma ótima opção, compacta e estilosa.

Existem algumas bolsas lindas por aí, mas algumas delas são tão pesadas quando estão vazias, já percebeu isso? Imagine quando elas estão cheias? Por isso, o ideal é obter algo que seja leve, como essa belíssima bolsa Prada. Você não quer machucar seus ombros, seu corpo estará se recuperando do nascimento, então a última coisa de que você precisa é um esforço desnecessário.

Além disso, o orçamento é importante. Não adianta comprar uma bolsa Prada cara que vale o cheque do seu mês se seu orçamento não permitir. Você terá muitos outros itens para bebês para comprar ao mesmo tempo, então saiba quais são suas prioridades. É muito mais importante ter primeiro todos os itens essenciais, como um berço, lençóis, roupas, etc., antes de comprar uma bolsa que está fora de sua faixa de preço.

Uma das vantagens da bolsa Prada Diaper é a sua praticidade. Se você está planejando usá-la também como bolsa pessoal, saiba que ela terá bolsos suficientes para todos os seus cartões, celular, maquiagem e etc.

A bolsa é fácil de limpar? Sua bolsa estará circulando, indo para todos os tipos de lugares públicos cheios de todos os tipos de germes e doenças. Também existe a possibilidade de que o leite possa derramar na sua bolsa ou possa ser vomitado, feito cocô, urinado, bem, você começa a entender. A maternidade é imprevisível. O material pode ser limpo ou, caso contrário, pode ser jogado na máquina de lavar? Note que as cores escuras são melhores do que as claras (não mostram marcas e manchas) e os tecidos grossos são mais duráveis.

Se você está planejando usar muito a sua bolsa Prada, considere comprar algo de boa qualidade. Você não quer acabar comprando várias bolsas no caminho porque estão todas gastas ou quebradas.

Com que tipo de acessórios vem? Ela vem com uma alça de ombro? Isso pode ser útil se você for andar muito. Ela vem com um trocador ou você precisa comprá-lo? Tenha cuidado ao comprar muitos acessórios, porque provavelmente você não vai acabar usando todos eles.

Você espera usar esta bolsa para várias crianças ou ficará feliz em jogá-la fora e comprar uma nova bolsa para o próximo bebê? Você pode querer uma bolsa para usar por muitos anos, quando seu bebê for adulto e não usar mais fraldas. Escolha uma bolsa que não pareça uma bolsa de bebê, para usar mais tarde. Também possui uma opção de bolsa chanel pode ser usada como uma bolsa de viagem para viagens curtas ou levada para aulas de natação desde a infância, por exemplo.

Boa sorte e boas compras!

quarta-feira, 2 de setembro de 2020

20:18

Qual o brinquedo ideal para o seu filho?

Saber qual o brinquedo ideal para cada idade do seu filho é imprescindível, isso porque eles irão ter uma papel essencial no desenvolvimento da criança, afinal, todos nós tivemos algum brinquedo que nos marcou na infância, não é mesmo?

Brinquedo educativo

Os brinquedos ajudam as crianças a trabalhar as mais diversas competências: Motor, cognitiva, social, linguística, e por possuir esse papel tão marcante para os pequenos, é preciso saber escolher os que sejam próprios para a faixa etária do seu filho.

Qual a importância dos brinquedos na infância?


Como dito acima, eles são ferramentas excelentes para que as crianças desenvolvam suas personalidades, habilidades sociais e mesmo a coordenação motora, além disso eles ajudam os pequenos a desenvolver uma compreensão mais aprofundada do mundo e de si mesmo, através do lúdico.

É com a ajuda desses artefatos que nós descobrimos competências que nos eram desconhecidas, despertamos algumas noções do funcionamento da sociedade e como funcionam as interações sociais.

Entretanto, mesmo que os brinquedos ofereçam todos esses benefícios, não haverá contribuição efetiva se a criança for presenteada com um brinquedo da faixa etária da qual ela não se enquadra.

Os brinquedos e as faixas etárias adequadas 


Como dito acima, é de vital importância que você, ao escolher um brinquedo para o seu filho, verifique a faixa etária na embalagem, pois assim ele será uma ferramenta efetiva para a construção do sujeito da criança.

Confira quais brinquedos são adequados para cada faixa etária abaixo:

0 a 12 meses


Desde o nascimento até o primeiro ano de vida, o desenvolvimento do bebê se dará através de estímulos sensoriais, por luzes, sons, tato, olfato, então os brinquedos dessa faixa precisam estimular esses sentidos.

A preferências são animais de pelúcia, macios, que emitam sons calmos e que venham perfumados, assim o bebê poderá, a partir do contato, ir trabalhando sua percepção através dos sentidos.

Outra opção além itens de pelúcia, são os mordedores, ideais para massagear a gengiva e diminuir gradativamente o desconforto do nascimento dos primeiros dentes.

1 a 2 anos


É comum que as crianças desta idade já comecem a caminhar, outras vão dando os primeiros passos no decorrer desse período de tempo entre 1 aos 2 anos, por isso brinquedos de empurrar e puxar são vitais para esse período.

Embora ainda seja necessário comprar itens que trabalhem os sentidos, você já pode buscar itens que sejam bons para desenvolver a percepção de cores e formas.

Invista em brinquedos de montar e desmontar, carrinhos para empurrar, porém lembre-se de comprar itens atóxicos e com peças grandes, para evitar acidentes com o seu bebê.

2 a 4 anos


A partir dos 2 anos já é necessário que os brinquedos estimulem o desenvolvimento da coordenação motora, os blocos de montar ainda são bons para isso, porém é melhor comprar produtos que tenham formas mais complexas para que a criança se desafie.

Esse período de idade a criança já não é mais um bebê, ela está começando a despertar suas habilidades sociais e linguísticas, por isso brinquedos musicais são bons para ajudar nesse ponto.

Triciclos e bolas são ótimos para estimular as habilidades físicas dos pequenos, e para que ele vá construindo uma boa estrutura muscular.

5 a 7 anos


Nesta fase as crianças já estão no processo de alfabetização, com habilidades linguísticas mais adiantadas em relação à fase anterior, por isso jogos educativos são as melhores escolhas.

Dê preferência para os que estimulem a capacidade leitora do pequeno, eles serão fortes aliados da construção de conhecimento escolar, assim como o ato de ler estimula a imaginação infantil.

Como as crianças já estão na escola, elas já possuem uma vida social ativa, por isso jogos que sirvam para grandes grupos são muito bons para trabalhar a sociabilidade deles.

8 a 11-anos


É bem comum que os jovens nessa faixa etária comecem a utilizar smartphones e deixem de lado os exercícios físicos, por isso é importante presenteá-los com itens que estimulem o trabalho muscular.

Bicicletas, skates, patins, bolas de futebol, basquete, vôlei, itens que vão encorajá-los a se movimentar.

Opte pelos brinquedos que exercitem o raciocínio lógico e a inteligência estratégica, como jogos de tabuleiro como as damas e até o dominó são boas opções para exercitar essas habilidades.

12 anos ou mais


Nos dias atuais já não é mais tão comum crianças de 12 anos utilizarem brinquedos para a diversão e momentos de lazer, entretanto ainda há alguns que gostam.

A recomendação dessa faixa etária não é tão diferente da anterior, aqui o principal objetivos é que os jovens estimulem sua capacidade intelectual com jogos complexos, que exijam reflexão da parte delas.

O quebra-cabeças para maiores de 12 anos costumam ser bem complicados, exige que haja muita concentração e foco por parte de quem o utiliza.

O Xadrez é um jogo de tabuleiro que pode ser utilizado por faixas etárias menores, mas é mais indicado para as crianças de 12 anos ou mais, por ser um jogo complicado e que exige muita estratégia da parte de quem joga.

Porém, continue investindo em itens que incentivem o exercício físico ao ar livre, preferencialmente. Uma criança que usa brinquedos como bicicletas, por exemplo, tendem a continuar praticando mesmo na vida adulta.


Dicas extra


Lembre-se de sempre consultar a faixa etária na embalagem do brinquedo antes de comprá-lo, evitando assim prejuízos para o seu bolso no caso do produto não ser indicado para a idade do seu filhos.

Preferencialmente opte por marcas já consagradas no mercado, que trabalham com produtos de qualidade e que não irão oferecer riscos às crianças, faça uma pesquisa on-line antes de consumir.





quarta-feira, 19 de agosto de 2020

16:38

Móveis Planejados para quarto de criança: 5 dicas

Veja cinco dicas de moveis planejados para quarto de bebê que são essenciais para uma boa ambientação do recém-nascido. 

móveis planejados infantil

A utilização de móveis planejados para o quarto de bebê vem crescendo bastante nos últimos tempos, porém muitos pais ainda ficam um pouco perdido na hora de decorar o ambiente.

Vale lembrar que a chegada de um novo filho faz com que toda a dinâmica de uma casa seja modificada. Essa mudança não se restringe apenas a questões relacionadas às relações familiares, mas também aos cômodos.

Inevitavelmente os espaços ganharão uma nova forma, fazendo com que diversas adaptações precisem ser feitas, tanto para o acolhimento quanto para a segurança do novo membro da família.

Sabendo que a indecisão pode se fazer presente na hora da decoração, nada mais justo do que apresentar cinco dicas decorativas com a utilização de móveis planejados. Confira agora e aproveite para utilizar essas dicas imperdíveis.

O que são móveis planejados?


Antes de apresentar as dicas, é bastante útil que a definição de móveis planejados seja especificada.

Os móveis planejados são fabricados especialmente para o cliente, ou seja, atenderá a real necessidade, sendo projetado exclusivamente para o espaço desejado.

Agora que a dúvida foi esclarecida, conheça as cinco dicas que servirão de gatilho criativo para a decoração do quarto de bebê:

Defina o tema do quarto


A primeira etapa da decoração é a definição do tema, pois isso será o ponto guia para o restante do processo.

O tempo passou e os pais atuais já não seguem o mesmo padrão de antigamente, em que a maioria dos quartos apresentavam as cores azul ou rosa.

Hoje em dia, os mais diversos temas são explorados, onde as fontes de inspiração podem ser filmes, séries e desenhos.

Revestimentos


A dica principal quando se fala em revestimento é optar por pisos vinílicos, que são altamente recomendados para quartos infantis.

Esse tipo de revestimento apresenta uma boa absorção acústica e também proporciona o conforto térmico ideal para o bebê.

Escolha uma loja de móveis planejados com boa reputação

Decidido o tema e também os revestimentos, chegou a hora da escolha dos móveis planejados. A primeira dica é a definição da loja, que deve ser, minuciosamente, escolhida.

Avalia a reputação através de feedbacks disponíveis nos canais de comunicação, confira as avaliações no Google Meu Negócio e não deixe de ler as críticas no Reclame Aqui.

Ah, e antes de assinar qualquer contrato, peça o portfólio e para ver outros projetos que mostrem móveis planejados para quarto de bebê.

Leve em consideração a opinião do projetista


É claro que a escolha dos móveis residenciais pode ser feita pelos próprios pais, porém, ter uma ajuda profissional é sempre útil.

O projetista pegará todas as medidas do ambiente e ainda poderá criar o projeto no formato 3D. Assim ficará mais fácil de visualizar o que vem pela frente.

É possível realizar qualquer adaptação, mas lembre-se que os profissionais ajudarão a combinar design, funcionalidade e conforto.

Crie um ambiente funcional


Só quem é mãe ou pai sabe das dificuldades que um recém-nascido pode trazer.

Escolha móveis que sejam totalmente adaptáveis ao ambiente e que trabalhem na otimização das tarefas, priorizando o bem-estar tanto na hora do conforto em família, quanto nos momentos de limpeza e trabalho. Mais um ponto onde o profissional será um ótimo aliado.

Móveis planejados e a felicidade da família


Pôde-se perceber que a escolha dos componentes do quarto do bebê vai muito além de opções superficiais, cada decisão poderá transformar as relações e também a ambientação do pequenino.

Faça todas as escolhas com calma e não hesite em buscar ajuda profissional para que o seu projeto saia conforme o planejado.
Cupom de desconto workana de R$ 100,00

Sobre o Babyou Blog

babyouBlog destinado a divulgar, com linguagem simples, notícias e artigos relacionadas a crianças e mamães e gestantes, eventualmente publicaremos outros tipos de assuntos também.
Leia mais →



Assinar Newsletter

Insira o seu e-mail abaixo para receber conteúdo VIP atualizado, diretamente no seu e-mail.